Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

«Reiki & Terapias Orientais»

Aqui divulgo Terapias energeticas e/ou holísticas, evolução do Ser e crescimento pessoal. Autor do livro "Partilhas de um Ser" «Mestre de Reiki e Karuna». Tratamentos, Cursos e Workshop's

Aqui divulgo Terapias energeticas e/ou holísticas, evolução do Ser e crescimento pessoal. Autor do livro "Partilhas de um Ser" «Mestre de Reiki e Karuna». Tratamentos, Cursos e Workshop's

«Reiki & Terapias Orientais»

28
Set10

Problemas Existenciais…

Viktor

Caros leitores,

     Umas das grandes questões sobre as quais se debate o Ser humano são: o que sou, de onde vim, para onde vou, que destino terei. As mais variadas ideias que temos sobre o Universo e as suas Leis, o papel de cada um neste teatro, primordial para cada um de nós, para podermos dirigir as nossas atitudes. Aqui reside a base que motiva toda uma civilização, pois tão superficiais são os seus ideais quanto superficial for o Ser. Colectiva e individualmente, a criação do mundo e da vida define os deveres de cada um, bem como os caminhos a seguir e as soluções a adoptarem.

     Como nem sempre são fáceis de resolver estes problemas, é típico simplesmente rejeitarem-nos. Tipicamente a maioria das pessoas são indecisas e vacilantes, o que faz com que sofram com que sofram com a consequência dos seus actos. Todas as épocas têm um determinado mal que causa perturbações no Ser mantendo-o preso a esses paradigmas. É claro que quando se fala em progresso, as pessoas perguntem, mas para chegar onde? É nisso que não pensam o tempo suficiente. Todo o Ser, inconsciente dos seus desígnios, é como se fosse um viajante que automaticamente percorre-se um caminho sem conhecer o ponto de partida e chegada e sem saber porque está a viajar mas, contudo sempre disposto a parar ao primeiro obstáculo que se lhe depare, o que o faz perder tempo descuidando-se assim do objectivo que pretende alcançar. A mediocridade e obscuridade das mais variadas doutrinas religiosas bem como os abusos que têm engendrado ao longo de gerações, faz com que imensos Seres sejam lançados para o materialismo. Como tal, estes crêem que tudo acaba com a morte, e que o destino do Homem é desvanecer-se no nada.

     Vamos então observar como esta forma de ver as coisas está oposta à experiência e razão. À partida não se coaduna com toda a noção de justiça e progresso. Se as nossas vidas se resumissem ao tempo que vai desde o nascimento à morte, apenas nos regeríamos pela lei dos instintos, apetites e gozos e de pouco nos valia amar-mos o Bem e a igualdade entre os Seres neste mundo. O egoísmo bem entendido, seria a suprema sabedoria e a existência perderia a sua grandeza e dignidade. As mais generosas e nobres faculdades do Ser humano, terminavam por se dobrar e extinguir inteiramente. A negação da vida futura eliminava todas as sanções morais, pois assim quer sejam bons ou maus, humildes ou criminosos, todos acabavam na morte. Mas que pensamento tão errado. Assim não haveria compensações relativamente às existências miseráveis, à opressão, à ansiedade e à dor. Não haveria também uma consolação relativamente às provas prestadas nem esperança para os aflitos. Não haveria diferenças nas esperanças e na evolução entre uma pessoa egoísta e egocêntrica que viveu única e exclusivamente para si muito dependente dos outros e uma pessoa humilde que sucumbiu em “combate” para a libertação da raça humana. Se tudo terminasse com a morte, não havia motivos para aborrecimentos e para conter os seus gostos e instintos, porque fora das leis terrenas ninguém o poderia julgar. Nestes moldes o bem e o mal seriam confundidos, acabando por se diluir no nada e o suicídio acabava por ser sempre uma forma de fugir às leis humanas. Acreditar que nada mais existe para lá da morte, deita por terra toda a condenação moral, o que deixava sem solução o problema que existe relativamente à desigualdade das existências, relativamente às nossas faculdades, situações e méritos relativamente às vivências. Já agora, vamos pensar no seguinte, porque é que uns têm todos os dons de riqueza enquanto outros vivem apenas na pobreza intelectual (vícios e miséria)? Porque é que Seres da mesma família, provindo da mesma carne e sangue, são tão diferentes em tantos pontos e feitios? Estas e outras questões não têm resposta possível para os materialistas e que têm uma resposta tão simples para os crentes.

     Vamos viver em comunidade e em conjunto, pensando colectivamente e agindo em prol do bem-estar comum da humanidade, pondo de lado a prepotência, egocentrismo, materialismo, inveja e apego do individualismo, pois todos estes pontos são fontes de sofrimento para qualquer Ser.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Local/Contacto:

Portugal - Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

Links

FÓRUM DO BLOG

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D