.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Segunda-feira, 2 de Abril de 2012

Reflexão...

 

     Por vezes é complexo viver num mundo onde tudo parece estar desorganizado. Liga-se a televisão e acabamos por “levar” com toda a carga de energia negativa associada aos blocos noticiosos, as primeiras páginas dos jornais expõem maioritariamente notícias de choque (em nada positivas), os governos parecem querer governar desconhecendo as reais carências de quem neles depositou um voto de confiança, as sociedades secretas que tentam a todo o custo dominar os desenvolvimentos da humanidade, enfim, um sem número de situações neste jogo das polaridades que tem como objectivo comum servir de escola da vida, para que a consciência colectiva das populações se desenvolva de forma colectiva universal.

     De que vale a pena andar pelos blogues, redes sociais, cafés, centros espíritas, cabeleireiro entre muitos outros locais, a falar de pobreza, crise, desemprego e tantas outras coisas mais? É inútil e indiferente apenas e só manifestar sentimentos de compaixão, amor, pesar, misericórdia, desgosto, tristeza, mágoa e desagrado, pois isso apenas e só gera naquele momento e local um certo mau estar pois esse tipo de conversa toca emocionalmente as pessoas e faz com que baixe a sua frequência energética vibratória. Escrever textos de apoio e proferir palavras de animo são apenas alimentos para a Alma, mas os mais carenciados e desfavorecidos necessitam de pessoas pró-activas que coloquem em prática (no terreno) todas essas coisas que dizem, partilhando com o seu semelhante um pouco do seu pão, algumas das suas roupas, alguns dos seus agasalhos, enfim, dividindo com o semelhante um pouco daquilo que temos, em prol de uma sociedade mais justa, social, humana e coerente.

     Termino esta reflexão deixando uma palavra de apoio a todos aqueles que, muitas vezes “relegando” as suas famílias para segundo plano, se dedicam à maravilhosa e fantástica causa humanitária de ajuda ao seu semelhante, abdicando da vida na materialidade e de outras tantas coisas, acabando por ter uma vida de quase inteira dedicação à ajuda do ser semelhante. Parabéns a todos os projectos sociais, associações ou iniciativas individuais de ajuda ao próximo.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 20:00
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Abril de 2011

Adeus SRI SATHYA SAI BABA… até um dia

Caros Irmãos,

 “Eu vim para acender a lâmpada de Amor nos vossos corações, para ver que ele brilha de dia para dia, com brilho intenso. Eu não vim em nome de qualquer religião exclusiva. Eu não vim em missão de publicidade para uma seita ou credo ou causa, nem vim para recolher os seguidores de uma doutrina. Não tenho nenhum plano para atrair discípulos ou devotos para o meu abraço ou qualquer dobra. Vim para lhe falar desta fé unitária, este princípio espiritual, este caminho de Amor, essa força do Amor, este dever de Amor, esta obrigação de Amor. [04 de Julho de 1968, Baba]”

      Milhares de devotos compareceram nesta segunda-feira ao ashram do guru hindu Sathya Sai Baba, um dia depois de sua morte. O corpo do líder religioso foi colocado em uma redoma de vidro em seu ashram em Puttaparti, na Índia.

O corpo do Líder ficará no local até terça-feira, e um funeral com honras de estado está previsto para a quarta-feira. Sai Baba, de 84 anos, era um dos mais populares líderes religiosos da Índia, considerado por milhares de seguidores como o Deus vivo.

      Sai Baba estava internado há um mês e respirava com ajuda de aparelhos. Ele morreu de falência múltipla dos órgãos, por conta de complicações no coração e pulmões, informou a imprensa local.

      Seus seguidores, estimados em número de seis milhões, incluem líderes políticos indianos, empresários e estrelas de Hollywood.

       A morte causou a tristeza dos devotos. Centenas de milhares de fiéis são esperados para o funeral do líder, conhecido por seus cabelos encaracolados e suas vestes na cor de açafrão.

      Sai Baba nasceu Sathyanarayana Raju em Puttaparti, em 1926. Aos 13 anos, anunciou que era a reencarnação de um líder religioso do século 19, venerado tanto por hindus quanto por muçulmanos. Ele arrebatou milhões de seguidores mundo afora com seus ensinamentos que eram um misto das duas crenças, que recitava com uma fala sempre suave.

      O guru também dizia ter o poder de materializar objetos como anéis e relógios, habilidade desqualificada por seus críticos como meros truques para enganar as pessoas. Os fiéis, porém, acreditavam que ele tinha ainda a capacidade de curar doentes terminais.

      Graças às doações dos fiéis, muitas delas de milionários convertidos à sua crença, Sai Baba construiu em Puttaparti um hospital, uma universidade, hotéis e até um aeroporto privado. Sua fundação também mantém um serviço de alimentação para a população carente.


Baghavan Sri Sathya Sai Baba, pseudônimo de Sathya Narayana Raju foi um guru indiano. É considerado por muitos como um Avatar (encarnação numa forma humana de um ser divino). O próprio Sai dizia ser a segunda de uma tríplice encarnação: teria sido Shirdi Sai Baba, um religioso indiano do século XIX venerado por hindus e muçulmanos, e futuramente seria Prema Sai Baba. Nasceu em 23 de novembro de 1926, em Puttaparthi, pequena vila no sul da Índia, no estado de Andhra Pradesh.

Muitos dos seus seguidores consideravam-no uma divindade e atribuíam-lhe poderes sobrenaturais, como a levitação[1].

Em 1950, Baba fundou o seu primeiro templo ashram. Desde então, construiu uma poderosa organização, que financia projectos de saúde e educação e promove as medicinas alternativas[1]. Mas a sua carreira não está isenta de controvérsia, nomeadamente queixas por abuso sexual (que nunca resultaram em acusações formais) e fraudes nos seus supostos "milagres"[1].

Morreu em 24 de abril de 2011 por problemas cardíacos e pulmonares, em Puttaparthi, após prolongado internamento hospitalar. Como reacção à sua morte, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, afirmou "Ele inspirou milhões a levar uma vida mais moral e significativa, independentemente da religião que seguiam. A sua morte é uma perda irreparável para o país”[1] Milhões de pessoas acorreram ao seu ashram para as cerimónias do funeral.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: EVAN - O Todo Poderoso
Publicado por Viktor às 19:37
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 22 de Março de 2011

Pelos outros… …por nós

Caros Irmãos,

     Viver neste recanto do universo (Terra) deverá ser encarado como um privilégio, ainda mais numa altura destas em que o planeta se encontra numa fase de transição. Ao longo do tempo tenho-lhes vindo a dizer que a melhor forma de viver neste planeta é viver no Amor, acordar com Amor, passar o dia com Amor e deitar-se repleto de Amor. Viver assim é amar em vez de odiar, dar amor a quem dá desprezo, acalentar a alma daqueles que se sentem marginalizados, servir de orientação a quem se sente perdido, servir de luz àqueles que estão na escuridão, dar apoio àqueles que se encontram desequilibrados, servir de amparo àqueles que estão em queda, dar vós aqueles que tantas vezes são silenciados, dá carinho àqueles que estão carentes, enfim, é ser diferente daquilo que o Ser humano define como “ser vulgar”.

     Viver no molde que anteriormente mencionei não é algo fácil, dá o seu trabalho e é algo também que leva tempo, pois inúmeros factores têm de ser conjugados em certo sentido, para que se possa abraçar essa missão de corpo e alma. Ter uma vida idêntica à de tantas outras pessoas (trabalho, família, casa, etc…) mas dedicar-se de corpo e alma em prol do semelhante é um trabalho bonito, mas para o qual é necessário em muitos casos ter a coragem de avançar e fazer, pois infelizmente há sempre quem ache que este tipo de coisas são literalmente uma perca de tempo.

     Para poder levar o bem-estar a todos os que participam e usufruem das actividades que desenvolvo gratuitamente, criei e registei o Projecto Social REIsocialKI® em funcionamento desde 2009. A página oficial do mesmo é: http://reisocialki.blogs.sapo.pt/ . O mesmo é levado a efeito todas as quartas-feiras às 21h em ALBUFEIRA (semanalmente), de três em três semanas em VERMOIM no “SOS – Saúde e Beleza” pela Dr.ª Isabel Romba e algumas vezes (não regulares) na COVILHÃ pela Dr.ª Anabela Martins na Avenida da Anil. Todos os donativos angariados nestes eventos (roupas, alimentos, livros e outro material) são posteriormente entregues aos sem-abrigo (em mão própria) ou a instituições se solidariedade social credíveis. Este é um projecto que se encontra em expansão que pretende servir o maior número de pessoas, em prol de um mundo melhor, mais coerente, mais social e humano em prol do bem-estar comum universal.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: RFM
Publicado por Viktor às 14:13
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

Reflexão...

Caros irmãos,

Estar no caminho da Luz é muito difícil. Difundir o amor e compaixão em prol da ajuda ao semelhante é lindo e algo que nos enche a alma, mas há uma coisa da qual as pessoas se esquecem. Nós também somos seres de carne e osso, tal como quem me procura, também temos vida, família, sentimentos e emoções, logo não podemos ser vistos com aquela imagem estereotipada que as pessoas criam: “Um mestre é algo que já está lá em cima, cheio de paz, luz e amor, sempre disposto a ajudar o seu semelhante…”. Pois, mas em verdade lhes digo que um mestre é apenas alguém que com trabalho e dedicação alcançou essa terminologia (demorei 7 anos a chegar lá) mas o facto de alcançar o topo da hierarquia Reikiana não significa que seja o detentor de todo o conhecimento e sabedoria afecta à mesma. Alcançar esse patamar (mestre) significa o inicio de uma nova caminhada, com uma responsabilidade acrescida perante a sociedade e os seus semelhantes. Alcançar este nível faz com que diariamente sejamos alvos de ataques por parte das pessoas que emanam energias de vibração mais baixa estando constantemente a “puxar-nos” para baixo. É um trabalho árduo e difícil, tentarmos manter sempre a nossa vibração energética elevada, porque já é difícil carregarmos a nossa cruz quanto mais quando “exigem” de nós que ajudemos a carregar a cruz dos outros. Espero que não entendam mal o que estou a dizer, mas é a mais pura das verdades.

Compreendo que muitas pessoas se sintam sós, que procurem quem ouça as suas lamentações, os seus desabafos, que lhes dê uma palavra de conforto, quem lhes dirija umas palavras ao coração reconfortando a alma, mas exigirem que quem muitas vezes abdica do seu tempo e até da sua vida para lhes dedicar atenção é alcançar perigosamente os limites. Todos os que necessitam de ajuda procuram quem lhes possa dar o que necessitam, até aqui tudo bem, agora procurarem e depois porem em causa as recomendações que lhes são dadas procurando depois uma segunda opinião não é bonito. É por em causa o trabalho do profissional, a dedicação do mesmo e o amor por ele empreendido no auxílio prestado. Quem está deste lado sente e é demasiado mau quando estamos a tentar ajudar dizendo e esclarecendo acerca da verdade e as pessoas simplesmente contrapõem o que dizemos com as suas opiniões. Nestes casos será que vale a pena? Talvez não, porque nos sentimos a remar contra a maré, sentindo que o que estamos a dizer nenhuma importância tem porque estamos a falar para o tecto, tipo Santo António a pregar aos peixes. Quando vou ao médico ou ter com alguém com o intuito de ser ajudado e/ou esclarecido, tenho de tomar atenção ao que me estão a dizer para assim poder usufruir do conhecimento que me está a ser dado. Simplesmente estarei grato e mais ainda quando esse conhecimento me é dado a troco de nada, significa que é dado com Amor e dedicação, e para com esta pessoa devo mostrar gratidão agradecendo-lhe o tempo comigo dispendido. Mas afinal de contas eu sou eu e os outros são os outros, quer dizer, cada um é como cada qual. Apenas e só estarei por aqui, o meu verdadeiro cantinho na internet, onde posso falar e esclarecer quem por aqui passar, ou será que também deverei parar de escrever em público, dedicando-me apenas a escrever numas folhas de papel?

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 17:42
Link | Comentar | ver comentários (9) | favorito
Quarta-feira, 1 de Setembro de 2010

Conversas com a Alma

Perguntas da Terra (mente): Será que sigo o caminho correcto? Fiz alguma coisa de mal? Como não compreendem a simplicidade da minha pessoa, será que sou incompreendido? Como não gosto de criar ambientes tensos, será que não me levam a sério? Tenho um projecto social em prol do meu semelhante e nem a instituição que é ajudada divulga, porquê? Porque é que as pessoas aparecem e desaparecem da minha vida? Porque é que me dizem uma coisa e fazem outra? Será útil ter um blogue? Tenho de ouvir e compreender todos os desabafos e ninguém me ouve? Porque a solidão teima em me acompanhar?

Respostas do Eu Sou: [Será que sigo o caminho correcto?] Segues pelo caminho que escolhes-te em consciência, que a tua intuição te diz que apesar de o percorreres muitas vezes só, consegues encontrar de quando a quando momentos de felicidade interior que te servem de combustível. [Fiz alguma coisa de mal?] Desde que ajas em consciência em prol do teu semelhante e isso vai-se reflectir na tua pessoa. [Como não compreendem a simplicidade da minha pessoa, será que sou incompreendido?] Vitor, as pessoas quando têm um certo “título” são vistas como diferentes, sérias, ponderadas com um certo ar de “superioridade” e como tu não és nada disso, sendo uma pessoa simples, brincalhona, sempre disposto a ajudar e não gostando de criar distâncias/barreiras enfim, igual aos que te procuram em prol do teu conhecimento e ajuda, e isso gera confusão nas mentes deles. [Como não gosto de criar ambientes tensos, será que não me levam a sério?] Como já te tinha alertado, acho que dás “demasiada” liberdade às pessoas e depois Elas abusam porque se acham nesse direito, não respeitando o espaço nem o momento que é teu, pois elas pensam só nelas (alimentando o seu ego) e depois é que vêm os outros. [Tenho um projecto social em prol do meu semelhante e nem a instituição que é ajudada divulga, porquê?] Vitor, sabes muito bem que perante uma atitude de violência o Ser responde com outra atitude de violência imediatamente, o que já não se passa quando praticas um acto de Amor Incondicional para com o teu semelhante, pois recebem de braços abertos mas dizer “Obrigado” ou simplesmente lembrarem-se de ti futuramente esquece porque o Ser Humano ainda não conseguiu abolir a ingratidão, pois está difícil terem consciência das mudanças planetárias que os “obrigam” cada vez mais a pensar nos benefícios colectivos em detrimento dos individuais. [Porque é que as pessoas aparecem e desaparecem da minha vida?] Realmente isso tem sido uma constante na tua vida e irá continuar a ser até ao teu último dia, pois elas aproximam-se de ti quando têm algo a aprender ou para te ensinar e depois das suas “missões contigo” cumpridas simplesmente seguem os caminhos que definem através do seu livre arbítrio. [Porque é que me dizem uma coisa e fazem outra?] Vitor, isso acontece porque as pessoas querem ser simpáticas para contigo e até podem querer ir ter contigo, pelos mais variados motivos, mas sabes que a Luz e as Trevas estão constantemente em “luta”, o que dificulta a vida das pessoas, pois quando procuram a Luz, as Trevas tentam sempre impedir a acção. [Será útil ter um blogue?] Essa é uma das formas de transmitires as tuas mensagens e ensinamentos de forma a despertar consciências para que saibam, mas é claro que apenas esporadicamente sabes que as pessoas lêem o que escreves porque te dizem, pois vão lá e nada dizem ou comentam. Estas a escrever um livro que também não saberás se vai ser aceite ou lido. Foca-te apenas no objectivo maior que é o “auxílio ao semelhante” e o resto o universo dir-te-á. [Tenho de ouvir e compreender todos os desabafos e ninguém me ouve?] Vitor, diariamente a maioria das pessoas que te rodeiam são pessoas muito terrenas e que pouca ou nenhuma importância dão à espiritualidade, por isso como nessa perspectiva pouco entendem do que lhes possas dizer e por sua vez também não te podem ser mais úteis, pois as observações e opiniões delas são norteadas pelas leis terrenas e não universais. [Porque a solidão teima em me acompanhar?] Vitor, cada um segue o seu caminho de ascensão e como “tens a mania” que és um “pescador de almas”, baixas um pouco a tua vibração energética para andares a ajudar os outros a elevarem-se. Podes estar só fisicamente, mas sabes e tens consciência de que nunca estás só, pois tens uns seres que te acompanham para onde vais e sempre ao teu dispor para te auxiliarem nas tuas intenções.

Saudações Holísticas

NAMAS

Estado de Espiríto: Em Reflexão...
Música: M80
Publicado por Viktor às 13:28
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 31 de Agosto de 2010

Reflexão do dia

Caros leitores e amigos,

Hoje vou fazer uma reflexão acerca do papel de “Mestre de Reiki”, que me transformou. A presente reflexão serve para os leitores tomarem consciência sobre de como procedo enquanto “Mestre de Reiki”, mas sem nunca me querer vangloriar nem valorizar perante ninguém, pois a minha consciência diz-me que ainda tenho muito a aprender e a humildade diz que posso aprender com todos, mesmo com aqueles que nos momentos difíceis me procuram em prol de ajuda como se fosse Eu a luz ao fundo do túnel. Tal como dizem aqueles que me conhecem e que me vão encontrando nos caminhos dos seus percursos de vida, e tal como diz o Avatar Sathya Sai Baba: “A minha vida é a minha mensagem”.

Ter o mestrado (3º nível) de Reiki não é a mesma coisa que ser “Mestre de Reiki", pois para TER basta possuir um documento (diploma) que te atribua essa qualificação, mas SER é uma coisa muitíssimo diferente.

SER é abraçar a causa a 100%, estar disponível para o semelhante e abdicar de inúmeras coisas. Estar disponível é ter sempre os telefones ligados e ao dispor de toda e qualquer pessoa que nos pretenda contactar para fazer uma pergunta, para desabafar, para dar uma orientação, dar um esclarecimento, tirar uma dúvida ou para qualquer outra coisa. É dedicarmos a nossa vida ao nosso semelhante, sempre na tentativa e com o intuito de lhe proporcionar bem-estar e ajudando-os a percorrer parte do seu caminho tal qual um pai que leva o seu filho pela mão no primeiro dia de escola. Mas para que isto seja possível temos de abdicar de variadas coisas da vida, tal como a riqueza, bens materiais, luxúria, ganância, inveja, ego e abdicar do nosso tempo para o dedicar ao semelhante em projectos sociais e de caridade em prol de um mundo melhor. É também apregoar e divulgar a mensagem das mais variadas formas (internet e eventos) de forma a tornar esta terapêutica cada vez mais conhecida, em prol do bem-estar comum supremo universal. Assumir esta missão é uma árdua tarefa, pois com muitas pessoas contra incluindo a própria família, faz com que tenha de ser um lutador, pois muitas vezes percorro o caminho só (lido bem com a solidão) o que é complicado para quem não consegue lidar com o isolamento. Isto é, fazer das leis universais cósmicas a nossa bandeira, o que me fez mudar radicalmente a vida, a forma de estar e ser e a personalidade. É um caminho onde muitas vezes sou incompreendido principalmente por todas aquelas pessoas que continuam “agarradas” aos prazeres terrenos da vida de luxúria, riqueza, materialista, egocêntrica e intriguista. Gosto de ter mudado e SER o que sou pois sei que o que aos outros faço a mim o estou a fazer, pois mãos que emanam amor incondicional são mais santas que lábios que oram. Ainda acha que ser Mestre é só coisas boas?

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Estado de Espiríto: Feliz por partilhar com todos
Música: rfm
Publicado por Viktor às 14:13
Link | Comentar | ver comentários (8) | favorito
Segunda-feira, 16 de Agosto de 2010

Ontem...

Caros leitores,

Ontem, dia 15 de Agosto, DIA INTERNACIONAL DO REIKI, houve diversas actividades realizadas em vários pontos do país. A Associação Portuguesa de Reiki realizou um evento comemorativo no Centro Imalaias em Faro, fazendo-se representar pelo seu Presidente João Magalhães. A Sílvia de Famalicão também esteve presente e aos quais, como Delegado Regional do Algarve faço aqui o meu agradecimento pela presença deles, bem como da senhora que veio de Beja, do casal que veio de França e de todos os outros que sendo de mais perto, fizeram questão de estar presentes. O ambiente estava agradável, onde conjuntamente conversámos e meditámos em prol do bem-estar comum supremo universal.

Mais uma vez, aquando da minha intervenção, expliquei o Projecto Social REIsocialKI®, bem como da minha disponibilidade, na qualidade de Delegado Regional, para prestar o apoio necessário na realização de workshop’s, acções de divulgação ou sessões demonstrativas, pois quando se trabalha para uma determinada entidade pública ou privada e se gostaria de levar a cabo lá uma acção de sensibilização ou workshop sobre esta terapêutica, eis que surgem alguns entraves (pessoais ou laborais) que impedem que tal se realize. Nesse caso, terei todo o gosto em tratar da situação e ser eu a solicitar essa autorização e ir fazer o workshop de Reiki, para assim sensibilizar os colegas, amigos ou a comunidade, quando se trate de um município ou associação.

A União de todos os que fazem a divulgação desta prática terapêutica é uma coisa muito importante, pois se todos “lutam” pelo mesmo objectivo (a aceitação desta terapia), então porque remar em sentidos díspares? Vamos remar todos no mesmo sentido, com todo o Amor Incondicional, Humildade e Dedicação em prol do nosso semelhante que tanto necessita deste amparo.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 13:07
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

Medalha Olímpica de prata para praticante de Reiki

O ciclista Hayden Roulston, da Nova Zelândia, que é praticante de Reiki e levou o seu próprio terapeuta de Reiki para Beijing, ganhou a medalha de prata nos 4000 metros masculinos.

Parabéns a Hayden pelo seu vitorioso regresso, dois anos após se ter retirado devido a problemas cardíacos. Ele acredita que foi o Reiki que o trouxe de volta ao desporto e lhe deu esta vitória. Vejam aqui

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 12:11
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Propósito do Reiki

Olhando para trás, o principal propósito do Reiho não era apenas para tratar doenças, mas também para se ter uma mente correcta e um corpo saudável para que as pessoas pudessem aproveitar e experienciar alegria na sua vida. Por isso, quando se trata de ensinar, primeiro há que fazer o aluno compreender os conselhos do Imperador Meiji, e então deixá-los entoar cânticos de manhã e à noite, tendo em mente os cinco princípios, que são:

Primeiro, hoje não nos zangamos.

Depois, hoje não nos preocupamos.

A seguir, hoje vamos ser gratos.

Adiante, que trabalharemos com dedicação.

Por fim, seremos gentis para os outros.

(Emiko foi muito firme em relação à escolha das palavras em cima).

Esta é uma advertência deveras importante. Foi assim que homens sábios e santos se disciplinaram desde sempre. Sensei designava-os como “métodos secretos de convite à felicidade”, “medicina espiritual para muitas doenças”, para esclarecer o propósito de ensinar. A sua intenção era, também, que o método de ensino fosse tão simples quanto possível e fácil de entender. Todas as manhãs e todas as tardes, sentar em silêncio, com as mãos colocadas em oração (gassho) e entoar as afirmações, e assim uma mente pura e saudável será alimentada. Este era o verdadeiro sentido da sua prática no dia-a-dia, usando-o (isto é, pondo-o em prática). Por esta razão, o Reiho tornou-se muito popular.

Recentemente, a condição do mundo tem estado em transição. Não é pequena a mudança no pensamento das pessoas (isto é, tem mudado muito). Felizmente, se o Reiho puder ser espalhado por todo o mundo, não será uma pequena ajuda (isto é, será uma grande ajuda) para quem tem uma mente confusa ou que tem pouca moral. Certamente, o Reiho não é aplicável apenas no tratamento de doenças e maus hábitos.

O número de alunos dos ensinamentos de Sensei chega aos 2.000 (este número pode incluir também os alunos dos alunos). Entre eles, alunos seniores que permaneceram em Tokyo dão continuidade à escola do Sensei, e outros em diferentes províncias também estão a tentar espalhar o Reiki tanto quanto possível. (O Dr. Hayashi deu nome ao dojo em Novembro de 1926 e, em conjunto com o Almirante Taketomi e o Almirante Ushida, passaram-no para a sua clínica em Shinano Machi em 1926, e geriram-no como um hospício). Apesar da morte do Sensei, o Reiho tem de ser partilhado e dado a conhecer por toda a gente a longo prazo. Sensei quis partilhar o seu Reiho, que ele percebeu por si próprio, por toda a gente, indiscriminadamente.

Nesta altura, muitos estudantes convergiram e decidiram construir este Memorial, no Templo de Saihoji, distrito de Toyotama (os limites mudaram e o Templo esteve no distrito de Nakano (1986), e pertence agora ao de Suginami), para sublinhar a sua benevolência e para espalhar o Reiho por toda a gente no futuro. Foi-me pedido que escrevesse estas palavras. Porque apreciei profundamente o seu trabalho e porque fiquei sensibilizado com aqueles que se sentem honrados por terem sido alunos do Sensei, aceitei este trabalho em vez de o recusar.

Espero, sinceramente, que as pessoas não se esqueçam de olhar para Usui Sensei com respeito. (a localização da campa e do memorial são um trabalho realizado pelos Almirantes e pelo URR Gakkai. Os alunos ainda vivos, Tenon-in e Suzuki-sensei, confirmam que Usui Sensei foi um devoto Tendai até à sua morte. Contudo, o Templo

Saihoi é uma Terra Santa ou um Templo budista Jodo Shu.) Editado por “ju-san-i” (subordinado de terceiro grau, o Terceiro Tribunal Júnior - um título honorífico), Doutor de Literatura, Masayuki Okada.

Escrito (esboçado) pelo Contra-Almirante da Marinha, “ju-san-i kun-san-tou ko-yon-kyu” (“subordinado de terceiro grau, o Terceiro Tribunal Júnior, 3º na ordem de mérito, 4ª classe de serviço” – mais uma vez, um título honorífico) Juzaburo Ushida (também pronunciado Gyuda).

Ano Segundo de Showa (1927), Fevereiro

FONTE: ©Copyright versão portuguesa - Monte Kurama – Associação Portuguesa de Reiki

 

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

 

Publicado por Viktor às 09:03
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Julho de 2009

Vultos do Espiritismo…

ANTÔNIO GONÇALVES DA SILVA BATUÍRA

            Nascido a 19 de Março de 1839, em Portugal, na Freguesia de Águas Santas, hoje integrada no Conselho da Maia, e desencarnado em São Paulo, no dia 22 de Janeiro de 1909.

      Depois de completar a sua instrução primária, foi para o Brasil, com apenas onze anos de idade, aportando no Rio de Janeiro, a 3 de Janeiro de 1850.

      O seu nome de origem era António Gonçalves da Silva, entretanto, devido a ser um rapaz muito activo, correndo daqui para acolá, a gente da rua o apelidara "o batuíra", o nome que se dava à narceja, ave pernalta, muito ligeira, de voo rápido, que frequentava os charcos na várzea formada, no atual Parque D. Pedro 2º, em S. Paulo, pelos transbordamentos do rio

 Tamanduateí. Desde então o cognome "Batuíra" foi incorporado ao seu nome.

      Batuíra desempenhou uma série de actividades que não cabe registar nesta concisa biografia, entretanto, podemos afirmar que defendeu calorosamente a ideia da abolição da escravatura no Brasil, quer seja abrigando escravos na sua casa e conseguindo-lhes a carta de alforria, ou fundando um jornalzinho a fim de colaborar na campanha encetada pelos grandes abolicionistas Luiz Gama, José do Patrocínio, Raul Pompéia, Paulo Ney, Antônio Bento, Rui Barbosa e tantos outros grandes paladinos das idéias liberais.

      Homem de costumes simples, alimentando-se apenas de hortaliças, legumes e frutas, plantava no quintal da sua casa tudo aquilo que necessitava para o seu sustento. Com as economias, adquiriu os então desvalorizados terrenos do Lavapés, em S. Paulo, edificando ali boa casa de residência e, ao lado dela, uma rua particular com pequenas casas que alugava a pessoas necessitadas. O tempo contribuiu para que tudo ali se valorizasse, propiciando a Batuíra apreciáveis recursos financeiros. A rua particular deveria ser mais tarde a Rua Espírita, que ainda lá está.

      Tomando conhecimento das altamente consoladoras verdades do Espiritismo, integrou-se resolutamente nessa causa, procurando pautar seus actos nos moldes dos preceitos evangélicos. Identificou-se de tal maneira com os postulados espíritas e evangélicos que, ao contrário do "moço rico" da narrativa evangélica, como que procurando dar uma demonstração eloquente da sua comunhão com os preceitos legados por Jesus Cristo, desprendeu-se de tudo quanto tinha e pôs-se a seguir as suas pegadas. Distribuiu o seu tesouro na Terra, para entrar de posse daquele outro tesouro do Céu.

      Tornou-se um dos pioneiros do Espiritismo no Brasil. Fundou o "Grupo Espírita Verdade e Luz", onde, no dia 6 de Abril de 1890, diante de enorme assembleia, dava início a uma série de explanações sobre "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

      Nessa oportunidade deixara de circular a única publicação espírita da época, intitulada "Espiritualismo Experimental" redigida desde setembro de 1886, por Santos Cruz Junior. Sentindo a lacuna deixada por essa interrupção, Batuíra adquiriu uma pequena tipografia, a que denominou

      "Tipografia Espírita", iniciando a 20 de Maio de 1890, a publicação de um quinzenário de quatro páginas com o nome "Verdade e Luz", posteriormente transformado em revista e do qual foi o director responsável até a data de sua desencarnação. A tiragem desse periódico era das mais elevadas, pois de 2 ou 3 mil exemplares, conseguiu chegar até 15 mil, quantidade fabulosa naquela época, quando nem os jornais diários ultrapassavam a casa dos 3 mil exemplares. Nessa tarefa gloriosa e ingente Batuíra despendeu sua velhice. Era de vê-lo, trôpego, de grandes óculos, debruçado nos cavaletes da pequena tipografia, catando, com os dedos trémulos, letras no fundo dos caixotes.

      Para a manutenção dessa publicação, Batuíra despendeu somas respeitáveis, já que as assinaturas somavam quantia irrisória. Por volta de 1902 foi levado a vender uma série de casas situadas na Rua Espírita e na Rua dos Lavapés, a fim de equilibrar suas finanças.

      Não era apenas esse periódico que pesava nas finanças de Batuíra. Espírito animado de grande bondade, coração aberto a todas as desventuras, dividia também com os necessitados o fruto de suas economias. Na sua casa a caridade se manifestava em tudo: jamais o socorro foi negado a alguém, jamais uma pessoa saiu dali sem ser devidamente amparada, havendo mesmo muitas afirmativas de que "um bando de aleijados vivia com ele". Quem ali chegasse, tinha cama, mesa e um cobertor.

      Uma vez um desses homens que viviam sob o seu amparo, furtou-lhe um relógio de ouro e corrente do mesmo metal. Houve uma denúncia e ameaças de prisão. A esposa de Batuíra lamentou-se, dizendo: "é o único objecto bom que lhe resta". Batuíra, porém, impediu que se tomasse qualquer medida, afirmando: "Deixai-o, quem sabe precisa mais do que eu".

      Batuíra casou-se em primeiras núpcias com D. Brandina Maria de Jesus, de quem teve um filho, Joaquim Gonçalves Batuíra, que veio a desencarnar depois de homem feito e casado. Em segundas núpcias, casou-se com D. Maria das Dores Coutinho e Silva; desse casamento teve um filho, que desencarnou repentinamente com doze anos de idade. Posteriormente adoptou uma criança retardada mental e paralítica, a qual conviveu em sua companhia desde 1888.

      Figura bastante popular em S. Paulo, Batuíra tornou-se querido de todos, tendo vários órgãos da imprensa leiga registado a sua desencarnação e apologizado a sua figura exponencial de homem caridoso e dedicado aos sofredores.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:09
Link | Comentar | favorito
Domingo, 28 de Junho de 2009

Mestre Takata disse…

O Mestre Usui teve a sua experiência no campo dos mendigos. Quando estava caído na lama, o corpo num buraco, foi quando o seu pensamento fluiu. “Ah, cometi um grande erro! Todas as igrejas estavam certas – primeiro o espírito. Aqui, eu não preguei o lado espiritual. Estava tão interessado em curar o corpo que pensei que a melhor coisa seria curar o corpo e ajudá-los a sentir-se suficientemente bem para poderem apreciar esse bem-estar, e depois irem, então, para o mundo como pessoas normais.” Mas ele falhou. E nessa altura nasceram os cinco ideais [5 princípios]. E nestes ideais, onde falharam os mendigos? Os mendigos não têm o sentido da gratidão. Por isso, ele disse: “Vou tratar. Mas acabaram-se os tratamentos gratuitos! Nada de Reiki, Reiki, Reiki, ou aulas, porque nunca hão-de aprender a apreciar.” E isto é inteiramente verdade. Naquele momento, o Mestre Usui estava tão feliz porque o podia fazer. “Assim, acabou-se o Reiki gratuito. Tudo tem de estar bem lá no cimo, para que possamos ter uma boa mente e corpo para tornar o ser humano um todo outra vez. “

E isto é verdade. Em 1936, quando regressei do Japão, o Mestre Hayashi avisou-me: “Quando te tornares um Mestre, nunca o faças gratuitamente, porque não lhe darão valor, porque foi gratuito. Se não tem pagamento, não tem valor.” Mais uma vez, perguntei ao meu professor: “Mestre Hayashi, consente que faça uma só classe gratuitamente? Uma classe para todas as pessoas que me ajudaram ao longo deste ano de tristeza e sofrimento? Gostaria de lhes dar uma aula de Reiki de graça para que pudessem beneficiar.” E o Mestre Hayashi respondeu: “Agora que estás bem, podes mostrar-lhe a tua gratidão através de tratamento, quando precisarem, mas não para lhes dares uma aula para depois usarem esses ensinamentos e te beneficiares. Isso nunca será aceitável.”

Com este esclarecimento, disse para mim: “Bom, tenho de tentar.” As primeiras pessoas a quem dei aulas de graça foram os meus melhores amigos e familiares. Eram meus cunhados. Todos os meus cunhados tiveram aulas gratuitas, depois foram os meus vizinhos, também gratuitamente. Depois vieram as minhas duas irmãs. Pedi-lhes: “Esperem, esperem. Ainda não vos vou ensinar.” As minhas irmãs ficaram um pouco chateadas e disseram: “Os vizinhos e os nossos cunhados disseram que lhes ensinaste uma coisa maravilhosa.” E eu respondi: “Primeiro, tenho de ver se são bem-sucedidos.

Neste momento, tenho de vos dizer que não.” E esperei. Certo dia, estava a estender a roupa, quando um vizinho se aproximou, dizendo: “Hoje, a minha filha não foi à escola, porque tem uma dor no estômago. E trouxe-a, para a ver.” Respondi-lhe: “Por que não lhe deu o tratamento? Por que o ensinei? Por que não tenta? Você nem sequer tentou!” O vizinho replicou: “Não o vou fazer. Por que haveria? Você é que é a terapeuta e vive mesmo aqui ao lado. É mais fácil trazer-lhe a minha filha do que ser eu a fazer-lhe o tratamento, porque assim eu sei que ela vai ficar bem.” Esta foi a minha primeira decepção. Do outro lado da vila, outro vizinho disse: “O nariz da minha filha está ranhoso e a professora mandou-a para casa, porque é contagioso, deve ser gripe. Por isso, trouxe-lhe a minha filha, quero que a trate.” Perguntei: “Mas eu não lhe ensinei como se faz?” E ela respondeu: “Sim, mas por que haveria de o fazer, se tenho um carro e posso vir a correr ter consigo? Você é que é a terapeuta, e se for você a tratá-la eu tenho a certeza de que ela vai ficar bem.” E então perguntei-lhe: “Alguma vez chegou a tentar fazer o que ensinei?” Respondeu-me que não: “Por que haveria?” Estão a ver? Nenhuma gratidão! E, acreditem ou não, escondi-me em casa e fartei-me de chorar.

Olhei em volta, para o meu país, fiz uma vénia ao Mestre Hayashi e também à campa do Mestre Usui. Disse para mim: “Perdoem-me por ter errado. Não ajudei ninguém porque não o aceitaram com gratidão e espiritualidade, pois não tiveram que gastar um tostão.” Concluí: “É muito triste, mas vou passar a recusá-los doravante, para os fazer usar o que lhes ensinei.”

Três meses depois, as minhas irmãs voltaram e perguntaram: “Agora já tens tempo para nos ensinar?” Eu disse: “Sim. Mas têm a certeza de que querem aprender Reiki?” Responderam que sim: “Ouvimos falar muitas coisas boas sobre ti, mas porquê isso, os nossos cunhados sabem Reiki mas não os teus familiares de sangue?” “Porque é preciso pagar.” Exclamaram: “Ah, é preciso pagar! Quanto é?” “Trezentos dólares.” Respondeu: “Agora não tenho essa quantia. Tenho de ir falar primeiro com o meu marido.” Eu disse: “Muito bem. Não tens de me pagar tudo de uma vez, pode ser a prestações.

Eu não irei à tua casa buscar o dinheiro. Terás de ser tu a trazê-lo à minha casa nas datas combinadas.”

A minha irmã não ficou lá muito contente. Foi para casa, falou com o marido, e contou o que ele lhe disse: “Perguntaste à tua irmã se podias aprender Reiki com ela?” Ela respondeu-lhe que sim. “Bem, se lhe perguntaste se podias aprender com ela, então tens de pagar. Propões-lhe pagar em prestações. E se é para tu lhe ires levar o dinheiro lá a casa nas datas combinadas, assim o farás, é o que está certo. Está correcto, está tudo correcto. É melhor fazê-lo, é esta a minha opinião.” Foi isto que o marido lhe disse. Como ele concordou, a minha irmã voltou e disse-me: “Sim, vamos pagar-te em prestações de 25 dólares por mês.” Respondi-lhe: “Sim, assim está bem. Agora, vai. É tudo.” E assim ambas as minhas irmãs compreenderam, e pagaram-me em prestações. Não me senti lá muito bem com esta situação, mas era o princípio que devia seguir. E quando sucedeu uma das filhas da minha irmã ter asma, usou os ensinamentos, porque tinha pago bem para os receber. “Não a podia levar ao médico. Sabes, irmã, funcionou! Estou muito feliz, aprendi e funcionou! Agora ela vai voltar a dormir bem.” E eu disse: “Aprendeste a lição?” “Sim. Vim cá para pedir desculpa por não ter ficado muito satisfeita na altura e por me sentir tão radiante agora que experienciei os ensinamentos. Já compreendo por que me cobraste. Eu sei. Querias que fosse uma boa praticante. Agora, já não tenho despesas com o médico, não tenho de ir a correr para o hospital sempre que tem uma constipação ou um ataque de asma ou bronquite ou dores de barriga. Eu tenho três filhos. Agora compreendo porquê, e aqui, hoje, faço-te uma profunda vénia e agradeço-te e sou-te muito grata. Vou fazer bom uso deste ensinamento.” E assim o fez.

©Copyright versão portuguesa - Monte Kurama – Associação Portuguesa de Reiki

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 19:00
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 30 de Março de 2009

Reflexão Poética

Hoje estou diferente,

Assim me vou manifestar,

Falando em poesia,

Para menos vos cansar;

Conhecidos temos imensos,

Mas Amigos temos poucos,

Quando deles necessitamos,

Desaparecem, ficamos loucos;

Mas há quem esteja sempre pronto,

Para nesses momentos nos estender a mão,

São realmente muito poucos,

Um espécie em vias de extinção;

São mal interpretados,

Porque querem auxiliar sem intenções,

Rejeitados pelo semelhante,

São esses guardiões;

Gente que luta diariamente,

Em prol do bem comum,

Da felicidade suprema de todos,

E não do seu bem algum;

Ouve com atenção,

O que lhe querem contar,

Enquanto ouve raciocina divinamente,

No método para o auxiliar;

Transmite pela sua voz,

Fases e palavras do além,

Gosta de ser como é,

Não quer ser como ninguém;

É duro viver assim,

Ajudando sem ser ajudado,

É uma satisfação interior,

Que o deixa reconfortado;

É um fardo muito pesado,

Para o qual se necessita muita luz,

Pois carrega-se muito mais,

Para além da nossa cruz;

É uma vida de dedicação,

Em prol dos demais,

Sinto-me satisfeito assim,

E por hora não digo mais.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Amor Incondicional...
Publicado por Viktor às 09:15
Link | Comentar | favorito
Domingo, 15 de Março de 2009

Ansiedade...

P

or meio da atenção, podemo-nos tornar sensíveis às nossas emoções, à medida que elas surgem e assim começar a quebrar os padrões emocionais e o apego aos mesmos. Quanto mais se eleva a nossa atenção mais tempo dispomos para uma acção positiva. Para aqueles que têm percepção do que lhes está a acontecer, três semanas equivalem a três meses para quem não a tem essa percepção. Quando nos lembramos de manter nosso corpo e mente em harmonia com a percepção, familiarizamo-nos com toda uma mudança nos pensamentos e estados de espírito e podemo-nos lembrar de levar a nossa percepção para o meio de qualquer situação capaz de perturbar nosso equilíbrio. Podemos desenvolver a meditação contínua se sustentarmos uma atitude aberta em quaisquer actividades nas quais estejamos envolvidos. Porque a ansiedade consciente ou inconsciente é a causa de inúmeros problemas o que faz com que seja de vital importância lidar com ela assim que aparece. O melhor antídoto para a ansiedade é a meditação e o Reiki. Quando aprendemos a conseguir controlar as emoções, tornamo-nos menos sobrecarregados de problemas, o nosso corpo e a mente harmonizam-se e a ansiedade começa a dissolver-se num calmo relaxamento e quietude. Podemos então começar a trabalhar com os nossos problemas directamente pois já não sentimos necessidade de fugir deles. Atenuam-se naturalmente as nossas tensões e bloqueios energéticos. Desta forma, deixamos de estar presos a um ciclo de desejos e ansiedades e podemos usufruir vivendo com o corpo e mente de forma harmonizada melhorando substancialmente a nossa qualidade de vida e bem estar.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 21:06
Link | Comentar | favorito
Sábado, 14 de Março de 2009

Dedicação...

Tornar-se curador é um processo muito individual e pessoal. Não existem regras pré-concebidas a respeito da forma com que isso acontece. A vida de cada pessoa é única. Ninguém doa a sua qualidade de curador a outrem. É algo que cresce de dentro para fora. Há vatiados cursos que pode fazer, muito material técnico para estudo e diversas escolas de pensamento no tocante ao que realmente acontece no processo de cura. Alguns nem sequer consideram as suas práticas como espirituais.

O meu trajecto para o trabalho de curador foi orientado ao longo do caminho espiritual, para mim o mais natural. E para você, qual é o mais natural? Siga o seu próprio caminho e não a trilha bem formada. Você poderá tirar o que quiser da trilha bem formada e usá-lo, a título de ajuda, para criar suas novas ideias. O meu guia fez os seguintes reparos acerca do fato de alguém tornar-se curador.

 “Tornar-se num curador significa dedicar-se. Não a uma prática espiritual específica, nem a qualquer religião, nem mesmo a um conjunto de regras rígidas, basta dedicar-se ao seu caminho particular de verdade e amor. Isso quer dizer que a prática dessa verdade e desse amor provavelmente mudarão à medida que você peregrinar pela vida afora. Existem muitas estradas para o ‘Céu’. Atrevo-me a dizer que existem tantas estradas para o ‘Céu’ quantas almas existem que regressam à casa. Se devêssemos esquadrinhar escrupulosamente a história do ser humano, esbarraríamos com muitos que viajaram antes de nós e encontraram a iluminação. Um sem-número desses caminhos particulares calcorreados já não é conhecido da raça humana neste momento da história. Alguns estão a ser recuperados; outros continuam perdidos. Mas isso não quer dizer nada, pois novos caminhos vão sendo continuamente formados desde as profundezas da alma humana, do sítio, seja ele qual for, em que se encontra cada alma a qualquer momento, a fim de proporcionar um caminho de volta para casa. Como vêem este é o processo, o processo, sempre renovado, da força criativa que brota dentro de si e de todos nós. É isso que significa voltar para casa. Quando você aprender a fluir completamente, sem resistência, com o movimento criativo interior, estará em casa. Eis o que quer dizer estar em casa.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

 

Estado de Espiríto: Sol, a Luz Purificadora...
Publicado por Viktor às 12:29
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Reflexão...

. Adeus SRI SATHYA SAI BABA...

. Pelos outros… ...

. Reflexão...

. Conversas com a Alma

. Reflexão do dia

. Ontem...

. Medalha Olímpica de prata...

. Propósito do Reiki

. Vultos do Espiritismo…

. Mestre Takata disse…

. Reflexão Poética

. Ansiedade...

. Dedicação...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007