.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Sexta-feira, 5 de Junho de 2009

Mestre Takata fala sobre Reiki

Esta é a história do Mestre Mikao Usui, o fundador do Usui Reiki Ryoho, que significa Sistema de Cura Natural Usui Reiki. Na altura, no início da sua história, o Mestre Usui era um reitor da Universidade de Doshisha, em Kyoto. Pastor aos domingos, na Universidade havia uma capela. Por isso, era um sacerdote cristão de estatuto. O meu professor era o Mestre Hayashi, que foi seu aluno e continuou a sua obra após o falecimento do Mestre Usui. Portanto, por outras palavras, o Mestre Chujiro Hyashi foi o seu primeiro discípulo, e foi através dele que fiquei a conhecer a história do Mestre Usui. Não cheguei a conhecê-lo, mas o Mestre Hayashi dizia-me que era um génio, brilhante, inteligente – um grande filósofo e um grande erudito.

Num domingo, estava ele no púlpito a fazer o seu sermão e apercebeu-se de que havia cerca de uma dúzia de alunos na fila da frente. Normalmente, os estudantes da Universidade sentam-se na fila de trás. Então, ele disse: “Bom-dia a todos. Vou começar o nosso sermão dos domingos”. E um dos rapazes levanta a mão e o Mestre Usui reconhece-o. “Sim, o que se passa?”. E o jovem diz: “Nós, os que estamos aqui sentados, somos os que daqui a dois meses vão sair da escola, vamos formar-nos nesta Universidade. Mas, para o nosso futuro, gostaríamos de saber se tem fé absoluta na Bíblia”. E o Mestre Usui responde: “Com certeza que tenho! É por isso que sou sacerdote e que aceito o que diz a Bíblia”.

O Mestre Usui estava surpreso com a pergunta. E o jovem torna a a perguntar: “Eu represento este grupo, esta classe que se vai formar, e nós gostaríamos de saber mais sobre a sua fé. É por ter uma fé incondicional na Bíblia que aceita o que a Bíblia diz?”. O Mestre Usui responde: “Sim, sobretudo eu tenho fé. E também estudei a Bíblia, por conseguinte eu creio.”. Então, o jovem diz: “Mestre Usui, nós somos jovens nos seus vinte anos e temos pela frente um longo futuro. Gostaríamos, por isso, de esclarecer esta questão de uma vez: se possui tanta fé no cristianismo, deveremos crer, e o Mestre Usui crê, que Cristo podia curar pela colocação das mãos?” E o Mestre Usui diz: “Sim, eu creio.” O jovem diz: “Gostava-mos de acreditar como o Mestre Usui acredita, gostaríamos de ter essa fé, mas perguntamos-lhe a si, que é o nosso Mestre e o nosso Professor. Honramo-lo e respeitamo-lo. Por favor, demonstre-nos.” Então, o Mestre Usui responde: “Que tipo de demonstração?” O jovem diz: “Gostaríamos de o ver devolver a visão a um cego ou a curar um deficiente ou a caminhar sobre a água.” E o Mestre Usui responde: “Apesar de ser um bom cristão e de ter fé e de aceitar o que diz a Bíblia, e sei que Cristo o fez, mas não posso fazer essa demonstração porque não aprendi a fazê-lo”.

Então, o jovem diz: “Muito obrigada. Agora escolheremos o nosso caminho e aquilo em que cremos.

Podemos dizer apenas que a sua crença na Bíblia é uma fé cega, e nós não desejamos ter uma fé cega, e para vivermos toda a nossa vida, desejamos ver pelo menos uma demonstração para que possamos segui-lo, e aceitar e ter fé como o Mestre Usui”.

Então, o Mestre Usui disse: “Não posso fazer essa demonstração neste momento. Não vamos discutir sobre isso, mas um dia gostaria de vos provar. Quando encontrar a forma, regressarei e mostrar-vos-ei e demonstrá-lo-ei, eu espero. E, com isto, abdico. Vou descer do púlpito e apresentar a minha demissão de sacerdote de Doshisha e também de reitor desta Universidade. Sendo amanhã segunda-feira, vou tratar do visto. Irei a um país cristão estudar a Bíblia, e estudar o Cristianismo num país cristão. E talvez encontre a resposta. Quando a encontrar, regressarei. E dir-vos-ei que consigo fazer o que me pediram.” E disse “Adeus”. E deixou a igreja a partir desse dia. No dia seguinte, o Mestre Usui começou a tratar do visto e escolheu os Estados Unidos. Quando ficou tudo tratado, apanhou o barco, viajou de comboio, e entrou na Universidade de Chicago. Estudou Filosofia, mas em primeiro lugar queria estudar o Cristianismo e a Bíblia. Quando começou o estudo, apercebeu-se de que a Bíblia e a escola Cristã que frequentara eram idênticas, os ensinamentos eram os mesmos. E nem na Bíblia Cristã nos EUA conseguiu encontrar a fórmula para a cura deixada por Cristo.

Associação Portuguesa de Reiki “Monte Kurama”

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 11:59
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Agosto de 2007

JESUS PROCLAMOU EM NAZARÉ O ANO AGRADÁVEL AO SENHOR

Jesus declarou, na sua prédica primeira na Sinagoga de Nazaré, ao ler Isaías e interpretá-lo: "O espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para por em liberdade os oprimidos e proclamar o ano aceitável do Senhor". É o que consta dos versículos 18a 19 do Cap. IV do Evangelho de Lucas, tradução de Almeida, revista e actualizada no Brasil. Outras traduções mencionam, em lugar de "ano aceitável" o "ano agradável ao Senhor".
Esse ano era uma tradição judaica a que o Levítico se refere de maneira minuciosa (XXV: l-34). Havia o ano Sétimo, o Sábado do Senhor, por analogia com a semana que era o ano do descanso da terra cultivada. E havia o Ano do Jubileu, ou Quinquagésimo, que era o da Justiça, caracterizado na proclamação de Jesus. De cinquenta em cinquenta anos se procedia a uma verdadeira reforma da estrutura agrária do Estado para o reequilíbrio das condições sociais, com libertação dos escravos. Jesus serviu-se dessa tradição para anunciar a sua missão como a proclamação do Ano Agradável ao Senhor, ou seja, de uma nova fase da vida na Terra.
Um famoso pastor, o rev. Stanley Jones, chamado o Cavaleiro do Reino de Deus, estudou essa tradição em suas ligações com o Cristianismo dos primeiros tempos, demonstrando que os cristãos primitivos queriam realmente estabelecer na Terra o Ano Agradável ao Senhor. A ideia do Novo Ano como oportunidade de renovação, de volta do homem para Deus e de sujeição das leis humanas às leis de Deus vem das próprias Escrituras. Em O Livro dos Espíritos, de Kardec, obra básica do Espiritismo, essa ideia se traduz num esforço profundo de renovação pessoal e social, afirmando os Espíritos que a função da doutrina é renovar o mundo para aproximá-lo das leis de Deus cujo centro de gravitação é a "Lei de Justiça, Amor e Caridade", estudada num capítulo especial.
Aproveitemos a oportunidade do Novo Ano para ler esse capítulo do Livro III de O Livro dos Espíritos e meditar sobre as palavras de Jesus na proclamação de Nazaré. O Cristianismo é o foco central de um processo histórico que vem do Judaísmo e se desenvolve no Espiritismo, segundo a promessa de Jesus no Evangelho de João. A finalidade do Espiritismo é estabelecer na Terra o Ano Agradável ao Senhor, com a substituição do egoísmo e da ambição do homem velho pelo amor e a fraternidade do homem novo. Que o Novo Ano nos ajude nessa renovação cristã.
J. Herculano Pires
Publicado por Viktor às 10:42
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Mestre Takata fala sobre ...

. JESUS PROCLAMOU EM NAZARÉ...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007