.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Sábado, 1 de Setembro de 2007

CLARIVIDÊNCIA

O homem permanece, como era, aprisionado no corpo físico. Existem, porém, estados de vida, no interior do físico, mais subtis e refinados. No nosso ser sêxtuplo - como já temos explanado - está o corpo etérico, que é uma duplicata, em aparência, do corpo físico, mas formado de substância mais subtil, invisível à visão física. Este duplo etérico submerge ou interpenetra a totalidade do corpo físico. O corpo etérico consiste de duas partes, uma mais grosseira e uma mais subtil, e opera através do sistema nervoso. Com a morte, a totalidade do corpo etérico é retirada, e a substância da parte mais grosseira, assemelhando-se muito à matéria, logo se desintegra como se desintegra o corpo físico.


Durante a vida física, este duplo etérico forma a ponte entre a alma do homem e os mundos mais subtis. Através desta ponte e via sistema nervoso e dos corpos mental e vital do médium, a alma no mundo espiritual se comunica com a Terra. O tipo de mensagem que chega depende, em grande parte, do carácter do médium, das circunstâncias de sua vida (dele ou dela), das condições proporcionadas pelo médium, e das condições física e mental do assistente a quem a mensagem é endereçada.


Interpenetrando o corpo etérico denso existe um veículo etérico mais subtil, que eu chamarei de corpo de luz ou corpo vital, que não somente interpenetra os corpos físico e etérico mais baixo, mas também os veículos mais altos: os corpos mental, institucional e celestial. Há, assim, um elo entre cada um dos corpos, pelo qual a luz espiritual do divino pode crescer, através desses vários corpos, até alcançar o corpo etérico mais grosseiro, que liga tudo ao cérebro e ao sistema nervoso.


Quando falamos de clarividência, referimo-nos àquele tipo de visão que é mais comum. Existe muito equívoco acerca da natureza da clarividência. Em algumas pessoas, o corpo etérico mais denso pode estar ligado apenas frouxamente ao corpo físico e sairá com muita facilidade. O plano etérico jaz tão perto da Terra que para uma pessoa desencarnada ele aparece quase tão denso e pesado como a própria substância física. O etérico mais baixo regista quadros e reflete-os para a Terra. Algumas pessoas (que podem ser descritas como clarividentes involuntários) podem ver essas formas ou quadros do modo que eles são reflectidos no centro do plexo solar. Animais também podem algumas vezes ver deste modo. Em passado distante, antes que o homem adquirisse tal contacto íntimo com a substância física densa, a visão involuntária, tal como esta, era comum.


O corpo físico do homem médio não é muito receptivo a influências espirituais. No homem normal, o corpo etérico solta-se com um clique, por assim dizer, ficando o homem, daí por diante, inconsciente de sua presença.


Mas, como nós temos dito, há certas pessoas que possuem um corpo etérico frouxo, que pode sair do físico de modo muito fácil, e resultam então perturbações tais como uma descontrolada clarividência e obsessão. Há uma enorme diferença entre esta clarividência no plano etérico mais baixo e um outro tipo, que resulta do treinamento e uso correto dos centros psíquicos ou chakras no corpo etérico.


Eu descreverei a diferença deste modo: fique à margem de um lago muito tranquilo e veja o reflexo das árvores e do céu na água. Como é belo o efeito! Mas se o lago se tornasse agitado, este reflexo seria prejudicado. Depois, tudo era somente um reflexo, um símbolo, um jogo de luz e cor. Agora, dirija sua visão para a verdadeira paisagem, as árvores verdadeiras e o céu, e verá algo que é constante, evidente e, para os seus sentidos, real. Esta é a diferença entre a clarividência involuntária, que é um registo pelo corpo etérico mais baixo, usualmente não controlado e sem desenvolvimento, e a clarividência inteligente e treinada que recebe luz ou impulso do plano do espírito divino.


Certas drogas podem desligar o corpo etérico do físico. Um inebriante fará o mesmo, mandando o etérico algumas vezes para um lugar muito infeliz, como é o caso de alguns infortunados sofredores do delirium tremens, quando na realidade seu corpo etérico está registando todas as visões e condições de algum baixo plano astral. Um anestésico também pode fazer sair o corpo etérico. Algumas vezes sua consciência está ativa, mas frequentemente permanece inactiva e não transmite cousa alguma à memória do paciente em seu retorno.


Há uma conexão entre o corpo etérico e alguns dos principais centros psíquicos, na cabeça, na garganta, no coração, no baço, no plexo solar e na base da espinha. Os estudantes de medicina reconhecerão estes centros como pontos focais do sistema nervoso. Estes centros, por sua vez, são conectados com diferentes esferas ou planos da vida espiritual. Eles são como flores com pétalas: quando você começa a desenvolver a consciência espiritual, estes centros, quais flores, (flowerlike) começam a se desenvolver. Eles giram, possuem vida e luz e projectam belas cores. Seus guias e auxiliares reconhecem imediatamente sua posição no caminho evolutivo pela vibração e luz e poder que eles podem visualizar nestes centros.


Alguns de vocês despertaram os centros psíquicos numa reencarnação anterior e, agora que reencarnaram, estes centros projectam luz que pode afrouxar a estrutura do corpo etérico e ocasionar o que é descrito como um médium “natural” ou clarividente “natural”. O verdadeiro clarividente, entretanto, é alguém que trouxe do passado o conhecimento de como utilizar de forma inteligente estes centros do corpo, e pode frequentemente, desse modo, cumprir grande trabalho.


Nós esperamos que vocês não queiram todos de uma vez começar a tentar desenvolver estes centros! Para fazer isso vocês necessitam de muito mais conhecimento do que nós lhes estamos dando agora. Os centros começam a irradiar quando a vontade e a inteligência os estão dirigindo para a actividade. Usualmente, o centro que primeiro reage para as coisas que e encontram fora do corpo físico é aquele situado no plexo solar.


Você diz: “Eu não posso ver ou ouvir, mas eu sinto”. Se você se esforçar para analisar como você “sente”, não saberá. Mas se, cuidadosamente, examinar o que aconteceu, você descobrirá que o plexo solar experimentou um sentimento “esquisito”, e assim você “percebe” que sentiu.


O próximo é o centro frontal, algumas vezes denominado o Terceiro Olho, mas que nós denominaremos aqui o chakra frontal. Este pode operar de forma metódica sob a direcção da vontade o do eu espiritual, e permitirá ao médium tornar-se conhecedor das esferas espirituais. A verdadeira clarividência não é aquela visão que sugere que você vê alguma coisa com o olho físico. A clarividência repousa dentro do próprio ser. Pode parecer que você está olhando algum objecto no exterior, mas, no momento, você está examinando profundamente este centro ou chakra qual flor (flowerlike) dentro de si. Entretanto, você pode ser clarividente com seus olhos fechados. De fato, você verá melhor assim. Você dirá, sim, mas tudo aquilo pode ser somente imaginação! Imaginação é um termo usado muito livremente. Imaginação é a porta para a verdadeira visão espiritual.


Não pense que os plexos frontal e solar são os únicos centros utilizados, porque quando você entrar em contacto com o plano institucional ou celestial, você verá não só com o frontal, mas com outros centros: na verdade, todo o ser vê. Quando você alcança este plano, você regista ou reflecte verdadeiramente os planos espirituais. Através do amor divino, o centro cardíaco começa a pulsar e irradiar as mais belas cores e luzes e então você se torna consciente da verdade divina, e torna-se um médium ou canal da pura verdade.
Publicado por Viktor às 15:18
Link | Comentar | favorito
5 comentários:
De hugorider a 1 de Setembro de 2007 às 23:20
Olá , eu não resisti e tive que comentar, ainda só li dois posts deste magnifico blog, eu acredito em Deus, e ultimamente sinto falta de ouvir ou ler, algo que me faça sentir que estou mais perto Dele, aqui neste blog deu para ver que posso adquirir sabedoria, paz, o que para mim e muito importante.
Eu virei cá muitas vezes, isto e uma promessa, um grande abraço e ate a próxima !!!
De Viktor a 2 de Setembro de 2007 às 00:51
Hugo,
em primeiro lugar obrigado pela visita e pelo post, pois gostei particularmente do mesmo.
Fico feliz por saber que gostas do blog e que virás cá mais vezes.
Nunca deixes de acreditar em Deus, porque ele está sempre presente em todos os momentos bons e menos bons da tua vida. Os menos bons encara-os como "lições" para o teu desenvolvimento interior (espiritual), pois a tua missão tu é que a escolhes-te.
Boa noite.
Saudações Reikianas [Namaste].
De Juninho a 16 de Agosto de 2010 às 22:19
Tudo que li nesse blog fez mtoo sentido, pois atualmente estive na praia e ocorreu um incidente onde estava bebado e me vi entrando no meu proprio corpo, a partir dai durante 2 meses, ficava com a consciencia alterada do nada, (as vezes depois de tomar cafe, ou com pouco de fome), onde tudo que eu via fazia sentido e entendia mtas coisas....qdo pesquisei mto sobre isso, vi que tem relacoes com a clarividencia....frequentando medico, comecei a tomar remedio e nisso perdi essas sensacoes...
De Viktor a 17 de Agosto de 2010 às 01:43
Olá Juninho,
Obrigado pelo teu testemunho.
Tudo de bom.

Saudações holísticas

NAMASTÊ
De Graça a 21 de Novembro de 2010 às 01:08
Gostei imenso do que li, foi bastante esclarecedor. Até à bem pouco tem eu não compreendia o que me acontecia quando na minha "frente" surgiam determinados "quadros" muitas vezes relativos a outras pessoas outras a mim própria. Sempre achei que era uma situação fora da null pois nunca tive qualquer contacto físico ou mecânico com espíritos Por vezes senti-me sugestionada mas nada de muito importante, só para mim.
Levo a vida numa procura de quem sou e o que poderei fazer neste meu "caminho". Confesso que nos últimos dois anos a minha pequeníssima clarividência se tem acentuado em relação aos outros. As pessoas procuram-me para as ajudar e para palavras de conforto em relação às suas vidas, eu tento ser o mais discreta possível e analisar o melhor que consigo os sinais que recebo, mas vou dizendo o que devo... ultimamente e por duas vezes recebi mensagens intuitivas de duas pessoas desencarnadas que quiseram que eu comunicasse ao familiar que estavam bem e que lhes desse alguns recados. Foi tudo tão estranho... eu dei, os familiares ficaram aliviados e os desencarnados não me voltaram a contactar.
Frequento um grupo espiritualista que conheço à 20 anos mas só o faço com regularidade desde Maio de 2010.
Mas gostei de ler o que aqui estava escrito porque eu realmente vejo para dentro :)
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Gostei imenso do que li, foi bastante esclarecedor. Até à bem pouco tem eu não compreendia o que me acontecia quando na minha "frente" surgiam determinados "quadros" muitas vezes relativos a outras pessoas outras a mim própria. Sempre achei que era uma situação fora da null pois nunca tive qualquer contacto físico ou mecânico com espíritos Por vezes senti-me sugestionada mas nada de muito importante, só para mim. <BR>Levo a vida numa procura de quem sou e o que poderei fazer neste meu "caminho". Confesso que nos últimos dois anos a minha pequeníssima clarividência se tem acentuado em relação aos outros. As pessoas procuram-me para as ajudar e para palavras de conforto em relação às suas vidas, eu tento ser o mais discreta possível e analisar o melhor que consigo os sinais que recebo, mas vou dizendo o que devo... ultimamente e por duas vezes recebi mensagens intuitivas de duas pessoas desencarnadas que quiseram que eu comunicasse ao familiar que estavam bem e que lhes desse alguns recados. Foi tudo tão estranho... eu dei, os familiares ficaram aliviados e os desencarnados não me voltaram a contactar. <BR>Frequento um grupo espiritualista que conheço à 20 anos mas só o faço com regularidade desde Maio de 2010. <BR>Mas gostei de ler o que aqui estava escrito porque eu realmente vejo para dentro :) <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bem-hajam</A> <BR>Namasté

Comentar post

::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Curso de Iniciação ao Kar...

. A Crise de Cura nos Inici...

. Reflexão: Mundo de Ilusão

. Reiki na Actualidade

. SÍMBOLO: CHO-KU-REI

. As Energias II

. Reflexão: As Energias...

. O que é o Reiki?

. Consultas Terapêuticas Ho...

. Cursos de Reiki e Karuna ...

. Reflexão: do Reiki ao Kar...

. Reflexão: O Reiki em inúm...

. Agenda de Outubro

. Reflexão: A mesquinhez hu...

. Agenda de Junho

. Relexão: Guias...

. Reflexão: Semifrio de Emo...

. Consultas Holísticas

. Actividades em Abril - Re...

. Reflexão: Caminho do Amor

. Agenda... de Março

. Formações em Agenda

. Reflexão: A Infelicidade…

. Ensinamentos em Poesia

. Curso de iniciação ao Rei...

. Hoje em Poesia

. Reflexão: Lixo Invisível…

. Curso de Iniciação ao Rei...

. Brevemente... Reiki e Kar...

. Proximas actividades em a...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007