.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007

Mensageiros de Deus...

“Os espíritos desencaminhados aprenderão sabedoria, e os que murmuravam receberão instrução.” - Isaías Cap. 29 vers. 24
O que foi é o que será: o que acontece é o que há de acontecer. Não há nada de novo debaixo do sol.” - Eclesiastes cap. 1 vers. 9 – Bíblia

“Pela manifestação da VERDADE nós nos recomendamos à consciência de todos os homens diante de DEUS.” - ( II Corintios  4,2 )

“Que mediante a Fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo.” - I Pedro Capítulo 1 versículo 5

“ A luz ainda está convosco por um pouco de tempo; andai enquanto tendes luz, para que as trevas vos não apanhem pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai.” - Jesus  Jo. 12, 35

“Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre”.  - I Pedro capítulo 1 versículo 23

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Eu sou a videira; vós os ramos.” - JESUS ( Jo. 15, 1-5 )

“Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejaispor um pouco contristados com várias tentações”. - I Pedro Capítulo 1 e versículo 6

“O conhecimento de si mesmo é indispensável, mesmo não possuindo a percepção da vidência, é evidente que aquele que te acompanha é semelhante a vós!”

“ Eu, o Senhor, chamei-te realmente, eu te seguirei pela mão, eu te formei e designei para ser a aliança com os povos, a luz das nações; para abrir os olhos aos cegos, para tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão aqueles que vivem nas trevas.”  - Isaías  Capítulo 42 e versículos 6,7

Publicado por Viktor às 11:47
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Novos Serviços Disponibilizados

Bom dia a todos,

A harmonia e o bem estar é um estado que todos pretendemos alcançar, para assim estarmos em sintonia com o Universo encontrando o nosso equilíbrio fisíco-mente.

Venho assim, por este meio disponibilizar a minha ajuda para envio de Reiki à Distância, para quem necessitar.

Caso pretenda receber, agradeço que me contacte via e-mail para à posterior se ver o pedido e se proceder em conformidade.

Este é mais um serviço que passamos a disponibilizar ao nossos leitores e "adeptos" de REIKI.

Saudações Reikianas - NAMASTÉ.

Publicado por Viktor às 12:00
Link | Comentar | favorito
Domingo, 28 de Outubro de 2007

Símbolos de Reiki

2º Símbolo:

Encher a alma com paz, portal para atingir a força interior. Activação da fonte interior, despertar da força de Kundalini.

Signo/Símbolo mental.
Estado de Espiríto: Espirítualmente bem...
Publicado por Viktor às 01:50
Link | Comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 23 de Outubro de 2007

ENVIO de REIKI à DISTÂNCIA

TÉCNICA DA FOTO
Podemos enviar REIKI a distancia através de uma foto da pessoa que ira receber o REIKI. Nesse caso, escreva o nome completo da pessoa, os símbolos três, dois e 1, nessa ordem, escrevendo ao lado os respectivos mantras três vezes. Em seguida, coloque a foto da pessoa a sua frente e irradie o REIKI ao receptor através da foto. Também, se preferir, irradie a energia segurando a foto entre as mãos.
Caso não tenha a foto, escreva o nome e endereço da pessoa e tente imaginar seu rosto na sua mente. Segue-se o procedimento acima.

Em grupo, vários REIKIANOS podem formar um círculo e colocar a foto ou o papel no centro para onde todos irradiarão o REIKI. Então essa energia será altamente potencializada.

Publicado por Viktor às 15:30
Link | Comentar | favorito

Agradecimento...

Cara amiga Joana;

Venho por este meio agradecer públicamente o prémio que me atribuiu, ao defenir este Blog como um Blog 5 Estrelas[*****].

Para quem não leu, reproduzo qui o motivo da minha nomeação:

     «Vicktor, que me fez despertar para lá do óbvio. Que me estimulou a quebrar a barreira do ceptiscimo e da teimosia e dar oportunidade a novos mundos

A mesma pode ser lida na íntegra clicando aqui.

Muito obrigado pela nomeação.

Podem comentar deixando as opiniões...

Saudações Reikianas - Namasté.

Publicado por Viktor às 11:45
Link | Comentar | favorito

REIKI

Há mais de 2500 anos a medicina tradicional Tibetana estuda e trabalha, com comprovada eficácia, com técnicas de cura que se utilizam da energia das plantas, minerais, o poder da mente humana e da Força Vital do Universo.
            Com profundo conhecimento dos sistemas de funcionamento do corpo humano, enquanto ser eléctrico, a medicina Tibetana permite e leva a compreensão da interligação entre os sistemas de pensar e a condição física, a relação do ser humano com outros seres e a sobrevivência do planeta.
            Reiki é uma das mais efectivas técnicas de cura física e equilíbrio espiritual da Medicina Tibetana, trabalhando com o homem total, holístico (Físico-Mente-Corpo), permitindo a retomada do estado natural e desejável de bem-estar e harmonia. O Reiki permite a liberação da energia e a restauração dos processos sadios no sistema de viver. Através de toques suaves, o corpo e a mente são estimulados a reagir às suas deficiências, desfazendo “NÓS” dos Canais Eléctricos do Corpo, rompendo padrões de stress, disfunções de Chakras e órgãos correlacionados, e deslocamentos dos corpos áuricos.
            O Reiki Trabalha exclusivamente com a Energia Vital do Universo, sem polaridades, por conseguinte sem qualquer efeito indesejável ou colateral, muitas vezes encontrados em outras modalidades de terapias energéticas (como a sub ou super estimulação de glândulas e Chakras). O Reiki tem demonstrado na sua prática de ser completamente acessível a todas as pessoas, em qualquer situação, não existindo impedimento quanto a idade e muito menos à condição física do terapeuta – existindo a auto-aplicação mesmo durante o atendimento à outra pessoa.
            Para a aplicação, o Reiki prescinde de mentalizações, preces, cuidados ou qualquer comportamento, externo e interno, para estar promovendo a cura. Sem religião ou filosofia, sem rituais, adequado ao sistema moderno de vida, o Reiki capta e direcciona a mais perfeita e completa energia e manutenção da vida.
Publicado por Viktor às 09:49
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

EVOLUÇÃO EM DOIS MUNDOS

Fluído cósmico
 PLASMA DIVINOO fluído cósmico ê o plasma divi­no, poder do Criador ou força nervosa do Todo-Sábio.

Nesse elemento primordial, vibram e vivem constelações e sóis, mundos e seres, como peixes no oceano.

CO-CRIAÇÃO EM PLANO MAIORNessa substân­cia original, ao influxo do próprio Senhor Supremo, operam as Inteligências Divinas a Ele agregadas, em processo de comu­nhão indiscutível, os grandes Devas da teologia hindu ou os Arcanjos da interpretação de variados templos religiosos, ex­traindo desse hálito espiritual os celeiros da energia com que constroem os sistemas da Imensidade, em serviço de Co-criação em plano maior, de conformidade com os desígnios do Todo-Mi­sericordioso, que faz deles agentes orientadores da Criação Ex­celsa.

Essas Inteligências Gloriosas tomam o plasma divino e convertem-no em habitações cósmicas, de múltiplas expressões, radiantes ou obscuras, gaseificadas ou sólidas, obedecendo a leis predeterminadas, quais moradias que perduram por milé­nios e milénios, mas que se desgastam e se transformam, por fim, de vez que o Espírito Criado pode formar ou co-criar, mas só Deus é o Criador de Toda a Eternidade.

IMPÉRIOS ESTELARESDevido à actuação desses Arquitectos Maiores, surgem nas galáxias as organizações estela­res como vastos continentes do Universo em evolução e as nebulosas intragalácticas como imensos domínios do Universo, en­cerrando a evolução em estado potencial, todas gravitando ao redor de pontos atractivos, com admirável uniformidade coordenadora.

É aí, no seio dessas formações assombrosas, que se estruturam, inter-relacionados, a matéria, o espaço e o tempo, a se re­novarem constantes, oferecendo campos gigantescos ao pro­gresso do Espírito.

Cada galáxia quanto cada constelação guardam no cerne a força centrífuga própria, controlando a força gravítica, com de­terminado teor energético, apropriado a certos fins.

A Engenharia Celeste equilibra rotação e massa, harmoni­zando energia e movimento, e mantêm-se, desse modo, na vas­tidão sideral, magnificentes florestas de estrelas, cada qual transportando consigo os planetas constituídos e em formação, que se lhes vinculam magneticamente ao fulcro central, como os electrões se conjugam ao núcleo atómico, em trajectos perfeita­mente ordenados na órbita que se lhes assinala de início.

NOSSA GALÁXIAPara idealizarmos, de algum modo, a grandeza inconcebível da Criação, comparemos a nossa galáxia a grande cidade, perdida entre incontáveis grandes cidades de um país cuja extensão não conseguimos prever.

Tomando o Sol e os mundos nossos vizinhos como apar­tamentos de nosso edifício, reconheceremos que em redor reponham outros edifícios em todas as direcções.

Assestando instrumentos de longo alcance da nossa sala de estudo, perceberemos que nossa casa não é a mais humilde, mas que inúmeras outras lhe superam as expressões de magnitu­de e beleza.

Aprendemos que, além de nossa edificação, salientam-se palácios e arranha-céus como Betelgeuze, no distrito de Órion, Canópus, na região do Navio, Arctúrus, no conjunto do Boieiro, Antares, no centro do Escorpião, e outras muitas residências se­nhoriais, imponentes e belas, exibindo uma glória perante a qual todos os nossos valores se apagariam.

Por processos ópticos, verificamos que a nossa cidade apresenta em forma de espiral e que a onda de rádio, avançan­do com a velocidade da luz, gasta mil séculos terrenos para per­correr-lhe o diâmetro. Nela supreenderemos milhões de lares, nas mais diversas dimensões e feitios, instituídos de há muito, recém-organizados, envelhecidos ou em vias de instalação, nos quais a vida e a experiência emergem vitoriosas.

FORÇAS ATÓMICASToda essa riqueza de plasma­gem, nas linhas da Criação, ergue-se à base de corpúsculos sob irradiações da mente, corpúsculos e irradiações que, no estado atual dos nossos conhecimentos, embora estejamos fora do pla­no físico, não podemos definir em sua multiplicidade e configu­ração, porquanto a morte apenas dilata as nossas concepções e nos aclara a introspecção, iluminando-nos o senso moral, sem resolver, de maneira absoluta, os problemas que o Universo nos propõe a cada passo, com os seus espectáculos de grandeza.

Sob a orientação das Inteligências Superiores, congre­gam-se os átomos em colmeias imensas, e, sob a pressão, espiri­tualmente dirigida, de ondas electromagnéticas, são controladamente reduzidas as áreas espaciais intra-atómicas, sem perda de movimento, para que se transformem na massa nuclear adensa­da, de que se esculpem os planetas, em cujo seio as mônadas ce­lestes encontrarão adequado berço ao desenvolvimento.

Semelhantes mundos servem à finalidade a que se desti­nam, por longas eras consagradas à evolução do Espírito, até que, pela sobre-pressão sistemática, sofram o colapso atómico pelo qual se transmutam em astros cadaverizados. Essas esferas mortas, contudo, volvem a novas directrizes dos Agentes Divi­nos, que dispõem sobre a desintegração dos materiais de superfície, dando ensejo a que os elementos comprimidos se libertem através de explosão ordenada, surgindo novo acervo corpuscu­lar para a reconstrução das moradias celestes, nas quais a obra de Deus se estende e perpetua, em sua glória criativa.

        LUZ E CALOROs mundos ou campos de desenvolvi­mento da alma, com as suas diversas faixas de matéria em va­riada expressão vibratória, ao influxo ainda dos Tutores Espiri­tuais, são acalentados por irradiações luminosas e caloríficas, sem nos referirmos às forças de outra espécie que são arrojadas do Espaço Cósmico sobre a Terra e o homem, garantindo-lhes a estabilidade e a existéncia.

        Temos, assim, a luz e o calor, que teoricamente classifica­mos entre as irradiações nascidas dos átomos supridos de ener­gia. São estes que, excitados na Íntima estrutura, despedem as ondas electromagnéticas.

        Todavia, não obstante tocarmos com relativa segurança as realidades da matéria, definindo a natureza corpuscular do calor e da luz, e embora saibamos que outras oscilações electro­magnéticas se associam, insuspeitadas por nós, na vastidão uni­versal, aquém do infravermelho e além do ultravioleta, comple­tamente fora da zona de nossas percepções, confessamos com humildade que não sabemos ainda, principalmente no que se re­fere à elaboração da luz, qual seja a força que provoca a agita­ção inteligente dos átomos, compelindo-os a produzir irradiações capazes de lançar ondas no Universo com a velocidade de 300.000 quilómetros por segundo, preferindo reconhecer, em toda a parte, com a obrigação de estudarmos e progredirmos sempre, o hálito divino do Criador.

        CO-CRIAÇÃO EM PLANO MENOREm análogo alicerce, as Inteligências humanas que ombreiam conosco utili­zam o mesmo fluído cósmico, em permanente circulação no Universo, para a Co-criação em plano menor, assimilando os corpúsculos da matéria com a energia espiritual que lhes é pró­pria, formando assim o veículo fisiopsicossomático em que se exprimem ou cunhando as civilizações que abrangem no mundo a humanidade Encarnada e a Humanidade Desencarnada. Den­tro das mesmas bases, plasmam também os lugares entenebreci­dos pela purgação infernal, gerados pelas mentes desequilibra­das ou criminosas nos círculos inferiores e abismais, e que va­lem por aglutinações de duração breve, no microcosmo em que estagiam, sob o mesmo princípio de comando mental com que as Inteligências Maiores modelam as edificações macrocósmi­cas, que desafiam a passagem dos milênios.

        Cabe-nos assinalar, desse modo, que, na essência, toda a matéria é energia tornada visível e que toda a energia, origina­riamente, é força divina de que nos apropriamos para interpor os nossos propósitos aos propósitos da Criação, cujas leis nos conservam e prestigiam o bem praticado, constrangendo-nos a transformar o mal de nossa autoria no bem que devemos reali­zar, porque o Bem de Todos é o seu Eterno Princípio.

Compete-nos, pois, anotar que o fluído cósmico ou plas­ma divino é a força em que todos vivemos, nos ângulos varia­dos da Natureza, motivo pelo qual já se afirmou, e com toda a razão, que “em Deus nos movemos e existimos”. (2)

 Uberaba, 15/1/58.
 

(2) Paulo de Tarso, em Atos, capítulo 17º, versículo 28. — (Nota do Autor espiritual)

Publicado por Viktor às 16:18
Link | Comentar | favorito

¿QUÉ ES REIKI?

Se suele traducir por "energía cósmica", pero yo prefiero que no olvidemos el aspecto de inteligencia que incorpora. "Ki" es el poder creador del universo, según la cultura japonesa. Todo es una expresión del Ki, o del Prana, del Chi, de la Shakti... para las diferentes tradiciones de India, China... Y "Rei" es la Luz, la conciencia que sustenta ese poder, el Chit, Shiva, el Ser... La inteligencia que vive dentro de todos y cada uno, y en cada partícula de materia/energía.

El Reiki es, pues, el poder inteligente del cosmos, sea que se manifieste a escala global o local. Y un practicante Reiki es aquella persona que está sintonizando conscientemente a esa fuerza universal y que por tanto se deja guiar por su sabiduría intuitiva. ...Dicho así no es diferente de la definición de cualquier practicante espiritual de casi cualquier tradición evolutiva.

De hecho, esto es porque el Reiki como sistema de sanación surge del contexto espiritual del Japón de principios de siglo, una tierra permeada por el Budismo, el Shinto, el Animismo...
Publicado por Viktor às 16:07
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Acerca de Símbolos

Há pelo menos três tipos fundamentalmente diferentes de símbolos e crenças no que diz respeito à natureza das formas simbólicas. A primeira classe de símbolos são os que o poder ou a habilidade de criar o efeito é inerente à forma do símbolo. Estes são usados na geometria sagrada o tattwas e até certo ponto Yantra Mandalas, estão entre esses em que a verdadeira forma se diz que é a que estimula directamente os modelos subconscientes da energia no corpo, cérebro e energia física e a realidade não-física.

Diz-se que estes símbolos contêm o poder para despertar uma habilidade ou criar um resultado, ou transmitem informação e realizam místicas de sí mesmos sem a acção ou interacção de alguém. A segunda crença se opõe, os símbolos podem ser algo que é activado pela intenção do ritual ou pela proximidade a lugares ou pessoas santas e se carregam e contêm o poder de criar um efeito. Na última aula de símbolos são esses que representam ferramentas ou apontadores que o habilitam a si para se ligar com a informação, a energia e para usar uma função espiritual, etera, isso existe separando o símbolo. O símbolo é mais como um botão, o poder está no que os símbolos visualizam antes de ter um poder próprio.

Estes pontos de vista não são realmente exclusivos, são as diferentes maneiras de ver as cosas. Algumas pessoas nos Estados Unidos consideraram e ensinaram que os símbolos de Reiki e seus nomes ou o mantra neles próprios contêm eternamente o poder e, por serem sagrados e secretos, não devem ser revelados a ninguém que não seja iniciado. A maior parte dos Símbolos usados em Reiki são palavras que se escrevem em Kanjis e que têm significados simbólicos esotéricos nalgumas tradições budistas.

Tenho a convicção de que os símbolos de Reiki são principalmente da terceira classe. Eles são ferramentas para facilitar a ligação com aspectos da energia universal para curar. Eles não têm por sí mesmos o poder. Há frequentemente muitas maneiras diferentes de desenhar certo símbolo mas todas elas participam efectivamente na conexão com a energia de Reiki. Agora que estudantes Ocidentais de Reiki fizeram o contacto com estudantes japoneses de Reiki da Associação de Reiki fundada por Mikao Usui, aparentemente esta é a maneira como eles acostumaram nesta sociedade e que muitas pessoas chegam a ser capazes de usar as funções de Reiki sem invocar directamente os símbolos.

Estes símbolos são exactamente isso, símbolos. Eles não são o que eles visualizam. Os símbolos de Reiki visualizam as funções específicas de propriedades da energia para curar e aumento espiritual. Quando qualquer que seja o iniciado em Reiki vê e diz o nome ou desenha esses símbolos, o ajudam a ligar-se a si mesmo com a energia de Reiki e a activar a função e propósito específico que o símbolo visualiza. Nos Alinhamentos específicos o autor deste manual ousa conferir uma habilidade automática ao escolher trabalhar com as funções de Reiki por intenção, usando palavras ou pensamentos para os activar ou também invocar conscientemente os símbolos. A activação directa da intenção não substitui a informação e a experiência que é ganha com o estudo e usando os símbolos. Não é necessário entender os significados dos símbolos nem usá-los conscientemente para ganhar e compartilhar os benefícios do Reiki. Apesar de de poder enriquecer a sua experiência explorar os seus significados. Os símbolos recordam-nos que há maneiras de invocar aspectos diferentes da energia usá-los.

Você pode usar também Reiki para invocar neutros aspectos e propósitos da energia universal pela intenção directa. Outros sistemas que evoluíram a partir do Reiki tal como Seichim y Karuna usam os diferentes símbolos para invocar outros aspectos da energia. De qualquer das maneiras usar Reiki para estas funções sem Iniciação adicional e com ou sem o uso dos símbolos adicionais.

No Usui Reiki Ryoho Gakkai que é a sociedade Reiki fundada por Usui Sensei, entendemos que os símbolos foram agregados por Usui Sensei algum tempo depois da sua realização em Reiki, para ajudar essas pessoas que têm pouca experiência com o trabalho da energia e necessita ajuda para se conectar com esta.

Os símbolos foram escolhidos aparentemente dos términos usados nalgumas secretas budistas esotéricas e que são apropriados para a função do poder de Reiki.

Estava verdadeiramente familiarizado com a maior parte desses términos antes de encontrar Reiki, tanto que eu não fui surpreendido por nada disto. Muitos mais livros e as traduções de Reiki que se ensina no Japão se publicarão no futuro e assim esta informação histórica acerca de Reiki continuará a ser ensinada.

O Reiki não é um sistema fechado, se bem nos beneficiamos por te ruma formação e uma sã origem nas práticas tradicionais de Reiki Usui Sensei, decidindo ele mesmo dar uma segunda classificação à indicação simbólica na esperança de que o sistema continuava o seu desenvolvimento após a sua partida.

O método original de Iniciação à possibilidade de usar Reiki foi modificado ao longo dos anos da forma como era e é praticando na sociedade japonesa de Reiki. O Reiki Ryoho no Japón você reunia-se semanalmente com os membros do mesmo nível e um mestre, têm uma lição ou um conferência e uma possível práctica, quem recebe o tratamento curativo depois de que você termina a meditação de hatsurei-ho enquanto o Mestre lhe dá "Reiju" a você e aos outros membros, uma força que ajuda a conectar e maximizar a conecção à energia Reiki, pelo geral, gradualmente de acordo com o seu desenvolvimento pessoal. Posivelmente depois de um período de um ano ou mais desta prática e estudos talvez sejas convidado a aprender as segundas senhas.

É na linhagem de Hayashi-Takata chamado Usui Shiki Ryoho que os símbolos são de mior importância. O sistema foi establecido para ensinar Reiki mais rápido que a instrução larga de Reiki Ryoho. Havia mais ênfase nas posições das mãos e os símbolos para que os estudantes se pudessem ligar ao Reiki com a ideia de trabalhar no dispensário de Hayashi, antes eles desenvolveram a habilidade de pressentir a energia dos clientes. Isto foi também provavelmente por que se desenrolou um processo de Iniciação semelhante às Iniciações usadas em muitas tradições espirituais que curam em ordem a que acelera significativamente a limpeza, a ligação e a habilidade de trabalhar com energias universais. Os Mestres que a Sra. Takata treinou foram ensinados com ênfase nos símbolos e foram ajuramentados também nos segredos dos símbolos de Reiki e outras práticas.

Publicado por Viktor às 12:30
Link | Comentar | favorito

SEXO E RELIGIÃO

Pergunta - Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corpórea, acabar de depurar-se?

Resposta - Sofrendo a prova de uma nova existência.

Pergunta - Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como Espírito?

Resposta - Depurando-se, a alma indubitavelmente experimenta uma transformação, mas para isso necessária lhe é a prova da vida corporal. Item n. 166, de"O Livro dos Espíritos.

Dar-se-á o fato de se isentar alguém dos impulsos e inquietações sexuais, simplesmente por haver assumido compromissos de natureza religiosa? Claro que a lógica responde no espírito de sequência da natureza. A criatura que abraça encargos dessa ordem está procurando ou aceitando para si mesma aguilhões regeneradores ou educativos, de vez que ordenações e providências de carácter externo não transfiguram milagrosamente o mundo íntimo. As realizações da fé, por isso mesmo, se concretizam à base de porfiadas lutas da alma, de si para consigo. Ninguém se burila de um dia para outro. De que modo alienar condições inerentes à própria vida do Espírito, acalentadas, no curso das eras, tão-somente em função de afirmativas verbais? E entendendo-se que as leis do Universo não destroem o instinto, mas transformam-no em razão e angelitude, na passagem dos evos, pelos mecanismos da sublimação, de que forma exigir a extinção dos estímulos genésicos em alguém, tão-só porque esse alguém se consagre ao Serviço Divino da Fé, quando esses mesmos estímulos são ingredientes da vida e da evolução, criados pela mesma Providência Divina para a sustentação e a elevação de todos os seres? Compreendida a inalienabilidade dos problemas sexuais nas individualidades representativas das ideias religiosas no mundo, é mais que razoável considerar que essas individualidades, em grande maioria, solicitaram para si próprias os controles de feição moral a que transitoriamente se vinculam, no tentame de extraírem deles o proveito máximo, a favor de si próprias. Efectivamente, Espíritos superiores e já erguidos a notáveis campos de elevação, unicamente por amor e sacrifício, tomam assento nas organizações religiosas da Terra, volvendo à reencarnação em actividades socorristas, nas quais impulsionam o progresso dos seus irmãos. Esses missionários devotamente vibram em faixas de amor sublime, quase sempre inacessível à compreensão dos seus contemporâneos. Não ocorrem análogas circunstâncias entre aqueles outros que renascem sob regime disciplinar, requisitados por eles contra eles mesmos, de vez que grande número desses obreiros das ideias religiosas, reencarnados em condições de prova, demonstram dificuldades e inibições múltiplas, no corpo e na mente, quando não sofrem exagerada tendência aos desvarios sexuais - tendência essa que habitualmente os mantém recolhidos ao medo de qualquer expansão afectiva. Temendo as manifestações do amor e bastas vezes condenando indebitamente os companheiros da Humanidade, pelo fato de se acomodarem a uniões respeitáveis e dignas, na generalidade receiam a si próprios e censuram os semelhantes, no impulso inconsciente de lhes copiar a independência e a

conduta. Daí surgem os incidentes menos felizes quantas vezes! – em que vemos expositores ardentes e apaixonados, dessa ou daquela ideia religiosa, tombando em experiências emotivas, muito mais complicadas e deploráveis do que aquelas outras que eles próprios reprovavam no caminho e na vida dos companheiros!... Aliás, registe-se que o fenómeno é mais que justo, porquanto, aceitando os distintivos de determinada seara religiosa, o Espírito impõe a si mesmo um factor de frenagem e autopoliciamento, sem que as marcas exteriores de fé signifiquem mais que um convite ou um desafio a que se aperfeiçoe, de acordo com os princípios de acrisolamento que abraça. Instruções religiosas exteriores não alteram, de improviso, os impulsos do coração, conquanto se erijam em fortaleza de luz, amparando a criatura que a elas se acolhe para o serviço de autoaprimoramento. Qualquer professor na Terra há-de se identificar com os alunos, no campo das experiências naturais do quotidiano, a fim de que se estabeleça, entre eles, o fio da compreensão mútua, unindo vanguarda e retaguarda do esforço para a escalada do grupo ao conhecimento. Um anjo e uma equipe de criaturas humanas não entrariam em relacionamento ideal para rendimento ideal do ensino. À vista disso, somos nós mesmos, Espíritos endividados ante as Leis do Universo, que nos enlaçamos uns com os outros, encarnados e desencarnados, aperfeiçoando gradativamente as qualidades próprias e aprendendo, à custa de trabalho e tempo, como alcançar a sublimação que demandamos, em marcha laboriosa para a conquista dos Valores Eternos.

EMMANUEL
Publicado por Viktor às 01:23
Link | Comentar | favorito
Domingo, 14 de Outubro de 2007

Última Hora

Caros amigos, leitores e reikianos,
Quero comunicar que no próximo fim de semana se vai realizar em Albufeira o Curso de Iniciação ao Reiki Nível 1, para o qual ainda tenho 2 vagas.
Para quem estiver interessado poderá contactar-me via email para mais esclarecimentos.
Desejo-lhes uma boa semana.
Saudações Reikianas - NAMAS.
Publicado por Viktor às 21:01
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2007

CARGA ERÓTICA

Dois sistemas se defrontam: o dos ascetas, que tem por base o aniquilamento do corpo, e o dos materialistas, que se baseia no rebaixamento da alma. Duas violências quase tão insensatas uma quanto a outra. Ao lado desses dois grandes partidos, formiga a numerosa tribo dos indiferentes que, sem convicção e sem paixão, são mornos no amar e económicos no gozar. Onde, então, a sabedoria? Onde, então, a ciência de viver? Em parte alguma; e o grande problema ficaria sem solução, se o Espiritismo não viesse em auxílio dos pesquisadores, demonstrando-lhes as relações que existem entre o corpo e a alma e dizendo-lhes que, por serem necessários uma ao outro, importa cuidar de ambos. Amai, pois, a vossa alma, porém, cuidai igualmente do vosso corpo, instrumento daquela. Desatender às necessidades que a própria Natureza indica, é desatender a lei de Deus. Não castigueis o corpo pelas faltas que o vosso livre arbítrio o induziu a cometer e pelas quais é ele tão responsável quanto o cavalo, mal dirigido, pelos acidentes que causa.

Sereis, porventura, mais perfeitos se, martirizando o corpo, não vos tornardes menos egoístas, nem menos orgulhosos e mais caritativos para com o vosso próximo? Não, a perfeição não está nisso, está toda nas formas por que fizerdes passar o vosso Espírito. Dobrai-o, submetei-o, humilhai-o, mortificai-o: esse o meio de o tornardes dócil à vontade de Deus e o único de alcançardes a perfeição. Do item 11, do Cap. XVII, de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

O instinto sexual, exprimindo amor em expansão incessante, nasce nas profundezas da vida, orientando os processos da evolução. Toda criatura consciente traz consigo, devidamente estratificada, a herança incomensurável das experiências sexuais, vividas nos reinos inferiores da Natureza. De existência a existência, de lição em lição e de passo em passo, por séculos de séculos, na esfera animal, a individualidade, erguida à razão, surpreende em si mesma todo um mundo de impulsos genésicos por educar e ajustar às leis superiores que governam a vida. A princípio, exposto aos lances adversos das aventuras poligâmicas, o homem avança, de ensinamento a ensinamento, para a sua própria instalação na monogamia, reconhecendo a necessidade de segurança e equilíbrio, em matéria de amor; no entanto, ainda aí, é impelido naturalmente a carregar o fardo dos estímulos sexuais, muita vez destrambelhado, que lhe enxameiam no sentimento, reclamando educação e sublimação. Depreende-se disso que toda criatura na Terra transporta em si mesma determinada taxa de carga erótica, de que, em verdade, não se libertará unicamente ao preço de palavras e votos brilhantes, mas à custa de experiência e trabalho, de vez que instintos e paixões são energias e estados inerentes à alma de cada um, que as leis da Criação não destroem e sim auxiliam cada pessoa a transformar e elevar, no rumo da perfeição. Fácil entender, portanto, que do erotismo, como factor de magnetismo sexual humano, na romagem terrestre, seja em se tratando de Espíritos encarnados ou desencarnados na Comunidade Planetária, não partilham tão somente as inteligências que já se angelizaram, em minoria absoluta no Plano Físico, e aqueles irmãos da Humanidade provisoriamente internados nas celas da idiotia, por força de lides expiatórias abraçadas ou requisitadas por eles próprios, antes do berço terreno. Os Espíritos sublimados se atraem uns aos outros por laços de amor considerado divino, por enquanto inabordáveis a nós outros, seres em laboriosa escalada evolutiva e que compartilhamos das tendências e aspirações, dificuldades e provas do género humano. E os companheiros temporariamente bloqueados por cérebros deficientes e obtusos atravessam períodos mais ou menos longos de silêncio emocionados, destinados a reparações e reajustes, quase sempre solicitados por eles mesmos - repetimos -, já que se sentenciam a entraves e inibições, no campo de exteriorização da mente, através dos quais refazem atitudes e reacondicionam impulsos afectivos em preciosas tomadas e retomadas de consciência. À vista do exposto, é fácil reconhecer que toda criatura humana, sempre nascida ou renascida sob o patrocínio do sexo, acarreta consigo determinada carga de impulsos eróticos, que a própria criatura aprende, gradativamente, a orientar para o bem e a valorizar para a vida. Diante do sexo, não nos achamos, de nenhum modo, à frente de um despenhadeiro para as trevas, mas perante a fonte viva das energias em que a Sabedoria do Universo situou o laboratório das formas físicas e a sensação dos estímulos espirituais mais intensos para a execução das tarefas que esposamos, em regime de colaboração mútua, visando ao rendimento do progresso e do aperfeiçoamento entre os homens. Cada homem e cada mulher que ainda não se angelizou ou que não se encontre em processo de bloqueio das possibilidades criativas, no corpo ou na alma, traz, evidentemente, maior ou menor percentagem de anseios sexuais, a se expressarem por sede de apoio afectivo, e é claramente, nas lavras da experiência, errando e acertando e tornando a errar para acertar com mais segurança, que cada um de nós - os filhos de Deus em evolução na Terra - conseguirá sublimar os sentimentos que nos são próprios, de modo a erguer-nos em definitivo para a conquista da felicidade celeste e do Amor Universal.

EMMANUEL
Publicado por Viktor às 10:00
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

ABSTINÊNCIA E CELIBATO

Pergunta - O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

Resposta - Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.

Pergunta - Da parte de certas pessoas, o celibato não será um sacrifício que fazem com o fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade?

Resposta - O caso é muito diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito. Itens nºs 698 e 699, de "O Livro dos Espíritos".

Abstinência, em matéria de sexo e celibato, na vida de relação pressupõe experiências da criatura em duas faixas essenciais – a daqueles Espíritos que escolhem semelhantes posições voluntariamente para burilamento ou serviço, no curso de determinada reencarnação, daqueles outros que se vêem forçados a adoptá-las, por força de inibições diversas. Indubitavelmente, os que consigam abster-se da comunhão afectiva, embora possuindo em ordem todos os recursos instrumentais para se aterem ao conforto de uma existência a mais, com o fim de se fazerem mais úteis ao próximo, decerto que traçam a si mesmos escaladas mais rápidas aos cimos do aperfeiçoamento. Agindo assim, por amor, doando o corpo a serviço dos semelhantes, e, por esse modo, amparando os irmãos da Humanidade, através de variadas maneiras, convertem a existência, sem ligações sexuais, em caminho de acesso à sublimação, ambientando-se em climas diferentes de criatividade, porquanto a energia sexual neles não estancou o próprio fluxo; essa energia simplesmente se canaliza para outros objectivos - os de natureza espiritual. E, em concomitância com os que elegem conscientemente esse tipo de experiência, impondo-se duros regimes de vivência pessoal, encontramos aqueles outros, os que já renasceram no corpo físico induzidos ou obrigados à abstinência sexual, atendendo a inibições irreversíveis ou a processos de inversão pelos quais sanam erros do pretérito ou se recolhem a pesadas disciplinas que lhes facilitem a desincumbência de compromissos determinados, em assuntos do espírito. Num e noutro caso, identificamos aqueles que se fazem chamar, segundo os ensinamentos evangélicos, como sendo "eunucos" por amor do Reino de Deus". Esses eunucos, porém, muito ao contrário do que geralmente se afirma, não são criaturas psicologicamente assexuadas, respirando em climas de negação da vida. Conquanto abstémicos da emotividade sexual, voluntária ou involuntariamente, são almas vibrantes, inflamadas de sonhos e desejos, que se omitem, tanto quanto lhes é possível, no terreno das comunhões afectivas, para satisfazerem as obrigações de ordem espiritual a que se impõem. Depreende-se daí a impossibilidade de se doarem a quaisquer tarefas de reparação ou elevação sem tentações, sofrimentos, angústias e lágrima; e, às vezes, até mesmo escorregões e quedas, nos domínios do sentimento, de vez que os impulsos do amor nelas se mantêm com imensa agudeza, predispondo-as à sede incessante de compreensão e de afecto. Entendendo-se os valores da alma por alimento do espírito, impossível esquecer que a produção do bem e do aprimoramento se realiza à base de atrito e desgaste. A semente é segregada no solo para desenvencilhar-se dos empeços que a constringem, de modo a formar o pão, e o pão, a rigor, não se completa em forno frio. A força no carro não surge sem a queima de combustível, e o motor não lhe garante movimento sem aquecer-se em nível adequado. Abstinência e celibato, seja por decisão súbita do homem ou da mulher, interessados em educação dos próprios impulsos, no curso da reencarnação, ou seja por deliberação assumida, antes do renascimento na esfera física, em obediência a fins específicos, não contam indiferença e nem anestesia do sentimento. Celibato e abstinência, em qualquer forma de expressão, constituem tentações louváveis do ser, experiências de carácter transitório -, nos quais a fome de alimento afectivo se lhes transforma no intimo do coração em fogo purificador, acrisolandolhes as tendências ou transfigurando essas mesmas tendências em clima de produção do bem comum, através do qual, pela doação de uma vida, se efectua o apoio espiritual ou a iluminação de inúmeras outras. Tais considerações nos impelem a concluir que a vida sexual de cada criatura é terreno sagrado para ela própria, e que, por isso mesmo, abstenção, ligação afectiva, constituição de família, vida celibatária, divórcio e outras ocorrências, no campo do amor, são problemas pertinentes à responsabilidade de cada um, erigindo-se, por essa razão, em assuntos, não de corpo para corpo, mas de coração para coração.

EMMANUEL

Publicado por Viktor às 23:42
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

Evolução e corpo espiritual

          PRIMÓRDIOS DA VIDAProcurando fixar idéias se­guras acerca do corpo espiritual, será preciso remontarmos, de algum modo, aos primórdios da vida na Terra, quando mal ces­savam as convulsões telúricas, pelas quais os Ministros Angéli­cos da Sabedoria Divina, com a supervisão do Cristo de Deus, lançaram os fundamentos da vida no corpo ciclópico do Plane­ta.
         A matéria elementar, de que o eletrão é um dos corpúscu­los-base (4), na faixa de experiência evolutiva sob nossa análi­se, acumulada sobre si mesma, ao sopro criador da Eterna Inte­ligência, dera nascimento à província terrestre, no Estado Solar a que pertencemos, cujos fenômenos de formação original não conseguimos por agora abordar em sua mais íntima estrutura.
          A imensa fornalha atômica estava habilitada a receber as sementes da vida e, sob o impulso dos Gênios Construtores, que operavam no orbe nascituro, vemos o seio da Terra recoberto de mares mornos, invadido por gigantesca massa viscosa a es­praiar-se no colo da paisagem primitiva.
         Dessa geléia cósmica, verte o princípio inteligente, em suas primeiras manifestações...
         Trabalhadas, no transcurso de milênios, pelos operários espirituais que lhes magnetizam os valores, permutando-os en­tre si, sob a ação do calor interno e do frio exterior, as mônadas celestes exprimem-se no mundo através da rede filamentosa do protoplasma de que se lhes derivaria a existência organizada no Globo constituído.
Séculos de atividade silenciosa perpassam, sucessivos...

4) Na Esfera Espiritual, em que estagiamos, o eletrão é também partícula atômica dissociável. — (Nota do Autor espiritual)

Publicado por Viktor às 10:36
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 5 de Outubro de 2007

ADULTÉRIO E PROSTITUIÇÃO

Atire-lhe a primeira pedra aquele que estiver isento de pecado, disse Jesus.

Esta sentença faz da indulgência um dever para nós outros porque ninguém há que não necessite, para si próprio, de indulgência. Ela nos ensina que não devemos julgar com mais severidade os outros, do que nos julgamos a nós mesmos, nem condenar em outrem aquilo de que nos absolvemos. Antes de atribuirmos a alguém uma falta, vejamos se a mesma censura não nos pode ser feita. Do item 13, do Cap. X, de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

É curioso notar que Jesus, em se tratando de faltas e quedas, nos domínios do espírito, haja escolhido aquela da mulher, em falhas do sexo, para pronunciar a sua inolvidável sentença: "aquele que estiver sem pecado atire a primeira pedra". Dir-se-ia que no rol das defecções, deserções, fraquezas e delitos do mundo, os problemas afectivos se mostram de tal modo encravados no ser humano que pessoa alguma da Terra haja escapado, no cardume das existências consecutivas, aos chamados "erros do amor". Penetre cada um de nós os recessos da própria alma, e, se consegue apresentar comportamento irrepreensível, no imediatismo da vida prática, ante os dias que correm, indague-se, com sinceridade, quanto às próprias tendências. Quem não haja varado transes difíceis, nas áreas do coração, no período da reencarnação em que se encontre, investigue as próprias inclinações e anseios no campo íntimo, e, em sã consciência, verificará que não se acha ausente do emaranhado de conflitos, que remanescem do acervo de lutas sexuais da Humanidade. Desses embates multimilenários, restam, ainda, por feridas sangrentas no organismo da colectividade, o adultério que, de futuro, será classificado na patologia das doenças da alma, extinguindo-se, por fim, com remédio adequado, e a prostituição que reúne em si homens e mulheres que se entregam às relações sexuais, mediante paga, estabelecendo mercados afectivos. Qual ocorre aos flagelos da guerra, da pirataria, da violência homicida e da escravidão que acompanham a comunidade terrestre, há milénios, diluindo-se, muito pouco a pouco, o adultério e a prostituição ainda permanecem, na Terra, por instrumentos de prova e expiação, destinados naturalmente a desaparecer, na equação dos direitos do homem e da mulher, que se harmonizarão pelo mesmo peso, na balança do progresso e da vida. Note-se que o lenocínio de hoje, conquanto situado fora da lei, é o herdeiro dos bordéis autorizados por regulamentação oficial, em muitas regiões, como sucedia notadamente na Grécia e na Roma antigas, em que os estabelecimentos dessa natureza eram constantemente nutridos por levas de jovens mulheres orientais, directa ou indirectamente adquiridas, à feição de alimárias, para misteres de aluguer. Tantos foram os desvarios dos Espíritos em evolução no Planeta – Espíritos entre os quais muito raros de nós, os companheiros da Terra, não nos achamos incluídos - que decerto Jesus, personalizando na mulher sofredora a família humana, pronunciou a inesquecível sentença, convocando os homens, supostamente puros em matéria de sexualidade, a lançarem sobre a companheira infeliz a primeira pedra. Evidentemente, o mundo avança para mais elevadas condições de existência. Fenómenos de transição explodem aqui e ali, comunicando renovação. E, com semelhantes ocorrências, surge para as nações o problema da educação espiritual, para que a educação do sexo não se faça irrisão com palavras brilhantes mascarando a licenciosidade. Quando cada criatura for respeitada em seu foro íntimo, para que o amor se consagre por vínculo divino, muito mais de alma para alma que de corpo para corpo, com a dignidade do trabalho e do aperfeiçoamento pessoal luzindo na presença de cada uma, então os conceitos de adultério e prostituição se farão distanciados do quotidiano, de vez que a compreensão apaziguará o coração humano e a chamada desventura afectiva não terá razão de ser.

Emmanuel

Publicado por Viktor às 22:01
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Curso de Iniciação ao Kar...

. A Crise de Cura nos Inici...

. Reflexão: Mundo de Ilusão

. Reiki na Actualidade

. SÍMBOLO: CHO-KU-REI

. As Energias II

. Reflexão: As Energias...

. O que é o Reiki?

. Consultas Terapêuticas Ho...

. Cursos de Reiki e Karuna ...

. Reflexão: do Reiki ao Kar...

. Reflexão: O Reiki em inúm...

. Agenda de Outubro

. Reflexão: A mesquinhez hu...

. Agenda de Junho

. Relexão: Guias...

. Reflexão: Semifrio de Emo...

. Consultas Holísticas

. Actividades em Abril - Re...

. Reflexão: Caminho do Amor

. Agenda... de Março

. Formações em Agenda

. Reflexão: A Infelicidade…

. Ensinamentos em Poesia

. Curso de iniciação ao Rei...

. Hoje em Poesia

. Reflexão: Lixo Invisível…

. Curso de Iniciação ao Rei...

. Brevemente... Reiki e Kar...

. Proximas actividades em a...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007