.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Terça-feira, 9 de Novembro de 2010

No Momento da Partida

Caros Irmãos,

         Vivi entre vocês nesse mundo de dualidade. Mesmo quando possuía 100% das minhas faculdades enquanto Ser humano terrestre, estava bastante limitado, podendo mesmo comparar essa limitação à explicação científica de que o Ser humano apenas usa 10% das suas capacidades mentais. Mas uma coisa lhes digo, o vosso pensamento é como as nuvens, quanto mais pensam mais nublado se torna o céu e menos capacidade de visualizar o fantástico universo em que estão inseridos. Para que possam entender eu vou-lhes contar brevemente a minha história.

         Nasci em 1932 animando o corpo de uma mulher. Fui crescendo e desde muito cedo comecei a trabalhar. Tive 4 filhos fantásticos, muito diferentes e muito amigos de se ajudarem uns aos outros, até ao fatídico dia em que terceiros fizeram “vingar” a sua vontade no seio da família, levando à desunião gradual da mesma. Naquele momento o meu envoltório carnal (corpo) já sofria de alguns problemas de circulação sanguínea e cardíacos associados também ao excesso de peso que tinha, e com o acontecimento de outras e mais esta situação, as quais em vida não tinha consciência de que ia passar e que eram provações, um dia eis que uma trombose atira comigo para o hospital. Mesmo apesar de ter a minha saúde algo debilitada, nunca fui pessoa de estar parada. A trombose que se repetiu 3 vezes, o que me fez ficar amarrada a uma cama, com o lado direito do corpo completamente imobilizado, sem conseguir falar correctamente apenas emitindo sons desconcertantes, e 100% dependente de terceiros para a minha restante estadia nesse plano terrestre. Quando digo restante estadia, refiro-me aos meus últimos 7 anos de vida. No primeiro ano, vivi numa grande revolta, porque agora estava ainda mais condicionada na minha, e até então já restrita liberdade, pois não andava, não me lavava e não falava, apesar de ter plena consciência do que se estava a passar, ver e ouvir sem poder falar era para mim bastante penoso. Por vezes nem tinham certas conversas à minha frente, mas isso era o que achavam que ser melhor para mim, mas tive sempre o apoio daqueles que me estavam mais chegados, nunca me abandonando. Mas eis que um dia, os meus intestinos resolveram atrapalhar um pouco mais o meu estado débil de saúde. Então, necessitando de cuidados mais especializados fui transportada para um hospital, onde ao fim de pouco tempo acabei por me libertar daquele envoltório carnal (corpo). Lembro-me que momentos antes de partir comecei a ver uma luz intensa, que brilhava mas não feria a vista (já tinha perdido a visão). Emocionalmente tive um grande sentimento de paz e tranquilidade que me proporcionou um agradável momento satisfação que me fez esboçar um ligeiro sorriso (desprendimento parcial do corpo). Por fim perdi a audição, neste meu ultimo sopro de vida. Agora sim, nesta dimensão já me sinto quase completamente livre. Digo isto devido ao facto de o perispirito ou “cordão umbilical” necessitar de cerca de 72 horas para se separar completamente com meu corpo. Por isso, tenho pleno conhecimento do que me fizeram, do velório bem como do local onde depositaram o meu corpo. Por falar em velório, houve uma coisa que me deixou feliz, foi o facto de ver todos os meus filhos reunidos novamente, ainda que fosse pela última vez. Mas nesse local, oh que choros, quantas lágrimas, quanta dor, quanta tristeza… não havia necessidade, pois naquele momento eu já não estava ali dentro daquele corpo, já era novamente livre, mas a tradição faz as pessoas praticarem rituais que já não têm sentido. Mas houve algo no velório que me despertou a atenção, o meu neto estava com ar satisfeito e feliz, não porque estava a gostar do que via, mas porque tinha a consciência da felicidade que tive ao libertar-me daquele corpo.

         Não me vou alongar mais, dizendo-lhes apenas que quando um dia voltar a estar entre vós, na hora da minha partida façam uma festa e não sofram, por isso treinem o desapego, porque ninguém é de ninguém e amar não é prender mas sim dar liberdade.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 09:34
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

Eu Sou (cont.)

Em nome de Deus, suplico-vos que, cada vez em que vos encontreis dizendo que estais doente, pobre ou em outras situações adversas, instantaneamente invertais esta condição fatal para vosso progresso, e declareis mentalmente, com toda a intensidade de vosso EU SOU, que é todo saúde, opulência, felicidade, paz e perfeição. Cessai de dar poderes a condições externas, pessoas, lugares e coisas, pois o EU SOU é o poder de reconhecer a Perfeição em cada um e em todas as partes.

Quando pensais na expressão "EU SOU", significa que já sabeis que tendes Deus em acção actuando em vossa vida. Não permitam que falsas avaliações, conclusões e palavras continuem governando e limitando-vos: Lembrem constantemente: "EU SOU", portanto, sou Deus em Acção, "EU SOU" Vida, Opulência, Verdade já manifestadas".

Assim, lembrando-vos desta Presença invencível, mantende a porta aberta para que Ela (a Presença "EU SOU") mostre, em vossa manifestação externa, toda a Sua Perfeição.

Por Deus, não crede que, continuando a usar decretos erra­dos, de alguma maneira a vossa vida vá endireitar-se e manifestar coisas boas, porque é impossível que isto aconteça. Nos pastos usam-se ferros para marcar as reses. Eu gostaria de poder marcar-vos com um ferro, que fixasse em vossa consciência o "EU SOU" e que não pudésseis fugir do uso constante desta Grande Gloriosa Presença que sois.

Quando qualquer condição imperfeita aparecer em vossa experiência, declarai, veementemente, que não é verdade; que aceitais somente a Deus, a Perfeição em vossa vida. Cada vez e aceitais as falsas aparências; fareis com que elas se expressem e se manifestem em vossa vida e experiências. Não importa que creiais ou não no que estou vos dizendo, ISTO É UMA LEI comprovada através de anos de experiência. Hoje a entrega­mos a vós, para libertar-vos.

Vós sabeis que, no Mundo Ocidental, as pessoas gostam de se enganar com a ideia de que é suficiente apenas não acreditar (ou não aceitar) a antiga ideia oriental de bruxaria, para estar livre dela. A bruxaria não é senão o mau uso dos poderes espirituais, os mesmos que são usados para o bem. A pior classe de bruxaria é empregada, hoje, pela política, com o uso do poder mental mal qualificado.

Se essa mesma tremenda força fosse usada em sentido inverso, ou seja, para recordar que a Acção de Deus está em cada pessoa que ocupa um posto oficial, aquele que a empregasse desta forma positiva, não somente libertaria a si mesmo, como, também, preencheria o mundo político de liberdade e justiça; viveriam os humanos em um mundo natural, onde a Acção de Deus seria predominante em todos os momentos.

Como foi no Egipto é hoje: Aqueles que usam mal o poder da mente prendem-se eles mesmos na desarmonia, encarnação após encarnação. Fazei vós o seguinte propósito: "Eu não aceito nem adopto condições do ambiente alheio ou de nada do que me rodeia. Só de Deus, do Bem e do meu "EU SOU".

Precisais adquirir o hábito de governar vossa energia. Sentai, várias vezes ao dia, e aquietai-vos, aquietai vosso ser externo. Isto permitirá que vos supreis com a devida energia. Aprendei a ordená-la e controlá-la; caso quiserdes que ela (a vossa energia) esteja calma, mantende-vos quietos; se a necessitais activa, ponde-vos activos. Tendes que enfrentar as coisas e elevar-vos acima delas.

O estudante deve estar alerta para reconhecer, em si mesmo, os seus hábitos; não deve esperar que alguém aponte seus defeitos. Deve examinar-se e eliminar tudo o que não seja perfeito. A forma de conseguir é declarando que não se tem tal hábito indesejável. “Logo, sendo EU criação de Deus, sou Filho de Deus Perfeito". Isto traz uma liberação que não é possível conseguir de nenhuma outra forma. Permanecer com velhos costumes, é como vestir-se com uma roupa antiga. Lembrai-vos: Ninguém pode fazer nada por vós, deveis fazê-lo por vós mesmos. Neste trabalho, neste ensinamento e nesta radiação, todas as coisas velhas no indivíduo saem para serem consumidas. Antes de queixar-vos de cada coisa que experimentais em vós e em vosso mundo, lembrai-vos que elas vêm para que as quiteis e as transmuteis.

Tende cuidado em não fixar a atenção naquelas coisas das quais quereis livrar-vos. É ridículo estar lembrando de acontecimentos que não deram certo. Não é algo maravilhoso que, depois dos séculos em que estivestes construindo limitações, possais, em pouco tempo, extirpá-las e libertar-vos através de vossa própria atenção e esforço? Não vale a pena?! A forma mais rápida de consegui-lo é empregando o humor. A sensação leve que dá a alegria permite fazerdes maravilhosas manifestações. Se vos empenhais em invocar a Lei do Perdão, podeis consumir todas as más criações do passado com a Chama Violeta Transmutadora e sereis livres. Deveis ter consciência de que a Chama Violeta é a Activa Presença de Deus agindo.

Quando sentirdes desejo de fazer algo construtivo, esforçai-vos, com todo empenho, para consegui-lo, mesmo que o mundo caia ao vosso redor. Mesmo que não presencieis a manifestação, não deveis preocupar-vos. Ainda que os estudantes somente conheçam as coisas intelectualmente, não devem permitir que suas mentes voltem às condições más ou erradas do passado, já que eles sabem que tal recordação acaba com todo êxito. É incrível que as pessoas não dominem este inimigo. Nenhum estudante pode triunfar, até que deixe de voltar-se às condições negativas que está tratando de superar.

O trabalho íntegro de um Mestre é tratar de fazer compreender ao estudante o que significa aceitar. Aquilo com que o indivíduo está de acordo mentalmente será aceito por ele. Se ele prende a sua atenção em uma coisa, está fazendo ou unificando-se com ela, identificando-se com aquilo de mau ou bom em que se fixou. Quando a mente aceita ou está de acordo com alguma coisa ou condição, está decretando essa condição em seu mundo. A tudo que escutais ou que meditais com atenção, estareis aceitando, pondo-vos de acordo, identificando-vos com esse algo, em virtude de vossa atenção. Acreditais que um homem, que vê uma serpente cascavel enroscada, caminha deliberadamente para ela, para que o ataque? Lógico que não! Pois é isto que os estudantes fazem quando permitem que sua atenção retorne aos antigos problemas.

A actividade interior governa de acordo com o Plano da Perfeição. O exterior, quando o deixamos agir, sempre governa errada­mente. Quando um quadro construtivo ilumina-se na vossa mente, torna-se uma realidade. E essa realidade surge sempre que mantiverdes esse quadro em vossa lembrança. É possível fazer-vos tão conscientes da Presença de Deus, que, a qualquer momento, podereis ver e sentir Sua Radiação derramando-se em vós.

Para tudo o que ele não quer, o estudante demonstra a confiança no mundo exterior, porém, para tudo o que deseja deve obrigar-se a ter a mesma confiança que tem no espiritual. Deve sempre confiar em si mesmo, e deve pensar: "Como posso usar as indicações que me foram dadas, a fim de intensificar esta actividade?"

Livro: “O LIVRO DE OURO DA IRMANDADE DE SAINT GERMAIN

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:10
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

EU SOU

"EU SOU" é a actividade da Vida. É inacreditável que os estudantes mais sinceros nem sempre chegam a captar o verdadeiro significado dessas duas palavras!

Quando dizeis "EU SOU", sentindo-as, abres a fonte da Vida Eterna, para que corra sem obstáculos ao longo do seu curso; por outras palavras, abres amplamente a porta para o seu fluxo natural. Quando dizeis "Eu não sou", fechas a porta ante a face desta Magna Energia.

"EU SOU" é a plena actividade de Deus. Coloquei na vossa frente, infinidade de vezes, a Verdade de "DEUS EM AÇÃO". Quero que compreendais que a primeira expressão de todo o ser individualizado, em qualquer parte do Universo, seja em pensamento, sentimento ou palavra, é "EU SOU", reconhecendo, as­sim, a Sua própria Vitoriosa Divindade.

O estudante, ao tentar compreender e aplicar estas potentes, ainda que singelas leis, tem que manter uma vigilância estreita sobre os seus pensamentos e atitudes. Isto porque, cada vez que alguém pensa ou diz "Não Sou", "Não posso” ou “não tenho” está a sufocar a Magna Presença Interna, consciente ou inconscientemente, em forma tão tangível, como se colocasse as mãos à volta do pescoço de alguém. A diferença desse gesto, na forma externa, é que podem, com o pensamento, governar as vossas mãos e afrouxá-las a qualquer momento. Quando alguém faz uma declaração de “não ser”, “não ter” ou “não poder”, coloca em movimento a energia ilimitada que continuará actuando até que seja anulada e transmutada sua acção. Isto mostra o enorme poder que tendes para qualificar, ordenar e determinar a forma em que desejem que actue a Grande Energia de Deus. Digo-vos, amado estudante, que o dinamite é menos perigoso. Uma carga de dinamite desintegrará o vosso corpo; enquanto que pensa­mentos ignorantes, lançados sem controle nem governo, travam a roda da reencarnação indefinidamente (A humanidade deve ser informada que os habitantes das cidades morrem e reencarnam no mesmo lugar muitas vezes, porque formaram raízes que os atraem novamente ao mesmo lugar. O estudante que tem que reencarnar deve dar a seguinte ordem: “Na próxima vez, nascerei em uma família de grande Luz. Isto abrirá rapidamente a porta para seu progresso.”) ou seja: enquanto dure um decreto sem ser detido, transmutado e dissolvido, o mesmo continuará imperando "per secula seculorum", por disposição do próprio indivíduo!

Por isso observem o quão importante é que saibam o que estão a fazer quando usam atitudes incorrectas impensadamente, já que estareis empregando o mais potente e Divino Princípio da Actividade no Universo, ou seja, o "EU SOU".

Não compreendam mal, não se trata de uma actividade, ideia oriental, estrangeira, vã ou leviana, nem de nenhum exagero. Trata-se, nem mais nem menos, do mais alto Princípio de Vida, usado e expressado através de todas as civilizações que tenham existido. Lembrai-vos primeiro que toda a forma de vida, cons­ciente de si mesma, expressa o EU SOU, que é muito mais do que "eu existo". Depois, no seu contacto com o exterior, com actividade incorrectamente qualificada, é que o estudante começa a aceitar coisas inferiores ao "EU SOU".

Agora vede, amado discípulo, quando dizeis "eu estou enfermo" estais deliberadamente invertendo a perfeição que contém o processo vital. Não reparam que o estais baptizando com algo alheio que jamais o "EU SOU" possuiu?

Através de muitos séculos de ignorância e incompreensão, a humanidade carregou de falsidade e irrealidades até mesmo a atmosfera que a rodeia; por isso, tenho de repetir, que quando anunciais "estou enfermo", é uma flagrante mentira com respeito à Divindade. Ela (o EU SOU) jamais conhecerá doença. É sempre plena de Vida e Saúde.

Peço-vos, amado estudante, em Nome de Deus, que cesseis de empregar essas falsas impressões em relação à Divindade, pois é impossível que tenham liberdade, enquanto as continuam a usar. Nunca será demasiado insistir convosco, para que verdadeiramente reconheceis e aceiteis a Magna Presença de Deus "EU SOU” no vosso interior, pois, categoricamente, não tereis mais condições adversas…….

Livro: “O LIVRO DE OURO DA IRMANDADE DE SAINT GERMAIN

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:27
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008

Parábola

Um homem viajava com um de seus discípulos que estava encarregado de cuidar do camelo. À noite, cansado, o discípulo não amarrou o camelo, fez uma prece pedindo a Deus que cuidasse do animal e adormeceu. Pela manhã o camelo havia desaparecido. Questionado pelo mestre do paradeiro do camelo o discípulo disse ter seguido suas recomendações, confiando em Deus ao delegar a Ele a guarda do animal. O mestre, então, respondeu:

- Confie em Deus, mas amarre seu camelo. Deus não tem outras mãos além das suas.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 12:20
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 1 de Agosto de 2007

MOISÉS PROIBIU PRECISAMENTE O QUE O ESPIRITISMO PROÍBE

A condenação do Espiritismo pela Bíblia, que é a mais citada e repetida, figura no Cap. 19 do Deuteronômio. É a condenação de Moisés, que vai do versículo 9 ao 14. A tradução, como sempre, varia de um tradutor para outro, e às vezes nas diversas edições da mesma tradução. Moisés proíbe os judeus, quando se estabeleceram em Canaã, de praticar estas abominações: fazer os filhos passar pelo fogo; entregar-se à adivinhação, prognosticar, agourar ou fazer feitiçaria; fazer encantamento, necromancia, magia, ou consultar os mortos. E Moisés acrescenta, no versículo 14: "Porque essas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores, porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa". Assim está na tradução de Almeida, mas variando de forma, por exemplo, na edição das Sociedades Bíblicas Unidas e na edição mais recente da Sociedade Bíblica do Brasil.

Na primeira dessas edições (ambas da mesma tradução de João Ferreira de Almeida) lê-se, por exemplo: "quem pergunte a um espírito adivinhante", e na segunda: "quem consulte os mortos". Na tradução de António Pereira de Figueiredo, lê-se: "nem quem indague dos mortos a verdade". Qual delas estará mais de acordo com o texto? Seja qual for, pouco importa, pois a verdade dita pêlos mortos ou pêlos vivos (estes, mortos na carne) é que tudo isso que Moisés condena, também o Espiritismo condena. Não esqueçamos, porém, de que a condenação de Moisés era circunstancial, pois os povos de Canaã, que os judeus iam conquistar a fio de espada, eram os que praticavam essas coisas.

Mas a condenação do Espiritismo é permanente e geral, pois o Espiritismo, sendo essencialmente cristão, não se interessa por conquistas guerreiras e não faz divisão entre os povos. Kardec adverte em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, livro de estudo das partes morais do Evangelho: "Não soliciteis milagres nem prodígios ao Espiritismo, porque ele declara formalmente que não os produz". (Cap. XXI: 7). Em O Livro dos Médiuns, Kardec adverte: "Julgar o Espiritismo pelo que ele não admite, é dar prova de ignorância e desvalorizar a própria opinião". (Cap. 11:14). Em A Gênese e em O Livro dos Espíritos, como nos já citados, Kardec esclarece que a finalidade da prática espírita é moralizar os homens e os povos. Quem conhece o Espiritismo sabe que todo interesse pessoal, particular, é rigorosamente condenado. Adivinhações, agouros, feitiçaria, encantamentos, consultar interesseiras, são práticas de magia antiga, que Moisés condenou, como o Espiritismo condena hoje. Mas o próprio Moisés aprovou a mediunidade moralizadora, a prática espiritual da relação com o mundo invisível, como veremos.

J. Herculano Pires
Publicado por Viktor às 13:15
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. No Momento da Partida

. Eu Sou (cont.)

. EU SOU

. Parábola

. MOISÉS PROIBIU PRECISAMEN...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007