Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009

A Causa da Doença

Consoante a perspectiva do terapeuta, a doença resulta do desequilíbrio. O desequilíbrio resulta de você se ter esquecido de quem é. O esquecimento da própria identidade cria pensamentos e acções que conduzem a um estilo de vida insalubre e, consequentemente à doença. A doença, em si, é um sinal de que você está desequilibrado porque se esqueceu de quem é. Mensagem directa dirigida a você, diz-lhe não só que você está desequilibrado, mas também lhe mostra os passos que o/a levarão de volta ao seu verdadeiro Eu e à saúde. Essa informação é muito específica; basta-lhe saber chegar a ela.

Nessas condições, a doença pode ser compreendida como uma lição que você dá a si mesmo para ajudá-lo a lembrar-se de quem é, no seu caminho para a evolução espiritual. Você pensará imediatamente em todos os tipos de excepções a essa afirmativa. A maioria, porém, o restringirá a uma percepção da realidade que apenas incluí esse determinado período de vida e apenas a vida no corpo físico. Meu propósito, contudo, é mais transcendental. As afirmações supre citadas só serão compreendidas de modo total e saudável se você já admitir sua existência além das dimensões físicas do tempo e do espaço. Elas só podem ser consideradas afectuosas se também o incluírem como parte do todo e, por conseguinte, o todo. Baseiam-se na ideia de que a individuação e a totalidade são a mesma coisa. Isto é, a priori, o todo é constituído pelas partes individuais, e as partes individuais, portanto, não só são parte do todo, mas também, como um holograma, são o próprio todo.

Durante o meu processo de crescimento pessoal, ocorreram mudanças importantes que modificaram drasticamente minha maneira de trabalhar com as pessoas. Na primeira, comecei a receber orientação, durante as sessões, de mestres espirituais sobre o que fazer então para auxiliar quem está a receber Reiki o que fazer para lhe devolver a harmonia e bem-estar. Na segunda, a mais ampla visão sobre o universo que me foi dada, permite-me abordar as questões de outra forma ou seja de outro plano o que permite que através do diálogo induzido possa auxiliar a clarificação das mentes. A pouco e pouco, a minha prática passou da de um terapeuta para a de um curador e conselheiro espiritual.

A cura, a principio, tornou-se uma extensão da terapêutica e, logo, o núcleo central de toda a terapêutica, porque alcança todas as dimensões da alma e do corpo muito além das que a terapêutica simples é capaz de alcançar. Eu estava a curar a alma ou a transformar-me num canal para ajudar a alma a lembrar-se de quem é e para onde está a ser dirigida nos momentos em que se esquece de si e sai do caminho por culpa da doença. Esse trabalho é muito satisfatório, cheio de êxtase na experiência de energias superiores e seres angélicos que vêm auxiliar os processos de transmutação. Ao mesmo tempo, é estimulante enfrentar a dor de uma doença física terrível, que o terapeuta tem de experimentar, até certo ponto, se quiser curar, pois muitas vezes o terapeuta acaba por absorver momentaneamente a dor do paciente e, depois através de processos de limpeza liberta-se da mesma. Eu necessitava de me sujeitar a ver a tremenda energia e os desequilíbrios da alma com que vivem um sem-número de pessoas. A humanidade carrega consigo uma dor horrível, uma horrível solidão e um anseio profundo de liberdade. O trabalho do terapeuta é um trabalho de amor. O terapeuta chega a essas áreas dolorosas da alma e, delicadamente, redesperta a esperança. Redesperta suavemente a antiga lembrança da identidade da alma. Toca a centelha de Deus em cada célula do corpo e recorda-lhe mansamente que ela já é Deus e que, já sendo Deus, flui, inexorável, com a Vontade Universal, para a saúde e para a totalidade.

Fazer aconselhamento espiritual às pessoas é difícil, pois é um tema tabu para muitas pessoas e exige de nós um conhecimento aprofundado do plano espiritual e um coração diamante que irradie Amor Incondicional em todas as direcções, tal e qual como o Sol irradia a sua Luz e Calor, penetrando nos tecidos e alcançando as mais ínfimas células que em conjunto formam o corpo humano.

Saudações Estelares

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 03:32
Link | Comentar | favorito
1 comentário:
De MARIA ENGRACIA GARRIDO CARBALLO a 28 de Outubro de 2009 às 18:26
mESTRE,

Mais uma vez fco orgulhosa por seres um Mestre assim, enfim consegues com todo o AMOR dar-nos o maior conhecimento possível: OBRIGADA.

Aproveito para te dar os parabéns pela tua nova iniciativa. Uma das muitas, estou a referir-me à ajuda que vais dar a essa Associaçao de caridade, BEM HAJAS... Continua assim, mesmo que nao nos entendam... o que interessa é a essêncai do que fazemos. temos de ter paciência com aqueles que não entendem o que é o amor pelo proximo.

Namasté

Maria

Comentar post

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

Portugal - Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Curso de Iniciação ao Kar...

. A Crise de Cura nos Inici...

. Reflexão: Mundo de Ilusão

. Reiki na Actualidade

. SÍMBOLO: CHO-KU-REI

. As Energias II

. Reflexão: As Energias...

. O que é o Reiki?

. Consultas Terapêuticas Ho...

. Cursos de Reiki e Karuna ...

. Reflexão: do Reiki ao Kar...

. Reflexão: O Reiki em inúm...

. Agenda de Outubro

. Reflexão: A mesquinhez hu...

. Agenda de Junho

. Relexão: Guias...

. Reflexão: Semifrio de Emo...

. Consultas Holísticas

. Actividades em Abril - Re...

. Reflexão: Caminho do Amor

. Agenda... de Março

. Formações em Agenda

. Reflexão: A Infelicidade…

. Ensinamentos em Poesia

. Curso de iniciação ao Rei...

. Hoje em Poesia

. Reflexão: Lixo Invisível…

. Curso de Iniciação ao Rei...

. Brevemente... Reiki e Kar...

. Proximas actividades em a...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007