Segunda-feira, 28 de Junho de 2010

Auto Flagelação…

Caro amigo(a),

Estar irritado não vai solucionar nenhum dos seus problemas.

Concordar ou não com as coisas não altera o ciclo natural das coisas.

O seu sofrimento não impede que o sol nasça e que outros se sintam felizes.

O seu mau humor não modifica a vida.

A sua tristeza não ajudará ninguém no caminho da ascensão.

Todas as suas lágrimas não vão substituir o trabalho que deverá ter na procura da sua felicidade interior.

As suas reivindicações, mesmo do campo/foro emocional, nunca se vão transformar em simpatia por si.

Estas e outras situações tão comuns no dia-a-dia do ser humano apenas fazem com que o mesmo ande num sistema de auto-punição. Isto em nada contribui para o seu bem-estar, equilíbrio, harmonia e saúde além de bloquear o seu processo de ascensão divina.

Não será suficientemente pesado o fardo que trazemos quando vimos a este planeta, então porque adicionam peso à vossa já penosa “cruz”?

Vivam diariamente em harmonia com todos os seres vivos, difundindo o vosso amor incondicional e compaixão pelos outros seres vivos que vos rodeiam, a assim o planeta poderá ascender de uma forma harmoniosa em prol do bem-estar supremo universal de todos os habitantes.

Deus escolhe a vida e a morte, por isso escolhe com ele também qual o caminho que queres.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 13:52
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 16 de Abril de 2010

Reflexão do dia

Caros leitores e amigos,

Actualmente, o mundo está num processo de transformação geológico, pois o eixo central da terra que estava mais virado à esquerda, está aos poucos a pender para o lado direito, até que se dê o alinhamento dos planetas por nós (seres humanos terrestres) conhecidos. Digo isto porque a via láctea é de uma imensidão tal, que os serres terrestres apenas conhecem dois por cento da mesma.

Durante anos, séculos e milénios a Mãe Gaia tem sofrido as agruras do Homem, explorando-a e estudando-a, mas por outro lado há enfim muito mais pessoas que agem sem sentido de responsabilidade pelos danos que causam à natureza, etc, etc. .

Agora o resultado, a Natureza decidiu dar o ar da sua graça e mostrar o quão pequeno é o ser terrestre, que apenas só pensa no seu próprio bem-estar, em alimentar o seu ego agindo interesseiramente, em possuís bem materiais e de luxo ou marca para “mostrar” aos outros que também tem. Esse é um dos maiores erros e pecado do Homem, e tem por nome Egocentrismo.

Não pensem apenas em vocês, porque afinal de contas não estão sós, e todos temos nas mais diversas missões aqui na Terra, um denominador comum que é: Viver em Comunidade. Assim, é necessário pensar também colectivamente e não individualmente, pois todos nós somos seres divinos (apesar de não aceitarmos), todos temos luz, todos temos um ou vários guias e temos algo que ninguém nos pode tirar que é o nosso Livre Arbítrio.

Pensando de uma forma colectiva vou aqui deixar um apelo: Vamos trabalhar colectivamente em prol do semelhante e, como trabalhadores de luz, vamos irradiar também o nosso Amor Incondicional e Compaixão para a Mãe Gaia, para um bem estar supremo universal.

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 14:14
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 9 de Abril de 2010

do Reiki ao Karuna

Publicado por Viktor às 10:06
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2010

Chacras, o que são?

Chacras são órgãos não físicos que transformam energia Kundalini pura em formas de energia mais subtis, e usáveis, de um tipo diferente. Os chakras não contêm, eles mesmos, energia. Energia pura é retirada do planeta, pelos chacras secundários nas pernas e pés, e inserida no sistema dos chacras principais.

A energia Kundalini é, em essência, pura energia de pensamento que permeia e une todo o universo. Esse campo de energia viva pode ser interceptado, mais profundamente, pela aplicação da vontade criativa concentrada, ou através das terapias holísticas energéticas (p. ex. Reiki, Karuna, etc). Ela pode ser puxada para o corpo humano e transformada, pelo sistema de chacras, em uma forma de energia mais subtil e utilizável.

Os chacras estão ligados à espinha medular e ao sistema nervoso através de certas glândulas e nervos. O sistema de chacras completo é extremamente complexo. Existem 3 chacras mestre, 4 principais e mais de 300 chacras secundários no corpo humano. Existem também vários chacras não físicos situados fora do corpo (aura). Mapas detalhados do sistema de chacras e seus meridianos conectivos e interligações, foram usados durante milhares de anos no misticismo do leste e na medicina, exemplo: acupunctura.

O sistema de chacras também é usado com todas as habilidades psíquicas, sem excepções. Qualquer seja a habilidade psíquica, o método de desenvolvimento ou a terminologia utilizada para descrevê-la, tudo é feito da mesma forma, através da estimulação dos chacras. É impossível manifestar qualquer habilidade psíquica sem primeiro estimular os chacras.

Muitas pessoas irão negar o acima dito, e dizer que nunca fizeram qualquer trabalho de energia com os chacras, no entanto continuam a ter habilidades psíquicas. Existem muitas formas de desenvolverem a si próprios, mas todos, directamente ou indirectamente, estimulam o sistema de chacras. E não podemos esquecer a habilidade natural. Muitas pessoas nascem com chacras naturalmente activos e daí, a habilidade psíquica natural.

Os Médiuns são pessoas que exibem habilidades psíquicas quando ajudados por uma entidade espiritual não física. Essa entidade estimula os chacras do médium directamente, harmonizando-se com o médium e causando habilidades psíquicas, clarividência, canalização, cura, produção de ectoplasma, etc. para se manifestar através do médium. É por isso que eles são chamados de médiuns ou canais, p. ex: eles tem a habilidade de se tornar um veículo passivo para a entidade espiritual afectar, ou comunicar com o mundo físico.

Você não precisa de uma entidade espiritual para desenvolver e usar, uma habilidade psíquica. Se você aprender a controlar os seus chacras e a energia, pode fazer estas coisas sozinho, sem nenhum espírito envolvido, e sem o risco inerente com este método.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 14:25
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

A Primeira Infância

O processo do lento despertar para o mundo físico continua após o nascimento. O bebe dorme frequentemente durante esse tempo; a alma enche os seus corpos de energia mais elevada. Deixa os corpos físico e etéreo desimpedidos e permite que eles se ocupem no trabalho da construção do corpo.

Nas primeiras fases da vida, à criança incumbe acostumar-se às limitações da sensação física e ao mundo tridimensional. Vi muitos recém-nascidos lutando com esse processo. Tendo ainda alguma percepção do mundo espiritual, evitam e fazem por descartar-se dos parceiros espirituais e das figuras dos pais e por transferir as afeições para os novos pais. Os recém-nascidos que tenho observado possuem chakras da coroa bem abertos. Lutam por caber, espremendo-se, nas limitações de um corpinho de bebe. Quando os vejo deixar o corpo físico, em seus corpos superiores, parecem muitas vezes espíritos de cerca de doze pés de altura. Travam uma luta enorme para abrir o chakra da raiz inferior e estabelecer conexão com a terra.

Exemplo disso foi o caso de um menino nascido um mês depois do que se esperava. Após um nascimento muito rápido, foi acometido de uma febre. Os médicos realizaram uma sangria espinhal para verificar se não se tratava de encefalite. Administrou-se a sangria espinhal na região do chakra sacro. A criança lutava para desfazer-se de dois companheiros de brincadeiras e de uma mulher espiritual que tampouco queria soltá-lo. Na luta, ele se abria e estabelecia conexão com a terra todas as vezes que o seu guia se achava presente. Em seguida, perdia contacto com o guia, avistava os companheiros de folguedo e a mulher, e lutava vigorosamente entre os dois mundos. Nessas ocasiões, sentia maior afinidade com a mulher espiritual do que com a própria mãe física. Na luta para não encarnar, jogava energia fora pelo chakra sacro e para a direita, a fim de evitar o crescimento de raízes directamente através do chakra básico (primeiro chakra). Conseguia fazê-lo, em parte, à conta do buraco áureo deixado pela sangria espinhal. Depois de um momento de luta, voltava a estabelecer conexão com o guia e se acalmava, abria a raiz e recomeçava o processo de entrada.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 02:58
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Abril de 2009

Progressão dos Espíritos

Os Espíritos são bons ou maus por natureza, ou são eles mesmos que se melhoram?

“São os próprios Espíritos que se melhoram e, melhorando-se, passam de uma ordem inferior para outra mais elevada.”

Dos Espíritos, uns terão sido criados bons e outros maus?

“Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem saber. A cada um deu determinada missão, com o fim de esclarecê-los e de os fazer chegar progressivamente à perfeição, pelo conhecimento da verdade, para aproximá-los de si. Nesta perfeição é que neles encontram a pura e eterna felicidade. Passando pelas provas que Deus lhes impõe é que os Espíritos adquirem aquele conhecimento. Uns aceitam submissos essas provas e chegam mais depressa à meta que lhes foi assinada. Outros só a suportam murmurando e, pela falta em que desse modo incorrem, permanecem afastados da perfeição e da prometida felicidade.”

a) - Segundo o que acabais de dizer, os Espíritos, em sua origem, seriam como as crianças, ignorantes e inexperientes, só adquirindo pouco a pouco os conhecimentos de

que carecem com o percorrerem as diferentes fases da vida?

“Sim, a comparação é boa. A criança rebelde se conserva ignorante e imperfeita. Seu

aproveitamento depende da sua maior ou menor docilidade. Mas, a vida do homem tem

termo, ao passo que a dos Espíritos se prolonga ao infinito.”

Haverá Espíritos que se conservem eternamente nas ordens inferiores?

“Não; todos se tornarão perfeitos. Mudam de ordem, mas demoradamente, porquanto, como já doutra vez dissemos, um pai justo e misericordioso não pode banir seus filhos para sempre. Pretenderias que Deus, tão grande, tão bom, tão justo, fosse pior do que vós mesmos?”

Depende dos Espíritos o progredirem mais ou menos rapidamente para a perfeição?

“Certamente. Eles a alcançam mais ou menos rápido, conforme o desejo que têm de alcançá-la e a submissão que testemunham à vontade de Deus. Uma criança dócil não se instrui mais depressa do que outra recalcitrante?”

Podem os Espíritos degenerar?

“Não; à medida que avançam, compreendem o que os distanciava da perfeição.

Concluindo uma prova, o Espírito fica com a ciência que daí lhe veio e não a esquece. Pode permanecer estacionário, mas não retrógrada.”

Não podia Deus isentar os Espíritos das provas que lhes cumpre sofrer para chegarem à primeira ordem?

“Se Deus os houvesse criado perfeitos, nenhum mérito teriam para gozar dos benefícios dessa perfeição. Onde estaria o merecimento sem a luta? Demais, a desigualdade entre eles existente é necessária às suas personalidades. Acresce ainda que as missões que desempenham nos diferentes graus da escala estão nos desígnios da Providência, para a harmonia do Universo.”

Pois que, na vida social, todos os homens podem chegar às mais altas funções, seria o caso de perguntar-se por que o soberano de um país não faz de cada um de seus soldados um general; por que todos os empregados subalternos não são funcionários superiores; por que todos os colegiais não são mestres. Ora, entre a vida social e a espiritual há esta diferença: enquanto que a primeira é limitada e nem sempre permite que o homem suba todos os seus degraus, a segunda é indefinida e a todos oferece a possibilidade de se elevarem ao grau supremo.

Todos os Espíritos passam pela fieira do mal para chegar ao bem?

“Pela fieira do mal, não; pela fieira da ignorância.”

Por que é que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal?

“Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não os criou maus; criou-os simples e ignorantes, isto é, tendo tanta aptidão para o bem quanta para o mal. Os que são maus, assim se tornaram por vontade própria.”

Como podem os Espíritos, em sua origem, quando ainda não têm consciência de si mesmos, gozar da liberdade de escolha entre o bem e o mal? Há neles algum princípio, qualquer tendência que os encaminhe para uma senda de preferência a outra?

“O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire a consciência de si mesmo. Já não haveria liberdade, desde que a escolha fosse determinada por uma 98 causa independente da vontade do Espírito. A causa não está nele, está fora dele, nas influências a que cede em virtude da sua livre vontade. É o que se contém na grande figura emblemática da queda do homem e do pecado original: uns cederam à tentação, outros resistiram.”

Donde vêm as influências que sobre ele se exercem?

“Dos Espíritos imperfeitos, que procuram apoderar-se dele, dominá-lo, e que rejubilam com o fazê-lo sucumbir. Foi isso o que se intentou simbolizar na figura de Satanás.”

b) Tal influência só se exerce sobre o Espírito em sua origem?

“Acompanha-o na sua vida de Espírito, até que haja conseguido tanto império sobre si mesmo, que os maus desistem de obsidiá-lo.”

Por que há Deus permitido que os Espíritos possam tomar o caminho do mal?

“Como ousais pedir a Deus contas de Seus actos? Supondes poder penetrar-lhe os desígnios? Podeis, todavia, dizer o seguinte: A sabedoria de Deus está na liberdade de escolher que Ele deixa a cada um, porquanto, assim, cada um tem o mérito de suas obras.”

Pois que há Espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal absoluto, deve haver, sem dúvida, gradações entre esses dois extremos. não?

“Sim, certamente, e os que se acham nos graus intermediários constituem a maioria.”

Os Espíritos que enveredaram pela senda do mal poderão chegar ao mesmo grau de superioridade que os outros?

“Sim; mas as eternidades lhes serão mais longas.”

Por estas palavras - as eternidades - se deve entender a ideia que os Espíritos inferiores fazem da perpetuidade de seus sofrimentos, cujo termo não lhes é dado ver, ideia que revive todas as vezes que sucumbem numa prova.

Chegados ao grau supremo da perfeição, os Espíritos que andaram pelo caminho do mal têm, aos olhos de Deus, menos mérito do que os outros?

“Deus olha de igual maneira para os que se transviaram e para os outros e a todos ama com o mesmo coração. Aqueles são chamados maus, porque sucumbiram. Antes, não eram mais que simples Espíritos.”

Os Espíritos são criados iguais quanto às faculdades intelectuais?

“São criados iguais, porém, não sabendo donde vêm, preciso é que o livre-arbítrio siga seu curso. Eles progridem mais ou menos rapidamente em inteligência como em moralidade.”

Os espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem nem por isso são Espíritos perfeitos. Não têm, é certo, maus pendores, mas precisam adquirir a experiência e os conhecimentos indispensáveis para alcançar a perfeição. Podemos compará-los a crianças que, seja qual for a bondade de seus instintos naturais, necessitam de se desenvolver e esclarecer e que não passam, sem transição, da infância à madureza.

Simplesmente, assim como há homens que são bons e outros que são maus desde a infância, também há Espíritos que são bons ou maus desde a origem, com a diferença capital de que a criança tem instintos já inteiramente formados, enquanto que o Espírito, ao formar-se, não é nem bom, nem mau; tem todas as tendências e toma uma ou outra direcção, por efeito do seu livre-arbítrio.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:23
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

Corpo e Perispírito

O perispírito é o nosso corpo espiritual (tem uma constituição semi-material e é a “veste” do espírito) que sobrevive após o desencarne e cujas suas principais funções são: organização biológica, sede da memória, intermediário entre o corpo físico e o espírito e actua nas comunicações mediúnicas.

Abordando o terceiro aspecto (intermediário entre o corpo físico e o espírito), pois é exactamente aí que actuam os centros de força.

Os Centros de Força, também conhecidos pelo termo oriental Chacras, são pontos de conexão entre o corpo físico e o perispírito pelos quais as forças espirituais e cósmicas fluem.

André Luiz diz que o perispírito é um complexo que movimenta energias; as forças espirituais e cósmicas penetram nos Centros de Força, passam para os plexos(chakras) e transitam para todo o organismo.

Os Centros de Força são pontos de conexão entre o corpo físico e o perispírito e estão ligados intimamente ao funcionamento e equilíbrio do corpo físico.

Os Centros de Força são também chamados de “Chacras”, palavra de idioma Sânscrito que significa “circulo de energia”.

Cada um destes pontos corresponde ao seu Chacra que é considerado como um centro de consciência que está voltado para aspectos muito específicos do comportamento e do desenvolvimento humano.

A cada Centro de Força corresponde tonalidade vibratória ¾ luz, calor, cor, som, etc.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:20
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

Dedicação

“Tornar-se num curador significa dedicar-se. Não obriga a alguma prática espiritual específica, nem a qualquer religião, nem mesmo a um conjunto de regras rígidas, senão dedicar-se ao seu caminho particular de verdade e amor. Isso quer dizer que a prática dessa verdade e desse amor provavelmente mudarão à medida que você avançar pela vida afora. Existem muitas estradas para o ‘Céu’. Atrevo-me a dizer que existem tantas estradas para o ‘Céu’ quantas almas existem que regressam à casa. Se devêssemos indagar escrupulosamente a história do ser humano, esbarraríamos com muitos que viajaram antes de nós e encontraram a iluminação. Um sem-número desses caminhos particulares calcorreados já não é conhecido da raça humana neste momento da história. Alguns estão a ser recuperados; outros continuam perdidos. Mas isso não quer dizer nada, pois novos caminhos estão a ser continuamente formados desde as profundezas da alma humana, do sítio, seja ele qual for, em que se encontra cada alma a qualquer momento, a fim de proporcionar um caminho de volta para casa. Como vêm, caros leitores, este é o processo, sempre renovado, da força criativa que brota dentro de si e de todos nós. É isso que significa voltar para casa. Quando você aprender a fluir completamente, sem resistência, com o movimento criativo interior, estará em casa. Eis o que quer dizer estar em casa.”

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:27
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Setembro de 2008

Quem se Cura?

O curador precisa de se lembrar que é para a cura da alma que ele trabalha. É importante para o curador compreender a morte dessa maneira e tratar a pessoa inteira, e não apenas nesta sua encarnação. O curador não deve desistir de curar alguém só porque esse pode estar morrendo fisicamente.

Importa ter em mente duas coisas quando tentamos compreender com precisão o que estamos a fazer como curadores. Uma delas é que existe um significado profundo na experiência que tem cada pessoa da própria doença, e a outra é que a morte não implica fracasso, mas, provavelmente, em cura. Recordando isto o curador precisa viver em dois mundos, o espiritual e o físico. Somente estando centrado dentro de si mesmo ele pode passar pelas experiências de testemunhar continuamente a dor profunda, tão disseminada na humanidade. Interroguei o Emmanuel a esse respeito fazendo-lhe esta pergunta: “Se nós criamos a nossa doença, o facto de procurarmos um curador não é um modo de nos distrair-mos do trabalho sobre nós mesmos, do trabalho sobre a origem da mesma?

Disse Emmanuel: “Isso tudo depende da razão por que procura o curador, e do curador que você procura. Eis aí uma excelente pergunta, aliás, que me tenho feito a mim mesmo muitas vezes. Qual é a responsabilidade e, portanto, o que há para ser dado e o que há para ser recebido, e se se imagina alguma coisa, deve dizer-se? As perguntas nunca se acabam e, todavia, existe uma realidade fundamental, que deve proporcionar-lhe conforto. No momento da compreensão de que talvez exista outra maneira de curar, abre-se uma porta, a consciência ultrapassa os cuidados médicos acessíveis fisicamente manifestados. Note que não estou, de maneira alguma a desacreditar a profissão médica. Os médicos fazem um trabalho excelente; alguns são muito bem guiados e seriam até capazes de admiti-lo em sigilo entre quatro paredes. Outros existem que, seja na profissão médica, seja noutra forma qualquer de sobrevivência, não se dão conta disso e, a esta altura, não estão em condições de dar-se conta de nada.

“Isso não quer dizer que eles são mesquinhos, cruéis, perversos ou maus; quer dizer simplesmente que ainda não chegaram à área do conhecimento. Compete a você dispor-se a abençoá-los e seguir o seu caminho até encontrar alguém mais compatível com a sua consciência, e todos vocês sabem como fazê-lo. Quando ouvirem o chamamento para entrar na área da cura espiritual (reparem que não me refiro à cura psíquica; refiro-me à cura espiritual), ocorre a percepção do espírito, e vocês serão recebidos com prazer pelo curador e pelos espíritos que ali estão para trabalhar com aquele curador.

“Ora, muitas vezes, a cura que se espera não acontece. Muitas vezes acontece, talvez, a identificação e o alívio do mal-estar, mas nenhum milagre. Pois é, o que significa isso? Significa que esse é o ponto mais distante a que sua consciência poderá chegar a essa altura. Significa que há mais alguma coisa para aprender; que há mais alguma coisa para conhecer. Pois cada corpo físico é uma sala de aulas, e cada moléstia uma lição. Não num sentido punitivo, pois você redigiu o seu próprio texto; você escolheu o seu próprio corpo, que carrega consigo todas as fraquezas genéticas, porque sua avó ou seu avô tinham qualquer coisa.

“Lembre-se, porém, de que você também os escolheu. Assim sendo, precisa confiar no seu corpo, não só na doença, mas principalmente na doença, pois o que é que ele lhe está a dizer? Existem muitas maneiras de o ouvir, e um curador espiritual qualificado pode ser muito eficaz nesse ponto, ajudando-o a ouvir o que o corpo lhe diz. Você, por certo, é o único que pode compreendê-lo, já que o seu corpo foi formado na sua linguagem, e é a você, directamente, que ele fala.

“Mas um curador espiritual pode alterar essa consciência, conduzindo-a de novo à unicidade e pode alinhá-lo com a verdade. Se você é capaz de sustentar essa verdade ou se é capaz de curar um corpo enfermo, isso depende, no momento, de tantos factores que eu não poderia enumerá-los agora. Mas vocês são perfeitamente capazes de fazê-lo.

“Se acontecer, finalmente, o que em termos humanos é um fracasso — se alguém, que Deus não o permita, vier a morrer — vocês devem ver nisso um acontecimento abençoado. A alma completou a sua tarefa, e há um grande e alegre comité de recepção à sua espera para a saudar na realidade primária. Afinal de contas, o seu ser físico não se destinava a ser eterno. Você não está aqui para permanecer nessas roupas por todo o sempre. Espero que isso lhe agrade. Por conseguinte, não existem fracassos na cura espiritual; existem etapas. Nunca receie colocar a mão sobre outra pessoa com amor e compaixão. Nunca hesite em rezar por alguém. Não exija resultados, pois não há maneira de saber, com certeza, o que determinada alma requer. Compreendo que isso exige, ou parece exigir, uma dose incrível de fé. Exige, sim.”

À medida que o corpo e a mente são mais e mais purificados pelos processos de transformação mencionados, aumenta a quantidade de força que flúi através do curador, como também aumenta o alcance das vibrações. Quanto mais elevada a força, tanto mais eficaz a cura e tanto mais sensível o curador.

Para passar por esses testes, necessitamos de ser meticulosamente sinceros com o Eu. É nas pequenas auto-ilusões, em que tendemos a não olhar para as intenções ou acções do nosso próprio Eu inferior, que traímos a nossa integridade e diminuímos a nossa força, que vem de dentro. Cada teste relaciona-se com as questões de que tratamos na vida, no momento presente, sejam elas quais forem; elaboramos bem os nossos testes, de modo que, depois de aprendermos, não há problemas a respeito da formatura.

Mãos de Luz

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:25
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 4 de Setembro de 2008

Dor e Prazer

As experiências de vida podem causar-nos, entre outras sensações ou sentimentos, uma sensação de dor ou uma sensação de prazer.

As sensações de dor têm o seguinte ciclo:

Experiência->Dor->Ressentimento->Reenquadramento->Aceitação->Gratidão->Crescimento.
Muitas pessoas, face às experiências de dor (perdas, rupturas, etc...) prolongam para além do que lhes é saudável a sua permanência num nível de ressentimento, prorrogando as suas condições de vítima ou culpado face à experiência. A verdade é que grande parte fica bloqueada nesse primeiro nível de processamento.

O processo de reequilíbrio retoma-se quando a pessoa consegue finalmente reenquadrar a experiência e a dor, valorizando o que há de positivo a valorizar e a classificar como aprendizagem tudo o que de menos positivo há em relação a essa experiência. Ou seja, mesmo que aparentemente não exista nada de positivo a valorizar há algo bastante enriquecedor no processo: a informação, a aprendizagem, o próprio processo em si. Que contribuem directamente para o crescimento do indivíduo e para o desenvolvimento humano.

No entanto, este primeiro nível de reenquadramento, deverá ser feito com o cuidado de preparar o sujeito não para uma vivência de acautelamento ou traumatizada (que poderia comprometer o desfrutar de novas experiências), mas para uma postura de contemplação e total usufruto das novas experiências. Sem medos e com uma natural segurança acrescida.

Depois de reenquadrar a experiência e a dor, a pessoa começa finalmente a aceitar essa experiência como uma experiência de vida e não como um sofrimento, passando - após algum tempo - a demonstrar mesmo alguma gratidão por essa mesma experiência.

Esse é o nível em que o ser humano se liberta e cresce. Subindo mais um degrau.
Em relação às experiências de prazer, o ciclo é de alguma forma semelhante embora com outras valências emocionais:

Experiência->Prazer->Consolidação->Partilha->Gratidão->Crescimento
Também nesta dimensão, é curioso verificar como alguns de nós se mantém num baixo nível de usufruto de prazer - ignorantemente satisfeitos, num desconhecimento dos restantes níveis de evolução da condição humana. Numa sequência em que a consolidação surge como alternativa ao ressentimento e a partilha em paralelo à aceitação, numa comparação com a experiência de dor.
O ser humano é tão maravilhosamente simples na sua complexa diversidade:)

(in "A hipnose dos nossos dias" de Mário Rui Santos)

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 10:49
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

Cumplicidade I

R

eiki é uma palavra de origem Japonesa que significa “Energia Universal de Vida”. Viver com o Reiki tornou-se uma forma de vida para mim. Passo a passo, fui tomando consciência das suas características, as quais se enquadram plenamente num sistema harmonioso, que se enquadrou plenamente em mim, e que mudou a minha forma de ser e de estar perante tudo o que me rodeia. O Reiki passou a estar presente no meu dia-a-dia de uma forma bastante positiva e benéfica. Destas e de outras formas, para mim, o Reiki não é unicamente uma Terapia Alternativa mas também uma forma de estar, ver e compreender o mundo. Para aqueles que poucos conhecimentos detêm, sobre esta Terapia, vou aqui enunciar e dar uma breve explicação sobre os cinco princípios do Reiki, que seguidamente vêm escritos a negrito: Só por hoje, não se irrite (Isto sempre despertou várias reacções no meu intimo; porque não me devo de irritar? Afinal de contas, tenho o direito aos meus próprios sentimentos! Que ideia idiota é essa? Se não concordo com a regra sou livre para a colocar de parte! Mas é exactamente isso que eu não faço! Eu fico irritado com a situação em vez de assumir a atitude óbvia! De modo que estou a perder o meu tempo. Ah sim, de facto, apenas por hoje não se irrite…); Só por hoje, não se preocupe (Preocupo-me constantemente. Não sei o que o meu filho pretende fazer e isso preocupa-me constantemente! Se hoje não me preocupasse poderia desfrutar a vida. Mas isso é fácil de mais. Não posso fazer isso Então eu não me preocupava com os problemas do mundo e, sem mim, ele entraria em colapso! Enfim, demasiadas preocupações que nos levam a dar demasiada importância às coisas são prejudiciais ao nosso sistema nervoso e em nada contribuem para o nosso equilíbrio emocional bem como para o nosso bem-estar); Respeite os seus Pais, Mestres, Professores e pessoas Idosas (Na verdade, o meu próximo é bondoso para mim? Não sei nada sobre isso. O que acontecerá se eu for bondoso para com eles? Será que me vão interpretar mal? Isso seria embaraçoso! Independentemente das circunstâncias temos sempre o dever de respeitar as outras pessoas, conforme queremos que nos respeitem, aplicando assim a arte do amor incondicional para com aquilo que nos rodeia); Só por hoje, ganhe a vida honestamente (Mas é isso que eu faço, é o que toda a gente faz! Sou sincero na minha declaração do IRS, como muita gente! Cumpro o meu horário e não invento doenças para tirar uma folga ao serviço. Quando for velhinho haverá alguém que vai tratar de mim? Assim sendo, pela parte que me toca, ganho a vida de uma forma honesta.); Só por hoje, seja grato perante todos os seres vivos (Do que é que está a falar? Hoje está um calor desgraçado e ontem choveu. Na TV não dá um programa que preste, e se não der nada de jeito terei de ir ao videoclube alugar um filme. Afinal de contas não posso ficar todo o dia sentado em frente à televisão, ou sair à noite e beber uns copos que nem um doido. Benefícios… Não sei. Amanhã vou perguntar à minha namorada, talvez ela saiba. Todos fazemos parte do mesmo mundo, logo, somos peças de uma engrenagem, da qual os outros também fazem parte. Ah, por isso tenho de respeitar todos os outros para que eles me respeitem de igual modo.).

Como pode verificar, os princípios do Reiki possuem sabedoria nos seus ensinamentos. Independentemente de com eles concordar-mos ou não, eles ajudam-nos a identificar a nossa posição no mundo e perante a vida actual. Não são ensinamentos bíblicos, mas dão-nos indicações sobre a melhor direcção e compreensão de nós próprios.

Este post já está um pouco longo de mais, pois não os querendo maçar demasiado com a leitura do mesmo, posteriormente colocarei outro na continuidade deste.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:28
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

A Infância

À medida que a criança cresce e o segundo chakra principia a desenvolver-se, a sua vida emocional vai sendo enriquecida. A criança cria mundos de fantasia em que pode viver, começa a sentir-se uma pessoa separada da mãe, e esses mundos ajudam a criar a separação. Dentro dos mundos de fantasia estão as propriedades da criança. Ela enviará do seu campo etérico projecções semelhantes a amebas, circundando com elas os objectos. Quanto mais importante for o objecto na construção do mundo de fantasia, tanto maior será a consciência da energia do seu campo com que ela o circundará. O objecto passa a ser parte do eu. E quando lhe é arrebatado à força das mãos, dilacera-lhe o campo e causa-lhe dor, física e emocional.

Aos dois anos de idade, mais ou menos, a criança começa a ver os pais como se estes lhe pertencessem: “eu, papá, mamã, etc.” As cores vermelho-laranja e cor-de-rosa tornam-se mais visíveis na aura. A criança aprende a relacionar-se com outras pessoas, aprende um tipo básico de amor. Em função do campo, é capaz de separar-se do campo da mãe, apesar do umbigo etérico que ainda as/os liga. Dá-se assim início ao processo da separação e da identidade independente. A criança cria um espaço de fantasia, vive nele, mas ainda tem a mãe ligada a ela por intermédio do umbigo etérico. Ainda pode olhar para trás e perceber que mamã não está longe demais. Esse espaço apresenta-se à visão clarividente como composto de energia proveniente, na maior parte, do nível azul ou nível etérico. Um espaço em que a criança prefere brincar sozinha ou, se consentir na entrada de um companheiro de brincadeiras, vigiando-o com muito cuidado, a fim de não admitir uma perturbação excessiva do seu espaço. Nessa fase, a criança não tem o ego suficientemente forte para manter muita clareza entre o Eu e o Outro. Luta por encontrar a sua singularidade e, no entanto, ainda se sente ligada a todas as coisas. Os objectos pessoais tornam-se modos de definir a individualidade. O espaço da energia particular ajuda a definição. Assim, quando outra criança visita o quarto de uma criança de cinco a sete anos de idade, a anfitriã se debate entre o desejo de comunicação com outrem e a preservação da imagem do Eu. Daí a sua luta por controlar objectos pessoais que ajudam a definir quem ela é e em torno dos quais colocou a sua própria consciência de energia. A luta aqui visa reconhecer e manter a auto-individuação e ainda sentir a conexão de um “indivíduo” diferente.

Aos sete anos de idade, a criança começa a criar muita energia dourada nesse espaço, que fica mais livre, maior, menos ligado à mãe e mais aberto a terceiros. Com um sentido maior do Eu, a criança começa a observar as suas similaridades com outros seres humanos. Pode permitir ao “outro” uma auto-expressão maior dentro do seu espaço particular. Consente a terceiros criar todos os tipos de formas de energia dentro do espaço particular. Isso torna as coisas mais “divertidas” e “animadas” e realça a vida da fantasia. As crianças entram na fase da “turma”. Uma das coisas que possibilita tudo isso é que, aos sete anos de idade, mais ou menos, todos os chakras têm uma tela protectora estendida sobre eles, que filtra muitas influências energéticas procedentes do campo à sua volta. A criança sente-se “mais segura” porque, em nos seus corpos áuricos, realmente o é.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:31
Link | Comentar | favorito
Domingo, 27 de Abril de 2008

5º CHAKRA

Nome: Laríngeo, Vishuddha

Região: Região do pescoço

Nº de Pétalas: desesseis

Cores: Prata, azul

Relacionamento: com a comunicação, expressão e auto-desenvolvimento

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 13:13
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Acerca de Símbolos

Há pelo menos três tipos fundamentalmente diferentes de símbolos e crenças no que diz respeito à natureza das formas simbólicas. A primeira classe de símbolos são os que o poder ou a habilidade de criar o efeito é inerente à forma do símbolo. Estes são usados na geometria sagrada o tattwas e até certo ponto Yantra Mandalas, estão entre esses em que a verdadeira forma se diz que é a que estimula directamente os modelos subconscientes da energia no corpo, cérebro e energia física e a realidade não-física.

Diz-se que estes símbolos contêm o poder para despertar uma habilidade ou criar um resultado, ou transmitem informação e realizam místicas de sí mesmos sem a acção ou interacção de alguém. A segunda crença se opõe, os símbolos podem ser algo que é activado pela intenção do ritual ou pela proximidade a lugares ou pessoas santas e se carregam e contêm o poder de criar um efeito. Na última aula de símbolos são esses que representam ferramentas ou apontadores que o habilitam a si para se ligar com a informação, a energia e para usar uma função espiritual, etera, isso existe separando o símbolo. O símbolo é mais como um botão, o poder está no que os símbolos visualizam antes de ter um poder próprio.

Estes pontos de vista não são realmente exclusivos, são as diferentes maneiras de ver as cosas. Algumas pessoas nos Estados Unidos consideraram e ensinaram que os símbolos de Reiki e seus nomes ou o mantra neles próprios contêm eternamente o poder e, por serem sagrados e secretos, não devem ser revelados a ninguém que não seja iniciado. A maior parte dos Símbolos usados em Reiki são palavras que se escrevem em Kanjis e que têm significados simbólicos esotéricos nalgumas tradições budistas.

Tenho a convicção de que os símbolos de Reiki são principalmente da terceira classe. Eles são ferramentas para facilitar a ligação com aspectos da energia universal para curar. Eles não têm por sí mesmos o poder. Há frequentemente muitas maneiras diferentes de desenhar certo símbolo mas todas elas participam efectivamente na conexão com a energia de Reiki. Agora que estudantes Ocidentais de Reiki fizeram o contacto com estudantes japoneses de Reiki da Associação de Reiki fundada por Mikao Usui, aparentemente esta é a maneira como eles acostumaram nesta sociedade e que muitas pessoas chegam a ser capazes de usar as funções de Reiki sem invocar directamente os símbolos.

Estes símbolos são exactamente isso, símbolos. Eles não são o que eles visualizam. Os símbolos de Reiki visualizam as funções específicas de propriedades da energia para curar e aumento espiritual. Quando qualquer que seja o iniciado em Reiki vê e diz o nome ou desenha esses símbolos, o ajudam a ligar-se a si mesmo com a energia de Reiki e a activar a função e propósito específico que o símbolo visualiza. Nos Alinhamentos específicos o autor deste manual ousa conferir uma habilidade automática ao escolher trabalhar com as funções de Reiki por intenção, usando palavras ou pensamentos para os activar ou também invocar conscientemente os símbolos. A activação directa da intenção não substitui a informação e a experiência que é ganha com o estudo e usando os símbolos. Não é necessário entender os significados dos símbolos nem usá-los conscientemente para ganhar e compartilhar os benefícios do Reiki. Apesar de de poder enriquecer a sua experiência explorar os seus significados. Os símbolos recordam-nos que há maneiras de invocar aspectos diferentes da energia usá-los.

Você pode usar também Reiki para invocar neutros aspectos e propósitos da energia universal pela intenção directa. Outros sistemas que evoluíram a partir do Reiki tal como Seichim y Karuna usam os diferentes símbolos para invocar outros aspectos da energia. De qualquer das maneiras usar Reiki para estas funções sem Iniciação adicional e com ou sem o uso dos símbolos adicionais.

No Usui Reiki Ryoho Gakkai que é a sociedade Reiki fundada por Usui Sensei, entendemos que os símbolos foram agregados por Usui Sensei algum tempo depois da sua realização em Reiki, para ajudar essas pessoas que têm pouca experiência com o trabalho da energia e necessita ajuda para se conectar com esta.

Os símbolos foram escolhidos aparentemente dos términos usados nalgumas secretas budistas esotéricas e que são apropriados para a função do poder de Reiki.

Estava verdadeiramente familiarizado com a maior parte desses términos antes de encontrar Reiki, tanto que eu não fui surpreendido por nada disto. Muitos mais livros e as traduções de Reiki que se ensina no Japão se publicarão no futuro e assim esta informação histórica acerca de Reiki continuará a ser ensinada.

O Reiki não é um sistema fechado, se bem nos beneficiamos por te ruma formação e uma sã origem nas práticas tradicionais de Reiki Usui Sensei, decidindo ele mesmo dar uma segunda classificação à indicação simbólica na esperança de que o sistema continuava o seu desenvolvimento após a sua partida.

O método original de Iniciação à possibilidade de usar Reiki foi modificado ao longo dos anos da forma como era e é praticando na sociedade japonesa de Reiki. O Reiki Ryoho no Japón você reunia-se semanalmente com os membros do mesmo nível e um mestre, têm uma lição ou um conferência e uma possível práctica, quem recebe o tratamento curativo depois de que você termina a meditação de hatsurei-ho enquanto o Mestre lhe dá "Reiju" a você e aos outros membros, uma força que ajuda a conectar e maximizar a conecção à energia Reiki, pelo geral, gradualmente de acordo com o seu desenvolvimento pessoal. Posivelmente depois de um período de um ano ou mais desta prática e estudos talvez sejas convidado a aprender as segundas senhas.

É na linhagem de Hayashi-Takata chamado Usui Shiki Ryoho que os símbolos são de mior importância. O sistema foi establecido para ensinar Reiki mais rápido que a instrução larga de Reiki Ryoho. Havia mais ênfase nas posições das mãos e os símbolos para que os estudantes se pudessem ligar ao Reiki com a ideia de trabalhar no dispensário de Hayashi, antes eles desenvolveram a habilidade de pressentir a energia dos clientes. Isto foi também provavelmente por que se desenrolou um processo de Iniciação semelhante às Iniciações usadas em muitas tradições espirituais que curam em ordem a que acelera significativamente a limpeza, a ligação e a habilidade de trabalhar com energias universais. Os Mestres que a Sra. Takata treinou foram ensinados com ênfase nos símbolos e foram ajuramentados também nos segredos dos símbolos de Reiki e outras práticas.

Publicado por Viktor às 12:30
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

Evolução e corpo espiritual

          PRIMÓRDIOS DA VIDAProcurando fixar idéias se­guras acerca do corpo espiritual, será preciso remontarmos, de algum modo, aos primórdios da vida na Terra, quando mal ces­savam as convulsões telúricas, pelas quais os Ministros Angéli­cos da Sabedoria Divina, com a supervisão do Cristo de Deus, lançaram os fundamentos da vida no corpo ciclópico do Plane­ta.
         A matéria elementar, de que o eletrão é um dos corpúscu­los-base (4), na faixa de experiência evolutiva sob nossa análi­se, acumulada sobre si mesma, ao sopro criador da Eterna Inte­ligência, dera nascimento à província terrestre, no Estado Solar a que pertencemos, cujos fenômenos de formação original não conseguimos por agora abordar em sua mais íntima estrutura.
          A imensa fornalha atômica estava habilitada a receber as sementes da vida e, sob o impulso dos Gênios Construtores, que operavam no orbe nascituro, vemos o seio da Terra recoberto de mares mornos, invadido por gigantesca massa viscosa a es­praiar-se no colo da paisagem primitiva.
         Dessa geléia cósmica, verte o princípio inteligente, em suas primeiras manifestações...
         Trabalhadas, no transcurso de milênios, pelos operários espirituais que lhes magnetizam os valores, permutando-os en­tre si, sob a ação do calor interno e do frio exterior, as mônadas celestes exprimem-se no mundo através da rede filamentosa do protoplasma de que se lhes derivaria a existência organizada no Globo constituído.
Séculos de atividade silenciosa perpassam, sucessivos...

4) Na Esfera Espiritual, em que estagiamos, o eletrão é também partícula atômica dissociável. — (Nota do Autor espiritual)

Publicado por Viktor às 10:36
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Auto Flagelação…

. Reflexão do dia

. do Reiki ao Karuna

. Chacras, o que são?

. A Primeira Infância

. Progressão dos Espíritos

. Corpo e Perispírito

. Dedicação

. Quem se Cura?

. Dor e Prazer

. Cumplicidade I

. A Infância

. 5º CHAKRA

. Acerca de Símbolos

. Evolução e corpo espiritu...

. MEDIUNIDADE EM CRIANÇAS

. CHAKRA FUNDAMENTAL ou bás...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007