.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014

Reflexão sobre Karuna

Caros leitores,

     Hoje em dia o Ser humano tenta viver ou sobreviver, numa sociedade dita democrática mas onde os valores morais e colectivos foram quase extintos. A maioria dos seres só pensa neles próprios e no seu bem-estar, o que é incorrecto, pois ninguém vive só em completo isolamento, pois tem sempre de interagir com o seu meio envolvente. Como penso ser do conhecimento colectivo, sempre que a humanidade teve de ultrapassar tempos de “agitação social”, todos os seres que ocupam cargos relevantes (governos, igrejas, etc…) falam no aumento da caridade e ajuda mútua entre os seres. São sem dúvida palavras bonitas, mas que apenas servem de consolo psicológico para quem ouve, pois quem as diz falam, falam, falam, mas nada fazem. Falar apenas para ficar “bem na fotografia” ou para a “imagem” que pretendem manter, são apenas jogos psicológicos que fazem com que o povo acredite em tais palavras, mas que servem apenas para encobrir o verdadeiro “estado social” e dar certo alento às pessoas. Em verdade lhes digo que o que a sociedade precisa é de compaixão e não caridade. Sim compaixão, porque esta define-se como uma “dádiva desinteressada” agindo para com a outra pessoa como gostaríamos que agissem connosco e cuja única retribuição que esperamos é o bem-estar e felicidade da outra pessoa.

     Em meu entendimento, para se poder praticar a compaixão são necessários anos de dedicação, devoção e aprendizagem. Uma das “ferramentas” que nos pode auxiliar nessa tarefa é do Karuna [energia da compaixão], pois é uma técnica que está directamente ligada à compaixão e aos elevados seres compassivos que emanam energia compassiva para o planeta. Esta terapia permite-lhe sentir em si o mesmo que sente a pessoa que pretende ajudar, o que é uma preciosa ajuda para ambos, permitindo que o terapeuta seja eficaz e o receptor fique mais feliz. Praticar a compaixão é algo que leva o seu tempo, variando de pessoa para pessoa, porque cada caso é um caso e aquilo que uns demoram 2 horas a entender outros necessitam de 2 semanas ou 2 meses. Karuna, é uma dos mais belos ramos do Reiki, mas com maior profundidade e eficácia, permitindo tratar abusos infantis, ataques psicológicos, abusos físicos, traumas e todos os problemas associados ao nosso passado. Após a formação, são 21 dias de purificação interior onde se vão operar grandes limpezas no seu Ser, que lhe vão proporcionar mudanças muito positivas em si e em quem o rodeia.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 16:34
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 30 de Março de 2012

A importância do pensamento

 

     O veículo necessário para a manipulação energética é o pensamento. Para falar sobre este assunto necessitamos, mesmo que rudimentarmente, de falar um pouco sobre o Perispírito, também conhecido como Corpo Astral pelos teosofistas. Este corpo energético é o responsável pela expressão dos seus desejos e consciência.

     O seu campo de energia não é, necessariamente, de natureza electromagnética. Mas costuma-se definir assim devido aos nossos ainda limitados conhecimentos físicos dessa realidade subtil e astral. O importante, porém, é sabermos que o nosso Corpo Astral é o veículo para que possamos expressar nossas paixões, sentimentos, desejos e emoções. Ele serve de intermediário entre o Corpo Mental (ou apenas mente) e o Corpo Físico. Em suma, trata-se de um veículo de consciência e de acção responsável pela transmissão de vibrações, tanto do plano físico para o mental ou vice-versa. Noutras palavras, como o Corpo Físico limita-se a colher no mundo exterior as vibrações daí provenientes, e estas ao chegar ao Corpo Astral, são transformadas em sentimentos como amor, ódio, prazer, dor, alegria, etc.

     Porém, o que mais nos interessa no momento é que, a matéria astral, se é que assim nos podemos referir a esse tipo de energia, é plasmada pela emissão de pensamentos. Os nossos sentimentos imprimem nessa mesma matéria astral determinadas cores, variando conforme a intensidade dos mesmos. Daí o facto da Cromoterapia ser uma técnica importante e que deveria ser conhecida por todos os interessados em cura. E a cor, a forma, a nitidez e a duração da energia são determinadas pela qualidade do pensamento e da emoção, como também pela intenção e vontade do curador.

     Assim, o que necessitamos para enviar bons fluidos é, em primeiro lugar, aprender a controlar os nossos pensamentos e emoções, além de ter vontade de servir ou de se doar. E onde entram os símbolos do Reiki? Estes representam ensinamentos morais que ajudam a pessoa a concentrar-se numa realidade superior. Em suma, ajuda a pessoa a despertar, lentamente, o kundalini adormecido. Cada símbolo está intimamente ligado a um chakra e à sua respectiva energia, pois, apesar do prana ser uno, manifesta-se em sete variedades principais e com funções psíquicas diferentes.

     Assim temos sérias dificuldades para mentalizar o abstracto. Por isso, em quase todas as culturas, criam-se determinados objectos ou símbolos que são catalisadores para facilitar e orientar a emissão do pensamento e da energia. Com o REIKI acontece o mesmo.

     Devemos sempre ressaltar que o pensamento dinâmico pode criar energia positiva ou negativa. Daí inúmeros “acidentes” podem acontecer quando o praticante traça correctamente o símbolo, mas fica durante toda a sessão a emitir pensamentos negativos ou se esta descontrolado emocionalmente. Além disso, pela “Lei do Karma”, toda e qualquer emissão de pensamento, quer positivo ou negativo, terá um efeito sobre aquele que o manifestou.

     A energia emitida pelo REIKI é a mesma energia estudada e classificada como “força ódica”, por Reinchenbach, ou “energia bioplásmica” ou “psicotrónica”, segundo vários cientistas da antiga União Soviética e da Checoslováquia. Desde a Antiguidade, sabe-se que essa energia pode ser transferida de indivíduo para indivíduo, pela imposição das mãos ou a distância, através da vontade, da oração sincera e pura ou do pensamento elevado. Através da vontade sincera é possível emitir uma ou outra qualidade de prâna, de acordo com a finalidade a que nos propomos.

     Como é a vontade e o pensamento que produzem a emissão de fluidos e não os símbolos, ser um reikiano não garante a qualidade das vibrações emitidas, de aí a importância da empatia energética com o terapeuta ou mestre.

     Os símbolos favorecem a imaginação e a concentração numa realidade superior. Está a aumentar a quantidade de reikianos que percebem, na prática, que é necessário estar concentrado para enviar REIKI; que é necessário elevar o pensamento e/ou fazer uma prece; que após algumas sessões seguidas a pessoa sente algum cansaço etc. O simples acto mecânico de traçar um determinado símbolo não é suficiente se faltar a vontade e o desejo de enviar bons fluidos para o receptor. Por mais redundante que possa parecer, o papel do símbolo está na sua dimensão simbólica, ou seja, em representar um ensinamento de cunho moral capaz de elevar o padrão vibratório de cada praticante, precisamente o que a maioria dos cursos de REIKI acaba por deixar de lado. Os símbolos servem, em suma, para disciplinar o pensamento e a vontade.

 ADILSON MARQUES

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 20:00
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 7 de Março de 2012

A Importância do Perdão…

Caros leitores,

     Todos nós queremos, a cada dia que passa, sermos cada vez melhores Seres. (quando digo melhor refiro-me ao crescimento individual de cada um, o que é muito diferente da concorrência entre os seres) Queremos crescer e ser jovens, ter uma namorada, ser adultos, ter um carro, uma casa, a nossa independência, constituir família, ter filhos, enfim, tanta coisa que faz parte do nosso crescimento. Contudo, neste mais ou menos longo caminho de vida, inúmeras pessoas se cruzam no nosso caminho, familiares, amigos, conhecidos ou simplesmente aqueles que se cruzam no nosso horizonte visual. A experiência que tenho adquirido ao longo da vida leva-me a dizer com convicção: “Nada acontece por acaso”. Todas as pessoas que se cruzam na nossa vida são os “mestres” que, surgindo sem aviso, nos vêm testar no nosso caminho de evolução e ascensão. Estes testes são fundamentais para termos consciência do nosso grau de evolução interior enquanto seres humanos, pois vão testar as nossas capacidades nos mais variados níveis. Para melhor entenderem vou dar um exemplo:

     Certo dia uma determinada pessoa chega ao pé de si e começa a dizer-lhe na “cara” mal de si, insultá-lo, com uma enorme carga negativa para cima de si. Você não gosta e responde utilizando palavras menos próprias, e depois dessa pessoa lhe dizer tudo o que queria vira-lhe as costas deixando-o ali “prostrado”. Este teste deixa-o zangado, irritado, indignado, emocionalmente instável, fisicamente parece que ficou com um buraco no estômago entre outras coisas, então o que significa isso? Essa pessoa foi o “mestre” que de repente lhe fez um teste surpresa (tal como na escola), teste no qual você teve nota negativa, porque em primeiro lugar respondeu ao insulto com insulto, em segundo porque ficou emocionalmente debilitado e fisicamente se deixou afectar pela energia negativa das palavras recebidas. Moral da história: tem de aprender a controlar a sua impulsividade, aprender os contornos da lei da aceitação e a responder apenas com o amor que tem no coração e não apenas com as palavras que vêm directamente da mente para os lábios.

     Assim, para o desenvolvimento de cada um de nós, sigamos o maravilhoso exemplo de Jesus Cristo que foi mal tratado, humilhado, torturado e enxovalhado e apenas disse: “Pai, perdoa-os que não sabem o que fazem”. Vamos então ter a coragem de pedir desculpa quando erramos e dizer que amamos aqueles que nos tentam “prejudicar” (humanamente falando) ou seja, que vão testando o nosso grau de evolução interior, de amor no nosso coração. Deixo-lhes um miminho em vídeo que vos pode ajudar nessa tarefa.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Estado de Espiríto: Feliz por partilhar com todos
Publicado por Viktor às 18:00
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011

Reflexão… humanidade...

Caros Irmãos,

     Todo Homem que observa e reflecte não pode dissimular que a sociedade moderna atravessa uma crise ameaçadora. Uma profunda decomposição a corrói surdamente. Os ódios que dividem as classes, o engodo do lucro, o desejo dos gozos, tornam-se a cada dia mais rudes, mais ardentes. Quer-se possuir a todo preço. Todos os meios são bons para adquirir o bem-estar, a fortuna, único objectivo que se julga digno da vida. Tais aspirações não podem produzir senão duas consequências: o egoísmo impiedoso entre os felizes, o desespero e a revolta entre os infortunados. A situação dos pequenos, dos humildes é dolorosa, e muito frequentemente, mergulhados numa noite moral onde nenhuma consolação ilumina, são levados a procurar no suicídio o fim de seus males.

     O espectáculo das desigualdades sociais, os sofrimentos de uns, em oposição às aparentes alegrias e a indiferença de outros, atiçam entre os deserdados ardentes cobiças. Daí então a reivindicação de bens materiais se acentua. Basta que as massas inferiorizadas se levantem, e o mundo estará perto de ser abalado por atrozes convulsões.

     A ciência é impotente para conjurar o mal, recuperar caracteres, curar as feridas dos combates da vida. Na realidade na nossa época, quase que só existem ciências especializadas em certos aspectos da natureza, reunindo fatos, trazendo ao espírito humano uma soma de conhecimentos que lhe é própria. Foi assim que as ciências físicas se tornaram prodigiosamente enriquecidas após meio século, mas nessas construções falta o laço de união e de harmonia. A ciência por excelência, aquela que da série de fatos remonta à causa que os produziram, que deve religar, unir essas diversas ciências numa grande e magnífica síntese, fazendo brotar uma concepção geral da vida, fixando os nossos destinos, destacando uma lei moral, uma base de melhoria social, esta ciência universal, indispensável, ainda não existe.

     Se as religiões agonizam, se a fé vigilante morreu, se a ciência está impotente para fornecer ao homem o ideal necessário, para regulamentar sua marcha e melhorar as sociedades, ficaremos todos, então, sem esperança?

     Não, porque uma doutrina de paz, fraternidade e progresso se eleva sobre o mundo conturbado, vindo apaziguar os ódios selvagens, acalmar as paixões, ensinar a todos a solidariedade, o perdão, a bondade e o AMOR.

     Ela oferece à ciência esta síntese, aguardada, sem a qual tudo permaneceria para sempre em estado estéril. Triunfa da morte e, para adiante desta vida de provas e de males, abre ao espírito as perspectivas radiosas de um progresso sem limites na imortalidade.

     Diz a todos: Venham a mim, eu os aquecerei, os consolarei, tornarei as vossas vidas mais doces, a coragem e a paciência mais fáceis, as provas mais suportáveis. Acalmarei com uma poderosa razão os seus obscuros e tortuosos caminhos. Àqueles que sofrem darei a esperança; aos que procuram, darei a luz; aos que duvidam e desesperam, darei a certeza e a fé.

     Diz ainda: «Sejam irmãos, ajudem-se, socorram-se em sua marcha colectiva. Os seus objectivos estão além desta vida material e transitória; será nesse porvir espiritual que vocês se reunirão como membros de uma só família, ao abrigo das preocupações, das necessidades e dos inúmeros males. Mereçam-no então pelos seus esforços e trabalhos!»

     A humanidade se erguerá grande e forte no dia em que esta doutrina, fonte infinita de consolações, for compreendida e aceite. Nesse dia, a inveja e a raiva se extinguirão no coração dos pequeninos; o poderoso, compreendendo que tem sido fraco, e que pode redimir-se, que a sua riqueza é apenas um empréstimo do alto, tornar-se-á mais caridoso e mais dócil com os seus irmãos infelizes. A ciência, concluída, fecundada pela nova filosofia, verá cair diante dela as superstições e as trevas. Não mais ateus e cépticos. Uma fé simples, grande, fraterna, se estenderá sobre as nações, fazendo cessar os seus ressentimentos e as profundas rivalidades. A Terra, liberta dos flagelos que a devoram, prosseguindo a sua ascensão moral, elevar-se-á um degrau na escala dos mundos.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Estado de Espiríto: Feliz por partilhar com todos
Música: M80
Publicado por Viktor às 11:02
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 3 de Setembro de 2010

Esclarecimentos sobre Sessões

Caros leitores,

Há uma coisa que deve ser bem explicada às pessoas, pois muitas associam o Reiki às massagens e não é nada que se pareça com isso. Em primeiro e por questões éticas, uma pessoa pode receber Reiki vestida ao contrário das massagens onde o paciente tem de se despir. Nas massagens o terapeuta manipula o corpo do cliente com as mãos e numa sessão de Reiki o terapeuta apenas faz a imposição das mãos em forma de concha nas posições que aprendeu ou como lhe seja indicado pela sua intuição. Mas não sendo massagista e para não dizer algo errado cometendo uma gafe, vou apenas focalizar-me no Reiki.

Para melhor compreenderem o que seguidamente lhes vou explicar tenho de lhes dizer uma coisa, os Reikianos são todos iguais e todos diferentes pois pese embora todos pratiquem o amor incondicional como canais energéticos, cada um tem a sua forma própria de fazer a imposição pois pode efectuar as que aprendeu ou deixar-se levar pela sua intuição. Pela experiência que tenho e pelo que tenho constatado também, quando faço uma aplicação ou sessão de Reiki, encosto sempre as mãos ao paciente, à excepção de quando coloco a não sobre o primeiro chakra (situado na base da coluna sobre o órgão sexual do paciente), no qual coloco a mão a 3 a 4 dedos de altura, por questões éticas, morais e de respeito pois o toque nessa zona provoca desconforto e “incomoda o relaxamento mental” do qual o paciente usufrui aquando da sessão. Ao encostar levemente a mão na pessoa, o terapeuta tem uma melhor percepção da canalização energética que está a fazer, bem como o de saber ou não se aquele chakra necessita ou não de mais energia para remover algum bloqueio que se encontre mais oculto. Para usufruir de uma sessão de Reiki a pessoa pode estar em pé, sentada ou deitada, sendo que quanto mais confortável esteja o paciente mais relaxado ficará e com mais facilidade poderá sentir as energias que lhe estão a ser passadas. É também importante a posição em que o terapeuta se encontra, pois se não o estiver a fazer confortavelmente, poderá estar a gerar algum desconforto físico (bloqueio) que depois irá “sugar” uma parte da energia que está a canalizar, deixando assim de ser benéfico para ambas as partes.

Para terminar vou relatar aqui uma situação que se passou comigo para que possam ter conhecimento de como a ignorância acerca das coisas pode levar as pessoas a dizerem as maiores barbaridades.

Um certo dia um rapaz disse-me: “Mestre, quando estás a fazer Reiki lá àquelas moças todas jeitosas não ficas excitado?”. Ao ouvir isto frisei as sobrancelhas, encolhendo os ombros e fazendo uma cara estranha respondi: “Rapaz, tu não estás a quilómetros nem a léguas, estás a anos-luz do que eu estou a fazer.”. Isto serve apenas para que tenham consciência do tipo de pensamento que podem ter as pessoas cépticas que em nada disto acreditam.

Nada mais tendo a acrescentar, deixo-lhes um vídeo para ficarem esclarecidos sobre o que é uma sessão de Reiki.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 11:53
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 23 de Julho de 2010

Reiki na Antiguidade

Há registos acerca da utilização desta técnica holística terapêutica no Tibete que remontam ao Século VII. Estes encontram-se escritos por um dos mais respeitados Monge Professor daquela época, Tse Wang Rigzin. A Terapia Reiki, cujo nome em Tibetano é “Tsi Dup Yang Bod”, sendo esta a mais antiga prática de cura proveniente da civilização Bör (ou Bon), que foram os mais antigos habitantes daquela região e como tal definem-se como população nativa do Tibete (há registo dessa civilização pelo menos três mil anos antes de Cristo), anterior à própria chegada do Budismo ao Tibete, oriundo da Índia.

O nome REIKI foi-lhe atribuído por Mikao Usui. Caso pergunte a um cidadão japonês algo sobre Reiki e ele disser que não conhece não fique admirado. Pois esta técnica de cura natural era uma prática comum na Marinha japonesa (guardada como se de um tesouro nacional se tratasse) até a II Guerra Mundial, altura em que o Japão foi derrotado e muitos dos arquivos perdidos nas constantes mudanças de instalações. Com o orgulho, estima e auto-confiança em baixo, foram tomadas algumas medidas menos coesas como a proibição das práticas terapêuticas holísticas nos primeiros anos após conclusão da guerra, o que não foi o mais coerente pois, nessa altura, toda a ajuda era pouca para elevar a moral e auto-estiva do povo japonês e, tendo esta terapêutica uma incidência na integridade do Ser nos seus 4 níveis (físico, emocional, mental e espiritual) seria uma grande mais valia para todos eles.

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Estado de Espiríto: Repleto de Amor Incondicional
Música: M80
Publicado por Viktor às 11:34
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Abalos Morais e Roteiro Seguro

N

inguém se deve deixar abater. Há momentos na vida em que os abalos morais - alguns de grande intensidade - sacodem, impiedosamente, a alma humana. A esta, porém, não faltam forças para reagir e dominar a situação, principalmente quando se apoia no conhecimento da vida real e da verdade. São esses conhecimentos as suas armas e os seus escudos mais fortes porque, quando bem manejados, levam sempre ao triunfo.

Quantas e quantas vezes a simples partida de um ente querido para o além - coisa tão natural na vida - conduz ao inconformismo, à aflição e ao desespero!

Com isto o espírito desencarnado, não esclarecido, aflige-se, sofre, procura intuir para acalmar e, como não o consegue, acaba por se tornar obsessor, perturbando e levando à obsessão o intuído.

O melhor procedimento dos que ficam para com os que partem é elevar o pensamento à Forças Superiores com firmeza e convicção, envolvendo-os na ternura e no calor da irradiação amiga para auxiliá-los a romper a camada atmosférica terrestre e a seguirem para os mundos a que pertencem.

Empenha-se o Racionalismo Cristão em oferecer aos seres humanos um roteiro seguro para uma vida sadia e evolutiva.

Grande parte da humanidade é vítima da obsessão, exactamente por desconhecer os recursos, os elementos, os meios que tem ao seu alcance para evitá-la ou livrar-se dela.

Alguns sintomas do estado inicial da obsessão podem ser observados nos seguintes casos:

1º.  Tendência para dar risadas sem motivo ou a pretexto de coisas fúteis;

2º. Vontade de chorar, sem razão plausível;

3º. Comer exageradamente;

4º. Estar sempre com sono;

5º. Sentir prazer na ociosidade;

6º. Exteriorização de manias;

7º. Ideias fixas;

8º. Fazer gracinhas tolas;

9º. Amofinar, persistentemente, o próximo;

10º.   Repetir, mecanicamente, o mesmo dito;

11º.    Deixar-se dominar por paixões;

12º.   Prevenções descabidas;

13º.   Casmurrices;

14º.   Práticas viciosas;

15º.   Actos de ostentação;

16º.   Explosões temperamentais;

17º.   Mistificação;

18º.   Dizer mentiras;

19º.   Expressar-se licenciosamente;

20º.  Revelar covardia;

21º.   Usar palavrões;

22º.  Demonstrar fanatismo;

23º.  Gesticular e falar sozinho;

24º.  Ser sistematicamente importuno;

25º.  Ouvir e ver coisas fantásticas;

26º.  Gastar acima do que deve e pode;

27º.  Manias de doença;

28º.  Descuidar-se das obrigações no lar e no trabalho;

29º.  Abandonar os deveres caseiros, ausentando-se do seio da família;

30º.  Viver num mundo distante, sonhadoramente; e,

31º.   Provocar ou alimentar discussões.

Qualquer destas atitudes, ainda mesmo quando não constitua um estado de anormalidade mental adiantada, predispõe à obsessão.

Não é demais insistir neste ponto: a linguagem dos espíritos desencarnados é o pensamento. Pelo pensamento identificam eles os sentimentos das criaturas, as suas intenções e tendências, e disso se prevalecem os obsessores para estimular, pela intuição, os vícios e as fraquezas humanas.

Por higiene mental, não se deve pensar em intrigantes, caluniadores, desafectos e, em geral, nas pessoas de maus sentimentos.

Pensar em tais seres é ligar-se à sua má assistência espiritual, receber influências malignas e correr o risco de avassalamento.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:07
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quinta-feira, 30 de Abril de 2009

Segue Somente o CRISTO

Nosso Senhor Jesus Cristo é o nosso Caminho. Ele acordou-nos para a razão. Até hoje segue os nossos passos, esperando que despertemos para o Amor, aquele amor que serve sem trocas transitórias, sem averiguações indesejadas, desprendendo-se dos interesses próprios.

Corres sempre o risco de errar ao seguires homens na Terra, mesmo que sejam os mais entendidos. Ainda resta muita coisa por fazer em todas as condutas, daí o perigo de caíres com eles em erros graves. Segue somente o Cristo, por ser somente Ele o Caminho, a Verdade e a Vida.

É justo que devas apreciar os dotes alheios, examinar os grandes personagens da história, mas procedendo como fez e falou Paulo de Tarso: retirar o que for conveniente e prosseguir o teu próprio caminho. A criatura encarnada, por mais virtuosa que seja, ainda está presa, de certo modo, às trevas do passado. A sua situação actual encontra-se ligada a situações por enquanto instáveis, sujeita a novos deslizes. E quem a segue de olhos fechados, sem o discernimento da razão, está sujeito a cair com ela na fossa do desespero.

Na Terra não há nada definitivo, estando tudo sujeito a constantes mutações. A verdade é relativa em todos os ângulos e as pessoas devem mudar com a força do progresso espiritual. A evolução do Cristo está fora do ambiente terreno. Ele é conhecedor de todas as nossas necessidades, o Engenheiro Sideral mais iluminado, Pastor de todo o rebanho do planeta. Quem segue homens deixa-se influenciar por eles e quem caminha com JESUS é cuidadoso no equilíbrio, de sorte a plasmar somente o que suporta, na sua estrutura de vida.

É certo que participes da religião ou filosofia que preferires. No entanto, deves habituar-te a carregar a tua própria cruz, conhecer os teus problemas e construir o teu reino, onde serás o deus. Não deixes que palavras bonitas e bem postas de pregadores e tribunos de todas as espécies te prendam, associando as ideias deles às tuas, como sendo pensamentos condicionados, quando a Sua fala esteja em conflito com as leis divinas. Prepara-te para analisares o que ouves, seja de quem for, porque és diferente daquele que fala e as tuas necessidades nem sempre são iguais às dele. Deves procurar o teu próprio caminho e seres o instrutor de ti mesmo, sem, contudo, desconsiderar o que foi bom para muitos.

A experiência alheia muito nos ajuda, porém, como estudo para que tomemos as nossas decisões. Naturalmente devemos ouvir os companheiros que têm o dom da palavra. Entretanto, não devemos nos deixar guiar por eles. Existem muitos tipos de alimentos que servem para manter a nossa vida física. Todavia, o próprio organismo rejeita certas espécies. Assim é no campo do espírito. Tudo o que existe, certamente o é por lei. Entrementes, nem tudo convém ser assimilado. E, para isso, procuremos JESUS pela oração, que Ele nos ensinará a escolher o que de melhor possamos receber. O Mestre é, por excelência, o Pastor inconfundível, que deve ser despertado em nós por amor a nós mesmos e por obediência ao Nosso PAI CELESTIAL.

Cirurgia Moral

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:06
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quinta-feira, 19 de Março de 2009

Diferentes estados da Alma na Erraticidade

Não se turbe o vosso coração. - Credes em Deus, crede também em mim. Há muitas moradas na casa de meu Pai; se assim não fosse, já eu vo-lo teria dito, pois me vou para vos preparar o lugar. - Depois que me tenha ido e que vos houver preparado o lugar, voltarei e vos retirarei para mim, a fim de que onde eu estiver, também vós aí estejais.

( S. JOÃO, cap. XIV, vv. 1 a 3.)

A casa do Pai é o Universo. As diferentes moradas são os mundos que circulam no espaço infinito e oferecem, aos Espíritos que neles encarnam, moradas correspondentes ao adiantamento dos mesmos Espíritos.

Independente da diversidade dos mundos, essas palavras de Jesus também podem referir-se ao estado venturoso ou desgraçado do Espírito na erraticidade. Conforme se ache este mais ou menos depurado e desprendido dos laços materiais, variarão ao infinito o meio em que ele se encontre, o aspecto das coisas, as sensações que experimente, as percepções que tenha. Enquanto uns não se podem afastar da esfera onde viveram, outros se elevam e percorrem o espaço e os mundos; enquanto alguns Espíritos culpados erram nas trevas, os bem-aventurados gozam de resplendente claridade e do espectáculo sublime do Infinito; finalmente, enquanto o mau, atormentado de remorsos e pesares, muitas vezes insulado, sem consolação, separado dos que constituíam objecto de suas afeições, pena sob o guante dos sofrimentos morais, o justo, em convívio com aqueles a quem ama, frui as delícias de uma felicidade indizível. Também nisso, portanto, há muitas moradas, embora não circunscritas, nem localizadas.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

 

Publicado por Viktor às 02:04
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

O Caminho do Ser

A evolução dos mundos e das almas é regida pela vontade divina, que penetra e dirige toda a natureza, mas a evolução física é apenas a preparação da evolução psíquica, e a ascensão das almas prossegue muito além da cadeia dos mundos materiais.

O que impera nas baixas regiões da vida é a luta ardente, o combate sem trégua de todos contra todos, a guerra perpétua na qual cada ser se esforça para conquistar um lugar ao sol, quase sempre em prejuízo dos outros. Essa luta furiosa arrasta e destrói todos os seres inferiores nas suas agitações. O planeta é como uma arena onde se desenrolam incessantes lutas.

A natureza renova incessantemente esses exércitos de combatentes.

Na sua fecundidade prodigiosa, gera novos seres; mas logo a morte os ceifa nas suas estreitas fileiras. Essa luta, espantosa à primeira vista, é necessária para o desenvolvimento do princípio de vida. Ela dura até o dia em que um raio de inteligência vem iluminar as consciências adormecidas. É na luta que a vontade se apura e se afirma; é da dor que nasce a sensibilidade.

A evolução material, a destruição dos organismos, é apenas temporária: representa a fase primária da epopeia da vida. As realidades imortais estão no espírito. Só ele sobrevive a esses conflitos bárbaros. Todos esses envoltórios passageiros são apenas vestimentas que se vêm adaptar à sua forma fluídica permanente.

Cobre-se de vestuários para representar os numerosos actos do drama da evolução no vasto palco do universo.

Emergir grau a grau do abismo da vida para se tornar espírito, génio superior, e isso pelos seus próprios méritos e esforços; conquistar seu futuro hora a hora; libertar-se mais todos os dias do domínio das paixões, libertar-se das sugestões do egoísmo, da preguiça e do desânimo; resgatar-se pouco a pouco das suas fraquezas e ignorância, ajudando os seus semelhantes a serem resgatados e por sua vez, arrastando todo o meio humano para um estado mais elevado: eis o papel destinado a cada alma. E ela tem, para desempenhar esse papel, toda a série de existências inumeráveis na escala magnífica dos mundos. Tudo o que vem da matéria é instável: tudo passa, tudo foge.

As montanhas vão pouco a pouco abatendo-se sob a acção dos elementos; as maiores cidades transformam-se em ruínas; os astros iluminam-se, resplandecem, depois apagam-se e morrem; só a alma imortal paira na duração eterna.

O círculo das coisas terrestres aperta-nos e limita as nossas percepções; mas quando o pensamento se liberta das formas mutáveis e abrange a extensão dos tempos, vê o passado e o futuro juntarem-se, vibrarem e viverem o presente. O canto de glória, o hino da vida infinita, enche os espaços; sobe do interior das ruínas e dos túmulos; sobre os destroços das civilizações mortas surgem novas existências. A união faz-se entre as duas humanidades, visível e invisível, entre aqueles que povoam a Terra e aqueles que percorrem o espaço. A voz deles chama, responde, e esses ruídos, esses murmúrios, embora vagos e confusos para muitos, tornam-se para nós a mensagem, a palavra vibrante, que afirma a comunhão do AMOR UNIVERSAL.

Tal é a complexidade do carácter do ser humano [ESPÍRITO, ENERGIA e MATÉRIA] em que se resumem todos os elementos constitutivos e todas as potências do universo. Tudo o que está em nós está no universo, e tudo o que está no universo se encontra em nós. Pelo seu corpo fluídico e pelo seu corpo material o homem encontra-se ligado à imensa teia da vida universal e, pela sua alma, a todos os mundos invisíveis e divinos. Somos feitos de sombra e de luz.

Somos a carne com todas as suas fraquezas e o espírito com suas riquezas latentes, suas esperanças radiosas, seus voos magníficos.

E o que está em nós encontra-se em todos os seres. Cada alma humana é uma projecção do grande foco eterno. É isso o que consagra e assegura a fraternidade dos homens. Temos em nós os instintos animais, mais ou menos comprimidos pelo longo trabalho e pelas provas das existências passadas, e temos também a crisálida do anjo, do ser radioso e puro, em que nos podemos tornar pela impulsão MORAL, pelas aspirações do coração e pelo sacrifício constante do “EU”. Tocamos com os pés as profundezas obscuras do abismo e, com a fronte, as altitudes ofuscantes do céu, o império glorioso dos espíritos.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:26
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Domingo, 11 de Janeiro de 2009

AMÉRICO MONTAGNINI

PROF. AMÉRICO MONTAGNINI Nascido na cidade de São João da Boa Vista, Estado de S. Paulo, no dia 1º de maio de 1897, e desencarnado em S. Paulo, no dia 29 de novembro de 1966.

      Na história do Espiritismo paulista um lugar de destaque é reservado ao Prof. Américo Montagnini, quer seja pela sua atuação incessante, quer pelo seu grande esforço em favor do engrandecimento da causa comum que esposamos.

      Montagnini foi presidente da tradicional Associação Espírita São Pedro e São Paulo, uma instituição que prestou inestimáveis serviços ao Espiritismo, numa época quando ele era mal compreendido e olhado por muitos com reservas. Essa associação teve a sua sede na rua Barão de Paranapiacaba nº 7, na capital do Estado de S. Paulo, tendo passado por ela grandes vultos espíritas, dentre eles os Drs. Augusto Militão Pacheco e Pedro Lameira de Andrade.

      Pertencendo ao quadro directivo dessa famosa entidade espírita, o Prof. Montagnini foi um dos elementos que mais propugnaram para que tanto a Associação Espírita S. Pedro e S. Paulo como a Sociedade Metapsíquica de S. Paulo se extinguissem, fundindo-se numa nova instituição: a Federação Espírita do Estado de S. Paulo, com um programa muito mais vasto e arrojado.

      Desta forma, no dia 12 de Julho de 1936, com a fundação da Federação, Montagnini passou a lhe dar todo o concurso possível. Com a renúncia, em 10 de Dezembro de 1939, do então presidente da instituição, Dr. João Batista Pereira, Américo Montagnini assumiu a sua presidência, cargo que exerceu com raro descortino até a data da sua desencarnação.

      O trabalho do Prof. Montagnini no campo da divulgação do Espiritismo foi dos mais salientes, entretanto, ele trabalhava em silêncio, sem alardes.

      Médium de apreciáveis recursos foi companheiro do Dr. Augusto Militão Pacheco nas tarefas de esclarecimento daqueles que necessitavam tomar conhecimento dos consoladores ensinamentos dessa Doutrina. Desta forma, além de propiciar novas luzes àqueles que dela necessitavam ele procurava minorar os sofrimentos daqueles que buscavam lenitivo para o corpo alquebrantado.

      Homem dotado de notável senso de responsabilidade, comedido em suas atitudes, leal, de invejável integridade moral, o Prof. Montagnini tornou-se de direito e de fato um dos baluartes no campo da divulgação do Espiritismo no Estado de São Paulo.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 01:05
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

O Amor

No Reiki a palavra Amor é usada imensa vez, sendo que há até quem defina Reiki como Terapia do Amor. Amor é uma palavra de sentido lato, que tem um determinado significado ou interpretação, mediante o contexto frásico em que a palavra está inserida. No Reiki a palavra Amor significa Amor Incondicional. O Amor Incondicional significa várias coisas: Amar o próximo como irmão e filho do mesmo Pai (Deus); Amar as pessoas; Amar os animais; Amar a natureza e todas as criações de Deus. Através desse Amor, os Reikianos auxiliam quem os procuram para uma sessão de Reiki ou um aconselhamento. Esta é a moral e a ética Reikiana seguida por todos os Reikianos que prezam os ensinamentos deixados pelo Dr. Mikao Usui, independentemente da modalidade de Reiki seguida. Através deste Amor, sempre sem segundas intenções e por vezes sem contrapartidas, mostram toda a sua vontade e empenho em auxiliar o próximo.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 08:56
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Como se define ESPIRITISMO

O Espiritismo está fundado sobre a existência de um mundo invisível, formado de seres incorpóreos que povoam o espaço, e que não são outros senão as almas daqueles que viveram sobre a Terra, ou em outros globos, onde deixaram seu invólucro material. São a esses seres que damos o nome de Espíritos. Eles nos rodeiam permanentemente, exercendo sobre os homens, com o seu desconhecimento, uma grande influência; eles desempenham um papel muito activo no mundo moral, e, até um certo ponto, no mundo físico. O Espiritismo, está pois na Natureza e pode-se dizer que, em certa ordem de ideias, é uma potência, como a electricidade o é noutro ponto de vista bem como a gravitação. Os fenómenos, dos quais o mundo invisível é a fonte, são efeitos produzidos em todos os tempos; é por isso que a história de todos os povos deles faz menção. Somente que, na sua ignorância, como para a electricidade, os homens atribuíram esses fenómenos a causas mais ou menos racionais, e deram a esse respeito um livre curso à imaginação.

Allan Kardec

Publicado por Viktor às 12:35
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

REIKI: Mestre

Pergunta Para não deixar dúvidas ao leitor, gostaríamos que vocês falassem sobre a “sintonização” no Reiki. Sobre o papel do “mestre” de Reiki nesse processo?

Resposta O mestre tem um grande papel, sobretudo moral. Ele é o responsável por tudo o que ensina aos outros. Os actos que os alunos tiverem, baseados no que lhes foi ensinado, são da responsabilidade de quem ensinou. É por isso que a missão do professor, seja qual for o nível, é de muita responsabilidade. Os escritores também se encontram nessa categoria. Um livro difamatório, que não divulgue a verdade, que prega preconceitos etc. vai gerar karma ao escritor. Tudo é regido pela Lei da causa e efeito.

Publicado por Viktor às 10:03
Link | Comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Sexta-feira, 7 de Março de 2008

Afinal, o que é Espiritismo?

Kardec nos afirma que o Espiritismo é uma ciência experimental, constituída a partir das instruções dadas pelos Espíritos sobre todos os assuntos que interessam à Humanidade e, também, através das respostas às perguntas que lhes foram propostas, tendo sido recolhidas e coordenadas com cuidado (OE, p.186). Tais instruções possibilitaram a Kardec produzir três estudos fundamentais, um de ordem filosófica (O Livro dos Espíritos), um de ordem moral (O Evangelho segundo o Espiritismo) e um sobre o processo de comunicação mediúnico (O livro dos Médiuns).
Porém, devemos nos lembrar que Kardec viveu e escreveu imbuído pelos valores dominantes do homem europeu do século XIX: o evolucionismo, o positivismo, o cientificismo etc. Além disso, se tais livros abarcaram “todos” os assuntos que interessavam naquele momento da história europeia e ocidental, não significa que outros assuntos não possam ser abordados pelo Espiritismo. Ou será que eles dão conta de todos os assuntos que interessaram à humanidade do século XX e dos que interessarão à humanidade do século XXI?
Será que Kardec poderia prever que entre outros assuntos, o homem ocidental se preocuparia com a preservação do meio ambiente e, relacionado a este tema, com o vegetarianismo e com o direito dos animais? Ele poderia prever o surgimento de novas terapias vibracionais como os Florais, o Reiki, a Cromoterapia ou a Musicoterapia? Ou que o homem dito “civilizado” demonstraria um interesse gradativo pelas ancestrais filosofias e práticas corporais do Oriente, tais como o T’ai Chi Chuan, o Yoga, a Meditação, o Do-In? E mesmo no campo do mediunismo, será que Kardec imaginaria que no século XX a Umbanda seria renovada, abolindo o sacrifício de animais e a cobrança pelo trabalho de assistência espiritual ou que haveria uma crescente manifestação mediúnica de entidades na forma de índios, pretos-velhos, crianças, orientais etc., além dos famosos médicos, literatos, padres e filósofos? Kardec poderia prever o surgimento da Transcomunicação Instrumental, justamente, no seio da Igreja Católica, no Vaticano? E a Apometria, com o diagnóstico de outras enfermidades espirituais?
Em suma, são tantos temas e assuntos espíritas que, se Kardec tivesse encarnado no século XX, teria produzido, ou orientado, muitos estudos segundo o Espiritismo.
Sendo o Espiritismo uma ciência experimental, tais assuntos apresentados acima, todos de interesse da humanidade, não podem ser levados aos Espíritos? Será que estes não podem abordá-los em reuniões mediúnicas?
Dentro da lógica e do bom senso kardequiano, tudo leva a crer que sim. Porém, consolidou-se, no século XX, um movimento kardecista para o qual todo e qualquer assunto que não esteja contido nas chamadas “obras da codificação” não é “doutrinário”. Desse ponto de vista, os Espíritos que ousam abordá-los são rotulados como “mistificadores” e os médiuns que os escutam de “fascinados”.
Os seguidores de tal movimento insistem em escrever e propagar que a Umbanda não é Espiritismo, que uma série de terapias ensinadas por espíritos não é Espiritismo etc. Possivelmente tais escritores nunca leram o artigo “o espiritismo entre os druidas”, publicado em 1858, na revista Espírita, editada pelo próprio Kardec. Se para o codificador do Espiritismo até os druidas (que eram tidos como “supersticiosos” e “sanguinários” pelos cristãos) praticavam “espiritismo”, porque não os umbandistas e os nossos silvícolas? E se até Sócrates, que defendia o aborto para controlar o crescimento populacional, é considerado precursor do espiritismo, porque tanto pavor diante de uma entidade indígena ou de um peto-velho?
Tais contradições só poderão ser resolvidas quando reconduzirmos a questão espírita para o campo proposto por Kardec: o da Ciência. Compreendendo que o Espiritismo é um campo de pesquisa experimental onde todos os assuntos da humanidade são objectos de estudo, a “doutrinação” cai por terra, uma vez que, a ciência tem como meta compreender e explicar o mundo. A doutrinação pertence a outro departamento: o da religião. Logo, não deve ser pensado como um kardequiano ou um cientista espírita quem afirma que um determinado assunto, ainda mais envolvendo a espiritualidade, não seja “doutrinário”.
Kardec parece ter profetizado quando afirmou que ao lado da Doutrina Espírita poderão se formar seitas fundadas ou não sobre os princípios do Espiritismo (O.P., p. 336). E o kardecismo é, com certeza, a mais importante delas. Mas é importante salientar que não foi Kardec quem criou o kardecismo. Aliás, não custa realçar, sempre afirmou que o campo de pesquisa do Espiritismo é o científico e não o religioso. As forças no meio kardecista que não aceitam que novos temas sejam discutidos (com o argumento de salvaguardar a pureza doutrinária), demonstram apenas que se renderam ao dogmatismo e ao fanatismo. Pois é sempre mais fácil e cómodo, para se fazer prosélitos, manter-se preso às frases feitas, decoradas e proferidas exaustivamente do que raciocinar de forma independente e crítica, o objectivo maior de Kardec. O Espiritismo proposto por Kardec não está preocupado em fazer prosélitos e muito menos em “doutrinar”.
Em suma, o cientista espírita possui consciência histórica e sabe que a História e o mundo se transformam, assim como as imagens que as pessoas têm desse mesmo mundo. É por isso que há um fosso significativo e quase intransponível entre a ciência e a religião. A primeira é feita, sobretudo, com consciência. Ela é dinâmica, neg-entrópica, e seus métodos, suas heurísticas e seus objectos são sempre renovados, quando necessários. E assim é também com o Espiritismo, a ciência experimental criada por Kardec, mesmo que ele ainda não seja reconhecido pelos donos do saber académico e não obtenha recursos para pesquisas. Aliás, hoje em dia, é mais fácil obter recurso para congelar corpos em decomposição e esperar o dia em que a ciência poderá “ressuscitá-los”, do que para realizar pesquisas sérias sobre reencarnação e imortalidade da alma.
Publicado por Viktor às 10:55
Link | Comentar | ver comentários (5) | favorito
 O que é? |  O que é?
::: GUESTBOOK :::

.Procurar no Blog

 

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Lisboa, Loures, Porto, Odemira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: Partilhas de um Ser - APR
CURRENT MOON
------------------------------- REIsocialKI: Projecto Social em Prol do Semelhante

Divulga também a tua página -------------------------------

.LINKs

.posts recentes

. Reflexão sobre Karuna

. A importância do pensamen...

. A Importância do Perdão…

. Reflexão… humanidade...

. Esclarecimentos sobre Ses...

. Reiki na Antiguidade

. Abalos Morais e Roteiro S...

. Segue Somente o CRISTO

. Diferentes estados da Alm...

. O Caminho do Ser

. AMÉRICO MONTAGNINI

. O Amor

. Como se define ESPIRITISM...

. REIKI: Mestre

. Afinal, o que é Espiritis...

. Obsessão Espiritual

. MEDIUNIDADE EM CRIANÇAS

. DESPERTAMENTO DOS CHAKRAS

.Arquivos

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.subscrever feeds

.tags

. todas as tags

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31