.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Sábado, 28 de Fevereiro de 2009

Missões no Regresso...

Todo espírito que deseja progredir trabalhando na obra de solidariedade universal recebendo dos espíritos mais elevados uma missão particular, apropriada às suas aptidões e ao seu grau de adiantamento. Alguns têm por tarefa acolher os espíritos no seu retorno à vida espiritual, guiá-los, ajudá-los a se desprenderem dos fluidos espessos que os envolvem; outros são encarregados de os consolar, instruir as almas sofredoras e atrasadas. Espíritos de químicos, físicos, naturalistas, astrónomos, prosseguem as suas pesquisas, estudam os mundos, as superfícies, as profundezas ocultas, actuam em todos os lugares sobre a matéria subtil, que fazem passar por preparações, modificações destinadas a obras que a imaginação humana teria dificuldades em imaginar. Outros aplicam-se às artes, ao estudo do belo sob todas as suas formas. Espíritos menos evoluídos auxiliam os primeiros nas suas tarefas variadas e servem-lhe de auxiliares. Um grande número de espíritos destina-se aos habitantes da Terra e de outros planetas, estimulando-os nas suas pesquisas, fortalecendo ânimos abatidos, guiando os hesitantes pelo caminho do dever. Aqueles que praticaram a medicina e possuem o segredo dos fluidos curativos, reparadores, ocupam-se mais especialmente dos doentes. A mais bela de todas as missões é a dos ESPÍRITOS DE LUZ. Vêm dos espaços celestes para trazer à humanidade os tesouros da sua ciência, da sua sabedoria, do seu amor. Sua tarefa é um sacrifício constante, porque o contacto dos mundos materiais é penoso para eles; porém, encaram todos os sofrimentos por dedicação aos seus protegidos, a fim de assisti-los nas suas provas e colocarem no coração deles grandes e generosas intuições. É justo atribuir-lhes esses clarões de inspiração que iluminam o pensamento, esses desafogos da alma, essa força moral que nos sustenta nas dificuldades da vida. Se soubéssemos a quantos constrangimentos esses nobres espíritos se impõem para chegarem até nós, responderíamos melhor às suas solicitações, faríamos esforços enérgicos para nos desligarmos de tudo o que é insignificante e impuro, unindo-nos a eles na comunhão divina. Nas horas difíceis, é para esses espíritos, para os meus guias bem-amados, que voam os meus pensamentos e meus apelos. É deles que me vem o apoio moral e as consolações supremas. Subi com muita dificuldade os atalhos da vida. Mas nunca me faltou a ajuda de meus amigos espirituais, nunca a minha voz os evocou em vão. Desde os meus primeiros passos neste mundo a sua influência envolveu-me. Compartilharam as minhas alegrias e tristezas e, quando ouvia a tempestade, sabia que estavam firmes ao meu lado, no meu caminho. Sem eles e o seu auxílio, há muito tempo teria sido obrigado a interromper a minha marcha, a suspender o meu trabalho. As suas mãos estendidas têm-me amparado e dirigido na áspera via. Algumas vezes, no recolhimento da tarde ou no silêncio da noite, as suas vozes falam-me, embalam-me e confortam-me; ressoam na minha solidão como uma vaga melodia. Ou, então, são sopros que passam, semelhantes às carícias, sábios conselhos murmurados, indicações preciosas sobre as imperfeições do meu carácter e das formas de o aperfeiçoar. Então esqueço-me das misérias humanas para me alegrar na esperança de um dia rever esses amigos, de me reunir com eles na luz, se Deus me julgar digno disso, com todos aqueles que amei e que, do seio do além, me ajudaram a percorrer esta etapa terrestre. Que para todos vós, espíritos protectores, entidades protectoras, se eleve o meu pensamento de reconhecimento, o melhor de mim mesmo, o tributo da minha admiração e do meu amor! A ALMA VEM DE DEUS E RETORNA A DEUS percorrendo o imenso ciclo dos seus destinos. Por mais baixo que tenha descido, cedo ou tarde, pela atracção divina, sobe de novo para o infinito. O que é que ela procura lá? O conhecimento sempre mais perfeito do universo, a assimilação sempre mais completa dos seus atributos: beleza, verdade, amor! E, ao mesmo tempo, uma libertação gradual das escravizações à matéria, uma colaboração crescente na obra eterna. Cada espírito, no espaço, tem a sua vocação e persegue-a com facilidades desconhecidas na Terra; cada um encontra o seu lugar nesse soberbo campo de acção, nesse vasto laboratório universal. Por todos os lados, tanto na amplidão como nos mundos, objectos de estudo e de trabalho, meios de elevação, de participação na obra divina, oferecem-se à alma laboriosa. Já não é o céu frio e vazio dos materialistas, nem mesmo o céu contemplativo e beato de certos crentes. É um universo vivo, animado, luminoso, repleto de seres inteligentes em via constante de evolução. E quanto mais esses seres espirituais se elevam, mais a sua tarefa se acentua, mais as suas missões se tornam importantes. Um dia, ocupam um lugar entre as almas mensageiras que vão levar aos confins do tempo e do espaço as forças e as vontades da alma infinita.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 10:30
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

O Caminho do Ser

A evolução dos mundos e das almas é regida pela vontade divina, que penetra e dirige toda a natureza, mas a evolução física é apenas a preparação da evolução psíquica, e a ascensão das almas prossegue muito além da cadeia dos mundos materiais.

O que impera nas baixas regiões da vida é a luta ardente, o combate sem trégua de todos contra todos, a guerra perpétua na qual cada ser se esforça para conquistar um lugar ao sol, quase sempre em prejuízo dos outros. Essa luta furiosa arrasta e destrói todos os seres inferiores nas suas agitações. O planeta é como uma arena onde se desenrolam incessantes lutas.

A natureza renova incessantemente esses exércitos de combatentes.

Na sua fecundidade prodigiosa, gera novos seres; mas logo a morte os ceifa nas suas estreitas fileiras. Essa luta, espantosa à primeira vista, é necessária para o desenvolvimento do princípio de vida. Ela dura até o dia em que um raio de inteligência vem iluminar as consciências adormecidas. É na luta que a vontade se apura e se afirma; é da dor que nasce a sensibilidade.

A evolução material, a destruição dos organismos, é apenas temporária: representa a fase primária da epopeia da vida. As realidades imortais estão no espírito. Só ele sobrevive a esses conflitos bárbaros. Todos esses envoltórios passageiros são apenas vestimentas que se vêm adaptar à sua forma fluídica permanente.

Cobre-se de vestuários para representar os numerosos actos do drama da evolução no vasto palco do universo.

Emergir grau a grau do abismo da vida para se tornar espírito, génio superior, e isso pelos seus próprios méritos e esforços; conquistar seu futuro hora a hora; libertar-se mais todos os dias do domínio das paixões, libertar-se das sugestões do egoísmo, da preguiça e do desânimo; resgatar-se pouco a pouco das suas fraquezas e ignorância, ajudando os seus semelhantes a serem resgatados e por sua vez, arrastando todo o meio humano para um estado mais elevado: eis o papel destinado a cada alma. E ela tem, para desempenhar esse papel, toda a série de existências inumeráveis na escala magnífica dos mundos. Tudo o que vem da matéria é instável: tudo passa, tudo foge.

As montanhas vão pouco a pouco abatendo-se sob a acção dos elementos; as maiores cidades transformam-se em ruínas; os astros iluminam-se, resplandecem, depois apagam-se e morrem; só a alma imortal paira na duração eterna.

O círculo das coisas terrestres aperta-nos e limita as nossas percepções; mas quando o pensamento se liberta das formas mutáveis e abrange a extensão dos tempos, vê o passado e o futuro juntarem-se, vibrarem e viverem o presente. O canto de glória, o hino da vida infinita, enche os espaços; sobe do interior das ruínas e dos túmulos; sobre os destroços das civilizações mortas surgem novas existências. A união faz-se entre as duas humanidades, visível e invisível, entre aqueles que povoam a Terra e aqueles que percorrem o espaço. A voz deles chama, responde, e esses ruídos, esses murmúrios, embora vagos e confusos para muitos, tornam-se para nós a mensagem, a palavra vibrante, que afirma a comunhão do AMOR UNIVERSAL.

Tal é a complexidade do carácter do ser humano [ESPÍRITO, ENERGIA e MATÉRIA] em que se resumem todos os elementos constitutivos e todas as potências do universo. Tudo o que está em nós está no universo, e tudo o que está no universo se encontra em nós. Pelo seu corpo fluídico e pelo seu corpo material o homem encontra-se ligado à imensa teia da vida universal e, pela sua alma, a todos os mundos invisíveis e divinos. Somos feitos de sombra e de luz.

Somos a carne com todas as suas fraquezas e o espírito com suas riquezas latentes, suas esperanças radiosas, seus voos magníficos.

E o que está em nós encontra-se em todos os seres. Cada alma humana é uma projecção do grande foco eterno. É isso o que consagra e assegura a fraternidade dos homens. Temos em nós os instintos animais, mais ou menos comprimidos pelo longo trabalho e pelas provas das existências passadas, e temos também a crisálida do anjo, do ser radioso e puro, em que nos podemos tornar pela impulsão MORAL, pelas aspirações do coração e pelo sacrifício constante do “EU”. Tocamos com os pés as profundezas obscuras do abismo e, com a fronte, as altitudes ofuscantes do céu, o império glorioso dos espíritos.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:26
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

O Estranho caso de Benjamim Button

 

Em plena noite de folia alegórica e carnavalesca (dia 24), fui com a minha princesa ao cinema ver o filme mencionado no título do post. Confesso que tive alguma dificuldade em arranjar uma imagem que se coadune com o que aqui pretendo escrever acerca do filme e do seu conteúdo. Antes de iniciar a minha dissertação sobre o mesmo informo que as cinco fotografias vão ser assim mencionadas: fotografia maior (a que se encontra na parte superior), fotos de 1 a 4 (fotografias pequenas na parte de baixo contadas da esquerda para a direita). Este filme tem, no meu ponto de vista, várias mensagens conforme vou descrever. Da foto 1 à 4, podemos observar a evolução da Alma (espírito encarnado) pois ao encarnar, o espírito vê-se reduzido a cerca de 10% da sua capacidade e faculdades, pois a densidade corporal não permite que tenha ao menos o conhecimento do que cá veio fazer, relativamente à sua evolução espiritual. Na foto 1 o espírito completamente “desorientado” com o seu papel. Na foto 2 o espírito adaptado à vida terrestre procura dar sentido à sua vida. Na foto 3 o espírito com um conhecimento mais elevado acerca da vida segue o caminho que acha mais correcto definido pelos ensinamentos da vida. Na foto 4 o espírito encontra-se em elevado estado de purificação carnal, irradiando amor e pensamentos positivos. Resumindo a sequência de fotos observa-se a evolução espiritual numa encarnação. Na fotografia maior observa-se o amor nutrido entre dois espíritos encarnados. Ao longo deste filme observamos por parte do actor principal uma grande história de amor. O amor observado refere-se ao amor pelo semelhante (sexo oposto), bem como o amor incondicional que vai nutrindo pelas pessoas que vai conhecendo. Quando um sacerdote se tenta invocar que ele fez com que Benjamin andasse, o criador fez justiça pelas próprias mãos, pois tornar propriedade sua uma criação do divino é pecado e por isso pagou-o com a sua ida para o mundo espiritual para assim ser julgado pelos actos cometidos. Quando Benjamin fica a saber a verdadeira história da sua origem ele perdoa quem após o seu nascimento o abandonou. Para se ter capacidade de Perdoar tem de saber Amar. Amar é uma das palavras de ordem do criador, sendo fundamental na lei da Providência. Mais não digo deixando ao critério de quem o quiser ver. Assim termino as minhas palavras dizendo que praticar o Amor Incondicional não é fácil (por vezes somos incompreendidos) mas fazendo-o sempre com boa vontade, fé, carinho e humildade, um dia o reconhecimento chegará.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:10
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |  O que é?
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009

A Máscara

Muito se fala na máscara e mais ainda nesta quadra carnavalesca. Mas as máscaras que se usam no carnaval são apenas apetrechos alegóricos que camuflam as pessoas para sob a protecção destas darem asas à sua imaginação ou desejos mais íntimos. Esta é a forma como observo o carnaval, mas quando digo a palavra “máscara” refiro-me àquela que diariamente as pessoas usam para com o mundo que as rodeia. Nos dias de hoje o Ser tem enormes dificuldades em mostrar realmente aquilo que é e por isso esconde-se criando máscaras idealizadas pela sua mente que tentam mostrar a forma como ele quer que os outros o vejam. Em inúmeros casos além disso tornar as pessoas menos agradáveis, ficam menos sensatas e humildes ou seja, mostra ser aquilo que na realidade (essência) não é. Isso não é muito agradável para a própria pessoa que por vezes, ao atingir a maturidade se apercebe de tal e depois é complicado mudar por si só. Neste campo o Reiki desempenha um importante papel, pois vai para além de uma Terapia holística é também uma filosofia de vida e uma forma de estar que nos permite estar e encarar a vida de uma forma mais positiva, tolerante, humilde e com todo o amor incondicional em consonância com a natureza e todas as obras do Criador. Digo isto porque qualquer pessoa ao fazer a sua iniciação ao Reiki, passa depois por um processo de purificação interior onde as mudanças são operadas de dentro para fora. Todas as pessoas têm consciência dessas mudanças e, é neste período que essas máscaras são removidas (pela própria pessoa que as criou) e a pessoa alcança uma leveza e bem-estar que há muito não sentia. Por isso pode-se afirmar que o Reiki auxilia todos os iniciados tanto na sua vida privada como na profissional. Vamos remover essas máscaras que superfluamente criamos e sejamos como somos, com todas as nossas virtudes e defeitos pois a perfeição é uma meta muito distante e ninguém a consegue alcançar numa vida.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 18:05
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009

O TOQUE como forma de comunicação

O

 toque é uma das primeiras terapêuticas descoberta pelo ser humano. Os estudos científicos demonstram que a estimulação pelo toque é necessária para o nosso bem-estar, quer físico, quer emocional.

O toque tem múltiplas funções, pode servir para fazer notar a presença de alguém, para cumprimentar, chamar a atenção, confortar, toda a vivência humana está intimamente associada ao toque como forma de comunicação.

O toque faz parte de todas as culturas, embora cada uma o entenda de forma diferente havendo costumes e tabus à sua volta. Cada pessoa pode entender o toque de maneiras diferentes. Tem que se ter sempre em conta o contexto sócio-cultural. No entanto, todos precisamos do toque: desde as crianças para estabelecer relações e sobreviver, os idosos, que através do toque, podem minimizar a sensação de solidão ou de que não são desejados. O toque é também um importante canal de transmissão de informação, quando outros meios de comunicação se encontram menos desenvolvidos/diminuídos.

Sendo a pele o maior órgão do ser humano, é perfeitamente aceitável utiliza-lo como forma de melhoria de saúde do indivíduo.

Vários estudos experimentais demonstram as virtudes do toque: fazer-nos sentir melhor com nós mesmos e com o ambiente à nossa volta, provoca mudanças fisiológicas mensuráveis naquele que toca e no que é tocado. O toque físico não é apenas agradável. É necessário.

Diminuir a sensação de isolamento através do toque explica porque a massagem tem um lugar bem definido nos cuidados paliativos. O toque origina alterações e sensações que influenciam a forma de estar do ser humano, tendo por base esta constatação, tem todo o sentido que o “tocar” possa ser utilizado como terapia complementar.

A terapia complementar que se vai desenvolver ao longo deste trabalho(Reiki)  pode não implicar um contacto directo entre o terapeuta e o doente mas tem por base principalmente a transmissão e a comunicação ao outro de bem-estar.

Nursing

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:20
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009

Reflexão…

Actualmente o Ser Humano passa por tempos conturbados que o afectam das mais variadas formas. Nada disto acontece em vão, mas sim porque nos foi predestinado pelo criador para a nossa evolução neste longo caminho das almas. Estas começaram a ser criadas há 600 milhões de anos e, estando ainda longe de alcançar a perfeição, muitos mais anos e vezes temos de cá voltar para chegar à meta que todas as almas desejam atingir. Porquê promover as guerras, a discórdia, a inveja, o sofrimento, a mentira, o orgulho exacerbado, o medo, a tristeza, a solidão, a angustia, o terror, as más condutas e pensamentos e o desprezo quando cada um de nós pretende alcançar a Felicidade? Acham que assim conseguem? Acham que esse é o caminho certo, ou será o do bem, do amor, da misericórdia, apreço, abnegação e solidariedade para com o semelhante? Será que estou a agir em consciência com os verdadeiros valores morais que regem a imensidão universal? Porquê querer sempre mais e nunca estar satisfeito com o que tem quando há milhares de pessoas que nem metade do que tem têm para sobreviver? Quantos de vós já reflectiram um pouco sobre estas questões? Pois é, lembram-se delas quando as lêem ou quando as ouvem, mas realmente isso não chega. Já repararam que quando deixarem a vida que têm vão levar o que trouxeram, ou seja nada. É engraçado que quando nascemos chegamos sempre as mãos fechadas porque pensamos que trazemos algo, mas apenas trazemos a esperança de podermos corrigir as faltas passadas para a evolução da nossa alma. E quando partirmos vamos sempre com as mão abertas! Até hoje nenhum humano nasceu sem vir de mãos fechadas e nenhum morreu sem ir com elas abertas. O pormenor das mãos diz-nos que quando chegamos e as trazemos fechadas pensamos que trazemos algo mas, afinal de contas, apenas trazemos a esperança e quando o nosso corpo padece, vamos sempre com elas abertas, ou seja, não levamos rigorosamente nada, Por isso nada do que existe é nosso, apenas utilizamos quando estamos cá e depois de partirmos aquilo cá fica. Enquanto por cá andam, os humanos procuram incessantemente a felicidade mas muitas vezes se decepcionam porque? Porque a verdadeira e eterna felicidade está dentro de nós, no mais intimo recanto junto à ligação que temos com o divino criador. Se ela está dentro de cada um, então devemos antes de mais de encontrar o nosso equilíbrio harmónico com a natureza e o universo, para que assim possamos amar verdadeiramente e irradiar o verdadeiro amor para aquele irmão carenciado que nos pede auxílio. É assim que devemos agir diariamente, irradiando a nossa felicidade e amor incondicional no amparo de quem nos procura para que fique bem e nós com uma enorme alegria interior pelo facto de termos contribuído para o bem-estar do nosso semelhante. Estes sim, são sentimentos e valores enormes que ganhamos e ninguém os pode resgatar da nossa posse. Este é o caminho da felicidade suprema, do bem-estar comum e do amor incondicional para mais depressa atingir a felicidade. Pensem um pouco no que vos digo e verão a beleza do caminho correcto com enorme alegria.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Muito Amor Incondicional...
Publicado por Viktor às 10:30
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
 O que é? |  O que é?

Iniciação ou Nível I

Caros leitores, amigos, internautas, Senhoras e Senhores,

No próximo dia 07 de Março, realizar-se-á um Curso de Iniciação ao Reiki Nível I ou 1º Grau, nas CALDAS DA RAINHA, num ambiente harmonizado onde poderá usufruir da calma necessária ao evento. O referido curso será limitado a 10 inscrições, para que assim se consiga manter um nível formativo e participativo de qualidade. Esta escola de Reiki é associada da Associação Portuguesa de Reiki. Mais informações e esclarecimentos serão fornecidos por e-mail ou telemóvel. Serão afixados cartazes alusivos ao evento em diversos locais da cidade.

Não percam esta oportunidade…

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:53
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

O Papel Social do Reiki

O Reiki é diariamente uma filosofia de vida que me absorve completamente, tanto na minha forma de estar como de agir. Assim sendo, vou aqui transcrever a abordagem que ao mesmo fiz, quando abordei este tema no livro que estou a escrever. Há áreas de cariz social onde o Reiki pode desempenhar um importante papel, tais como lares, centros de dia, cuidados paliativos, hospitais, centros de saúde, redes sociais e casas de abrigo, conforme seguidamente vou explicar. Os lares nos dias de hoje são instituições que não “conseguem absorver” a totalidade de idosos e que, infelizmente, por vezes são usados como locais onde “depositam” os idosos. Mesmo aqueles que, cujas suas possibilidades económicas permitem que as famílias nessas instituições os coloquem, provocam neles um certo sentimento de revolta, abandono, injustiça, angustia e tristeza que se traduz numa profunda solidão. Em determinados casos, tal qual divulgados pela comunicação social, os idosos sofriam ainda de maus tratos. Nos centros de dia, o tipo de utentes não difere muito dos anteriormente mencionados, com a diferença de estes residirem em habitação própria utilizando estes serviços apenas durante o dia. Nos Cuidados Paliativos que são nos dias de hoje já oferecidos, o Reiki pode dar um enorme contributo na melhoria dos serviços. Nos Hospitais e Centros de Saúde, conforme prática regular noutros países, presta um bom serviço a acamados de média e longa duração, nos tratamentos de quimioterapia e radioterapia, serviços de ortopedia e até nas urgências. Nas Redes Sociais quer sejam locais, municipais ou regionais, pode desempenhar um excelente apoio àqueles que vivem com sérias dificuldades e muitas vezes são “marginalizados” por pessoas de nível social mais elevado. Nas Casas de Abrigo e instituições de apoio a órfãos também pode desempenhar um papel benéfico no apoio emocional, mental e espiritual, a todos aqueles que por “força das circunstâncias” até àqueles locais foram parar.

Desde o início desta minha caminhada, a minha sensibilidade para os problemas sociais, causas humanitárias, voluntariado e outras aumentou consideravelmente, o que me faz observar o mundo de uma forma diferente tornando-me mais humano. É claro que, este caminho de luz, paz e amor não é nada fácil, sendo por vezes até demasiado sinuoso, pois ouvir os problemas, angustias, traumas e conflitos dos outros é uma tarefa árdua e morosa que, exige da parte do terapeuta uma boa disponibilidade, vontade e pré-disposição temporal para o mesmo. Para percorrer este caminho de luz e amor necessitamos de uma preparação interior que passa através de várias etapas que podem demorar anos e mesmo assim por vezes temos a sensação de não estar completamente preparados para as situações que diariamente surgem.

Por estas e outras razões aqui não enunciadas, “luto” diariamente para que esta terapia seja aceite pelas entidades governamentais para que, assim sendo, seja possível dar um valioso contributo nas áreas de saúde, social e pessoal das pessoas. Para esta acreditação renovo aqui o apelo a todas as pessoas que pretendam dar o seu contributo para o mesmo, por pequeno que lhes possa parecer, para o processo de aceitação pode ser de grande utilidade. Vamos todos juntos contribuir para a aceitação desta terapia para o bem-estar comum e supremo universal.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:36
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009

Pedido de um Irmão…

Caros Amigos e Reikianos,

Aplicar Reiki a nós próprios é bom, aplicar a outros é maravilhoso e enviar a quem necessita é divinal. Qualquer Reikiano aplicado e dedicado, praticando estes actos com humildade, satisfação, pensamento elevado e muito amor incondicional, sente dentro de si uma enorme satisfação, alegria e leveza pelo gesto praticado. Praticar o bem para com o nosso semelhante só nos traz benefícios perante a sociedade e o Criador. Todos nós somos enfermos e poucos têm vontade de se curar. Alegam a pesada cruz que carregam nos ombros, porém, permanecem parados e nesse caso ela parece mais pesada. O movimento é princípio de libertação, bem como solicitar o auxílio de terceiros para esse movimento de emancipação do Ser, nesta longa jornada de vida até alcançar o paraíso divino. Porque a união faz a força e a junção de várias energias atingem um nível superior ao simples somatório das mesmas, solicito assim a todos os que, repletos dos melhores sentimentos pretendam auxiliar esta irmã de Luz, façam o envio de Reiki para a auxiliar no seu estado psicológico e emocional que neste momento atravessa uma crise. A irmã em causa chama-se Cláudia Patrícia Ribeiro, nascida a 7 de Janeiro de 1975 em Guimarães. Assim peço a todos os bem aventurados que pretendam participar no envio de Reiki à distância para ela que me informem aqui ou por e-mail, para que lhes possa dar as indicações para tal.

Que os bons espíritos, arcanjos, seres de luz, mestres e guias espirituais estejam com ela neste momento particularmente difícil.

O meu muito obrigado a todos os que se mostrarem interessados em tal e termino dizendo as seguintes palavras: José (pai) estou contigo.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Muito Amor Incondicional...
Publicado por Viktor às 09:10
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

Fazer Reiki? Mas eu não estou doente!

Caros amigos, internautas, Senhoras e Senhores,

Quando falo com colegas, amigos ou conhecidos acerca do Reiki, muitos deles dizem isso. Percebo porque dizem isso, pois a falta de conhecimento acerca do mesmo leva-as a dizer coisas de uma forma descabida. Pessoalmente faço todos os dias auto aplicações e não estou doente. Faço porque me sinto bem, restabeleço as energias corporais, activo o sistema imunitário, removo cargas negativas absorvidas no dia-a-dia, alinho e desbloqueio os chakras, promovo o meu bem-estar e saúde. Por isso o Reiki não se aplica apenas a pessoas doentes, mas sim a todos, e passo a explicar o porquê. O Reiki actua nos níveis físico, emocional, mental e espiritual que é a ordem inversa da doença, ou seja, esta tem inicio no plano espiritual, segue para o mental, passa para o emocional e repercute-se no físico, já no seu último estádio. Atingido este ponto, qualquer pessoa se apercebe e recorre ao sistema nacional de saúde para se tratar por um médico de clínica geral. Caso o problema seja do foro mental ou emocional terá de recorrer a um especialista na matéria (psicólogo ou psiquiatra). Caso seja do foro espiritual, não conheço nenhum médico que o possa ajudar a ultrapassar a situação. O Reiki tem um papel fundamental não apenas no combate aos problemas de saúde diagnosticados, bem como para a prevenção dos mesmos antes de se manifestarem, podendo mesmo impedir, em certos casos, que cheguem ao ponto de se manifestar a nível físico. Para que não possa haver dúvidas de interpretação do que por mim aqui foi escrito, digo que a classe médica merece todo o respeito pelo trabalho que desde sempre tem efectuado para com todos os cidadãos. Há quem faça Reiki em vez de ir ao ginásio, pois assim além de contribuir para o seu bem-estar, está também a contribuir para o prolongamento da sua saúde. Em vez de dizer não estou doente ou não tenho tempo, dê uma oportunidade a si mesmo. Experimente e contacte na primeira pessoa o quão bem lhe pode fazer uma sessão de Reiki.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:14
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009

O processo criativo da Saúde

A saúde mantém-se quando a força criativa procedente da realidade espiritual humana é dirigida de acordo com a lei universal ou cósmica. Quando o corpo ketérico se alinha com uma realidade espiritual maior, manifesta o divino conhecimento dessa realidade. A declaração feita é a seguinte: “Eu sei que me identifico com Deus.” É a experiência de identificar-se com o Criador e ser, ao mesmo tempo, individualizado. Essa realidade provoca o sentimento do amor universal no corpo celeste. O sentimento de identificação com Deus, por seu turno, cria uma coincidência da vontade individual no padrão etérico com a vontade divina, o que se expressa, por sua vez, no nível astral, como amor à humanidade. A experiência do amor à humanidade influirá na camada mental e informará as percepções da realidade no corpo mental. Essa vibração no corpo mental é então transmitida pelas leis da provocação harmónica e da ressonância simpática à matéria e à energia do corpo emocional, que se expressa em forma de sentimentos. Se a percepção da realidade for consentânea com a lei cósmica, os sentimentos serão harmoniosos e aceitos pela pessoa e terão permissão para fluir. Não serão obstruídos.

Esse fluxo transmite-se então ao corpo etérico, que responde numa harmonia natural. O resultado são sensações corpóreas agradáveis que promovem o metabolismo natural da energia procedente do Campo de Energia Universal, necessária à alimentação do corpo etérico e à manutenção da sua estrutura e da sua função. Mantém-se também um equilíbrio natural das energias yin/yang no corpo etérico. Com esse equilíbrio, a sensibilidade natural do corpo, proveniente do fluxo natural de sentimentos, produz uma percepção aumentada das sensações corpóreas, as quais, por sua vez, conduzem à adoção de uma dieta apropriada e ao exercício. O corpo etérico saudável sustenta e mantém um corpo físico saudável, em que os sistemas químico e físico permanecem equilibrados e normais, perpetuando a saúde física. No sistema de saúde, as energias de cada corpo permanecem equilibradas e suportam o equilíbrio nos outros corpos. Assim a saúde é mantida; isto é, saúde atrai saúde.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:47
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
 O que é? |  O que é?
Sábado, 14 de Fevereiro de 2009

Da Maturidade à Morte (o que se segue)

Á medida que o indivíduo se aproxima da velhice e da morte, podem ser acrescentados aos corpos de energia maiores graus de vibração superior. Os cabelos das pessoas assumem uma coloração branca brilhante, à medida em que a luz branca que lhes percorre o ser aumenta sua afinidade com o mundo espiritual. Agora, à relação “Eu-Tu” se acrescenta uma relação pessoal muito profunda com Deus. A energia terrena inferior, metabolizada através dos chakras inferiores, diminui e é firmemente substituída por energias superiores mais finas, que têm muito mais que ver com o espírito do que com a vida no plano físico. A pessoa está-se a preparar para regressar à casa no mundo espiritual. Quando esses processos naturais são compreendidos e se lhes permite desdobrarem-se desde o interior psíquico, a serenidade e o amor enchem a vida pessoal do indivíduo. As coisas ocupam os lugares à mercê do crescimento que se verificou no correr dos anos. O chakra do plexo solar, em especial, torna-se mais harmonioso. A pessoa é capaz de aumentar a profundidade da percepção que faz da vida (a despeito da diminuição da força física), uma coisa de interesse cada vez maior e de experiência cada vez mais rica. É lastimável que a nossa cultura, de um modo geral, não respeite nem utilize esse grande recurso de sabedoria e luz, como o fazem outras culturas. A vida não acaba com a morte. Ela determina apenas o final de mais uma passagem pela terra. No momento da morte, segundo Phoebe Bendit, um raio luminoso ilumina o topo da cabeça quando a pessoa deixa o plano da terra pelo chakra da coroa. A experiência de sair pelo topo da cabeça foi descrita muitas vezes como a passagem pelo túnel entre a vida e a morte, um longo túnel escuro com uma luz brilhante no fim. Pode dizer-se também que a “experiência do túnel” é a alma que sobe pela principal corrente de força do corpo ao longo da espinha e deixa o corpo na luz brilhante do chakra da coroa.

Por ocasião da morte, a alma é recebida por velhos amigos falecidos e pelos guias espirituais. Nesse momento, vê passar toda a sua vida muito rápida e claramente, de modo que não há engano possível quanto ao que aconteceu, às escolhas que foram feitas, às lições que foram aprendidas e às lições que ainda precisam ser aprendidas na próxima encarnação. Segue-se a isto um tempo de celebração da tarefa completada, e um tempo gasto no mundo espiritual antes de ser levada a cabo a encarnação seguinte.

Depois das pessoas morrem em consequência de uma longa enfermidade, são vistas, muitas vezes, a descansar, rodeadas por uma luz branca durante certo período de tempo após a morte. Fica-se com a impressão de que as mesmas estão a ser tratadas numa espécie de hospital do outro lado.

Num caso, vi Azrael guardando o portão. Enquanto a pessoa se contorcia, presa de dores profundas, perguntei a Azrael por que não a ajudava a morrer. E ele respondeu: “Ainda não recebi minhas ordens.” (Azrael é o anjo da morte e me parece muito forte e belo, e não aterrador como querem algumas fontes.)

A morte não é o que compreendemos, senão a transição de um estado de consciência para outro. Segundo Heyoan, já morremos ao esquecer quem somos. As nossas partes que se esqueceram estão separadas da realidade por um muro, e nós sujeitamo-nos à encarnação para as recuperar. Dai que, embora temam a morte, já morremos e, no processo encarnatório de reintegração com o nosso ser maior, realmente encontramos mais vida. Nas palavras de Heyoan, a única coisa que morre é a morte.

Durante a vida, separamos com uma parede as experiências que desejamos esquecer. Fazemo-lo de maneira tão eficaz que não nos lembramos de muitas delas. Encetamos o processo de separação pela parede no princípio da infância e continuamo-lo em todo o correr da existência. Essas peças da nossa consciência separadas pelo muro podem ser vistas no campo áureo em forma de obstruções. Diz Heyoan que a verdadeira morte já ocorreu na forma desse muro interior.

“Como você sabe, a única coisa que a separa de qualquer outra coisa é você mesma. E a coisa mais importante é que a morte já ocorreu nas suas partes emparedadas. Isso seria talvez, do nosso ponto de observação, a mais clara definição do que o ser humano cuida ser a morte. A morte é estar emparedado e separado. É esquecer quem é. Isso é a morte. Você já morreu. Você, de fato, encarnou para trazer à vida as suas partes que já estão no que você chama de morte, se algum dia usasse essa palavra. Essas partes já morreram.

“O processo da morte, que chamaríamos de transição para uma percepção maior, pode ser visto como um processo do campo energético. Descrevê-lo-emos agora para ajudá-la a compreender o processo da morte do ponto de vista áureo. Há uma lavagem do campo, uma clarificação, uma abertura de todos os chakras. Quando você morre, vai para outra dimensão. Há dissolução nos três chakras inferiores. Há dissolução, e note que dizemos dissolução, dos três corpos inferiores. Aqueles dentre vós que assistiram à morte de outros, viram a qualidade opalina das mãos, do rosto, da pele, qual madrepérola opalescente, e belas nuvens cor de opala flutuam no ar. Essas nuvens são os corpos inferiores de energia que servem para manter a união do corpo físico. Estão a desintegrar-se. Flutuam, e os chakras existentes abrem-se e deles escapam cordões de energia. Os chakras superiores são grandes buracos abertos noutras dimensões. De sorte que esta é a etapa inicial da morte, em que o campo de energia inicia a separação. As partes inferiores do campo de energia separam-se das superiores. Depois, nas três horas, mais ou menos, que cercam a hora da morte, ocorre uma lavagem do corpo, um baptismo, um baptismo espiritual do corpo em que a energia jorra como fonte logo acima da principal corrente de força vertical. Uma fonte de luz dourada flui e limpam-se todas as obstruções. A aura assume a cor do ouro branco. Como será isso experimentado pelo moribundo em termos de memória? Você já o ouviu. A pessoa vê a vida inteira a passar por ela. Justamente isso. Há os fenómenos concomitantes do campo de energia da lavagem da aura. Todas as obstruções desapareceram. Todas as experiências esquecidas dessa existência estão desobstruídas. Todas fluem através da consciência, e quando a pessoa se vai, vai-se a consciência. É a dissolução de muitas paredes criadas para o processo de transformação nessa determinada vida. Uma tremenda integração.

“Com a dissolução das paredes erguidas para esquecer no seu interior, você lembra-se de quem realmente é. Integra-se no seu Eu Superior e sente-lhe a leveza e a vastidão. Assim a morte, ao contrário da opinião popular, é uma experiência maravilhosa. Muitos de vocês já leram as descrições dos que foram declarados clinicamente mortos e voltaram à vida. Todos falam num túnel com uma luz brilhante no fim. Falam no encontro com um ser maravilhoso na extremidade do túnel. A maioria passa revista à própria vida e a discute com aquele ser. A maioria confessa que decidiu, por vontade sua, voltar ao mundo físico para completar o aprendizado, apesar de toda a maravilhosa beleza do local em que se encontra. A maioria já não tem medo da morte, mas a aguarda com ansiedade, como uma grande liberação para a serenidade.

“Nessas condições, é a sua parede que a separa desta verdade: o que você chama de morte é, na realidade, a transição para a luz. A morte que você imagina e experimentará pode ser encontrada dentro da sua parede. Todas as vezes que você se separa, de um modo ou de outro, morre uma pequena morte. Todas as vezes que obstrui a sua maravilhosa força vital, impedindo-a de fluir, está a criar uma pequena morte. Assim sendo, quando se lembra das partes separadas do seu Ser, e as reintegra em si mesma, você já morreu. Você volta à vida. Quando expande sua percepção, a parede no meio do mundo, a parede entre a realidade espiritual e a realidade física, dissolve-se. Assim a morte dilui-se, não é mais que a liberação da parede da ilusão quando você está pronta para prosseguir. E o que você é se redefine como a realidade maior. Você ainda é o seu Eu individual; quando deixa cair o corpo, mantém a essência do Eu. Sente a essência do Eu nas meditações futuras e passadas. O seu corpo físico morre, mas você passa para outro plano da realidade. Mantém a essência do Eu além do corpo, além da encarnação. E quando deixar o corpo, sente que é um ponto de luz dourada, mas sente, ainda assim, que é você mesma.”

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 17:33
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009

O Adulto…

P

assada a adolescência, os chakras e o padrão de energia usado pelo individuo estão estabelecidos. Todos os chakras assumiram uma forma adulta. Nesse ponto, o indivíduo tenta firmar-se e não pretende mais mudanças. Alguns são capazes de levar a efeito os seus desígnios nesse sentido e, com isso, fazem com que a vida se estagne em padrões seguros e estabelecidos de realidade claramente definida e limitada. A maioria das pessoas, suficientemente abalada pelas experiências de vida, vê que a realidade não é tão facilmente definível e continua a busca perpétua do sentido que a leve, através de um desafio constante, a experiências mais profundas de realização.

Na maturidade, o “Eu-Tu” expande-se para incluir a família pessoal, que cria a sua própria forma de energia. As energias que fluem pelo chakra da garganta ajudam-no a dar e receber pessoal. Enquanto o tempo passa, o “Eu-Tu” expande-se até incluir o indivíduo e o grupo. O coração pode abrir-se para abranger não só o amor da companheira e dos filhos, mas também da humanidade. Quando o terceiro olho se abrir para as vibrações mais elevadas, começamos a observar a unidade de todas as coisas e podemos ver, ao mesmo tempo, a preciosidade única de cada alma dentro da unidade.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:12
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009

Muito trabalho a fazer...

Foi no ano de 2000 que entrei neste maravilhoso universo do Reiki. Conforme os dias vão passando, cada vez mais sinto que tomei o caminho certo ao escolher o Reiki como uma filosofia de vida. Este maravilhoso legado que nos foi deixado pelo Sensei Mikao Usui começou por ser aplicado aos mendigos nos subúrbios de Tóquio, o que faz com que esta inabalável fonte de recursos deva ser acessível a todas as pessoas, do mais pobre ao mais rico. É com base nestes princípios e principalmente no Amor Incondicional que faço Palestras, Workshops, Cursos, Tratamentos e Sessões em vários locais, no Algarve regularmente, no Baixo Alentejo com alguma regularidade e noutras zonas do país caso me solicitem para tal. O Reiki pode também desempenhar um papel social bastante importante, pois pode ser utilizado no apoio domiciliário a idosos, nos lares e centros de dia, cuidados paliativos, apoio a grávidas, associações desportivas e outras de apoio social. Neste sentido estou a desenvolver alguns esforços para que isso seja possível com o apoio de entidades locais ou regionais. No ano transacto tomei a iniciativa de elaborar uma proposta de cariz social a uma entidade do poder local que, após análise definiram esta Terapia Japonesa/Tibetana com a palavra subjectivo. Discordo veementemente na medida em que há imensos testemunhos e casos de sucesso de aplicação da mesma, mesmo por profissionais (médicos, enfermeiros e farmacêuticos) qualificados na área de saúde, pelas entidades governamentais, mas como quem manda manda, e neste caso quem ficou a perder não fui eu mas as pessoas que podiam beneficiar desta terapia e assim, nesses moldes, não puderam usufruir. Muitas outras coisas podia adicionar a este pequeno texto, mas não pretendo maçar com estas coisas. Para finalizar, estou a pensar lançar em Abril, o livro comemorativo dos dois anos do blogue, onde estarão reunidos os melhores post’s que aqui tenho escrito, o que acham? Gostava de saber as vossas opiniões.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Muito ZEN...
Publicado por Viktor às 09:16
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

Iniciação ou Nível I

Caros leitores, amigos, internautas, Senhoras e Senhores,

No próximo dia 22 de Fevereiro, realizar-se-á um Curso de Iniciação ao Reiki Nível I ou 1º Grau, em ALBUFEIRA, num ambiente harmonizado onde poderá usufruir da calma necessária ao evento. O referido curso será limitado a 10 inscrições, para que assim se consiga manter um bom nível formativo e participativo. Esta escola de Reiki é associada da Associação Portuguesa de Reiki. Mais informações e esclarecimentos serão fornecidos por e-mail ou telemóvel. Serão afixados cartazes alusivos ao evento em diversos locais da região.

Não percam esta oportunidade…

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 15:00
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
::: GUESTBOOK :::

.Procurar no Blog

 

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Lisboa, Loures, Porto, Odemira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: Partilhas de um Ser - APR
CURRENT MOON
------------------------------- REIsocialKI: Projecto Social em Prol do Semelhante

Divulga também a tua página -------------------------------

.LINKs

.posts recentes

. Reflexão: O Reiki em inúm...

. Agenda de Outubro

. Reflexão: A mesquinhez hu...

. Agenda de Junho

. Relexão: Guias...

. Reflexão: Semifrio de Emo...

. Consultas Holísticas

. Actividades em Abril - Re...

. Reflexão: Caminho do Amor

. Agenda... de Março

. Formações em Agenda

. Reflexão: A Infelicidade…

. Ensinamentos em Poesia

. Curso de iniciação ao Rei...

. Hoje em Poesia

. Reflexão: Lixo Invisível…

. Curso de Iniciação ao Rei...

. Brevemente... Reiki e Kar...

. Proximas actividades em a...

. Curso de Iniciação ao Rei...

. Ainda em novembro

. Reflexão: A Essência do R...

. Reflexão: A Humanidade…

. Atividades em outubro

. Reflexão: A Integridade h...

. Reflexão: A Paz Interior…

. Actividades em Agosto

. Reflexão: Fontes do sofri...

. Actividades em Agenda

. Agenda de Maio

.Arquivos

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.subscrever feeds

.tags

. todas as tags

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31