Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

«Reiki & Terapias Orientais»

Aqui divulgo Terapias energeticas e/ou holísticas, evolução do Ser e crescimento pessoal. Autor do livro "Partilhas de um Ser" «Mestre de Reiki e Karuna». Tratamentos, Cursos e Workshop's

Aqui divulgo Terapias energeticas e/ou holísticas, evolução do Ser e crescimento pessoal. Autor do livro "Partilhas de um Ser" «Mestre de Reiki e Karuna». Tratamentos, Cursos e Workshop's

«Reiki & Terapias Orientais»

26
Jun14

Reflexão: Casamento, um drama de vida…

Viktor

Caríssimos,

     Todo o Ser humano ao longo da sua vida gosta de estar acompanhado e tem imenso receio da solidão e, derivado a essa sensação, procura estar sempre acompanhado. Faço uma pequena ressalva ao aspecto “solidão” que é diferente de estar só, pois podermos estar só sem sentirmos “solidão” e podemos estar no meio de uma multidão e sentirmos “solidão”. No decorrer da vida o Ser Humano procura constituir família para viver dentro dos parâmetros da sociedade na qual está inserido. Ao longo da sua juventude faz as suas escolhas através do que se chama “namoro”, de forma a conhecer a outra pessoa e assim poder chegar à conclusão se é “aquela pessoa”, com a qual pretende compartilhar a sua vida. Depois chegam a certo momento no qual pretendem contrair matrimónio, com aquela que foi a nossa escolha, sim “sua escolha”, escolha essa que é da nossa inteira responsabilidade.

     Segundo a ordem natural das coisas e da vida, o “casamento” deveria ser uma história de amor feliz, na qual reinasse a harmonia, carinho, ternura e muito amor entre ambos. Mas infelizmente, na maioria dos casos que na generalidade temos conhecimento, a verdade é bem diferente dos padrões mencionados na frase anterior. Em inúmeros matrimónios o Amor é algo que existe apenas durante os primeiros tempos, pois sendo o Amor como um Jardim carece de uma constante manutenção para que as flores estejam sempre viçosas e as ervas daninhas eliminadas. Quando esse jardim é “abandonado” perde a sua beleza tornando-se num “pedaço” de terreno selvagem, o que expressa bem o comportamento de um casal que vivem matrimonialmente sem que exista Amor. [Façam uma pausa na leitura e através de um exercício de consciência vejam em que grupo se enquadra o seu matrimónio]

     Depois de alguns tempos casados, com filhos, com encargos económicos que assumiram e outras coisas mais, iniciam a uma nova etapa nas suas vidas, com a pessoa que escolheram. O tempo vai passando e, eis que a certa altura, o jardim se converte em terreno “selvagem”, no qual existe todo o tipo de vegetação mas que nada tem a ver com o viçoso jardim outrora cultivado através do amor. A partir desse momento, uma nuvem negra abatesse sobre cada um, preenchendo as pessoas e os espaços em que habitam, com uma intensa energia negativa que lhes provoca todos os tipos de sintomas, problemas e pensamentos negativos. É então que, a partir de esse momento, aquilo que deveria ser uma bonita história de Amor, transforma-se numa história dramática [podendo mesmo chegar a ser um filme de terror], onde os personagens deixam de ter um papel de Amor passando a ter um papel de Drama. É claro que ninguém quer que a sua vida seja um filma Dramático, todos querem que seja um filme de Amor, mas a verdade é essa. A verdade torna-se mentira, o amor torna-se ódio, a confiança torna-se desconfiança, o respeito torna-se desrespeito, a tolerância torna-se em impaciência, o carinho torna-se repúdio, enfim, tantas coisas negativas que se apoderam de nós e nos destroem interiormente.

     A partir desse momento o mal-estar generalizado que se apodera das pessoas, dá origem ao surgimento da vontade de mudar de vida, pois não deseja continuar a ser personagem daquele filme dramático. Mas conjuntamente com a vontade de mudar, surgem muitos medos, tais como o medo de não conseguir ter suporte económico para se sustentar na vida, o medo de ser rejeitado pelos filhos, medo de que o companheiro(a) lhe possam fazer a vida negra, entre muitas outras coisas. Isto também acontece, sobretudo no sexo feminino, porque a maioria das pessoas não se acham a pessoa mais importante das suas vidas, achando que os mais importantes são os filhos. Por estas e outras razões as pessoas acabam por ter casamentos de fachada, onde se enganam a eles mesmos, casamentos de conveniência, por medo de não conseguirem enfrentar a vida sozinha(o), entre outras coisas, acabem por manter um casamento de fachada, no qual a chama do Amor já há algum tempo se encontra extinta.

     Depois de ler este texto acha que se enquadra nele? É esse o “tipo” de vida que sonhou para si? Certamente sonhou com outro tipo de vida, em estar acompanhado mas feliz (onde reine a magia do amor). Você merece ser feliz, viver com quem o compreenda, respeite, ame, com quem esteja ao seu lado principalmente nos momentos menos bons e lembre-se sempre que Você é a Pessoa Mais Importante da Sua Vida.

NAMASTÊ

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Local/Contacto:

Portugal - Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

Links

FÓRUM DO BLOG

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D