Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Encarnação

O processo da encarnação dura todo o espaço de uma vida. Não é uma coisa que ocorre no nascimento e depois termina. Para a descrever, é necessário utilizar termos metafísicos. A encarnação é o movimento orgânico da alma em que as suas vibrações ou aspectos mais altos e mais finos são continuamente irradiados para baixo, através dos corpos áureos mais finos, até os corpos áureos mais densos, e dali, finalmente, até o corpo físico. No seu crescimento pela vida fora essas sucessivas energias são utilizadas pelo individuo, mas mais variadas circunstâncias.

Cada uma das fases principais da vida corresponde a vibrações novas e mais elevadas e à activação de chakras diferentes. Em cada fase, nova energia e a nova consciência ficam à disposição da personalidade para a sua expansão. Cada fase apresenta novas áreas de experiência e saber. A essa luz, a vida está cheia de descobertas e desafios emocionantes para a alma.

O processo de encarnação é dirigido pelo eu superior. Esse padrão de vida é mantido na sétima camada da aura, o nível ketérico padrão, um padrão dinâmico, que muda constantemente, à medida que o indivíduo faz opções de livre-arbítrio no processo de viver e crescer. À medida que ocorre o crescimento, o indivíduo abre sua capacidade de sustentar níveis mais elevados de vibrações, energias e consciência, que lhe atravessam os veículos, os corpos áureos e os chakras. Descarte, ele aproveita-se de realidades cada vez maiores, à proporção que progride no caminho da vida. Assim como cada individuo progride, assim progride também mais elevadas do que a anterior, de tal sorte que toda a humanidade se move no seu plano evolutivo no rumo de vibrações mais altas e de realidades dilatadas. O princípio de progressão da raça humana é mencionado em muitos textos religiosos, como a Cabala, o Bhagavad Gita, os Upanishades e outros.

O processo de encarnação antes da concepção foi descrito pela Sra. Blavatsky e, mais recentemente, por Alice Bailey, Phoebe Bendit e Eva Pierrakos. De acordo com Pierrakos, a alma em vias de se encarnar encontra-se com os guias espirituais a fim de planear a vida que haverá de seguir. Nesse encontro, a alma e os guias ponderam sobre as tarefas que lhe incumbe realizar para o seu crescimento, no karma que precisa enfrentar e com o qual lhe é mister lidar, e nos sistemas de crenças negativas que lhe cumpre esclarecer por meio da experiência. O trabalho da vida geralmente é mencionado com a tarefa da pessoa.

Por exemplo, a pessoa pode precisar desenvolver o espírito de liderança. Ao entrar na vida física, ver-se-á em situações em que a liderança é uma questão chave. As circunstâncias, para cada pessoa, serão inteiramente diferentes, mas todas se concentram na liderança. Uma pessoa pode nascer numa família em que a liderança é tradição, como uma longa linha de respeitáveis presidentes de companhias ou de líderes políticos, ao passo que outra pessoa nascerá numa família em que a liderança não existe e na qual os líderes são vistos como autoridades negativas que devem ser postas abaixo ou contra as quais se faz necessária uma rebelião. A tarefa da pessoa consiste em aprender a aceitar essa questão de forma equilibrada e confortável.

Segundo Eva Pierrakos, a dose de aconselhamento que uma alma recebe dos guias na determinação das futuras circunstâncias de vida depende da sua maturidade. Escolhem-se os pais que proporcionarão a necessária experiência ambiental e física. Tais escolhas determinam a mistura de energias que formarão finalmente o veículo físico em que a alma se encarnará para realizar sua tarefa. Tais energias, muito precisas, fornecem à alma o equipamento necessário ao cumprimento da sua tarefa. A alma aceita o encargo não só de uma tarefa pessoal de aprendizagem pessoal (como a liderança) mas também uma “tarefa mundial”, que implica uma dádiva para o mundo, O esquema é tão singular que, ao cumprir a tarefa pessoal, a pessoa se prepara para cumprir a mundial. A tarefa pessoal liberta a alma, soltando energias que então são usadas na tarefa mundial.

No exemplo supramencionado sobre liderança, o individuo precisará aprender essa qualidade ou habilidade antes de assumir o papel de liderança no campo de trabalho que tiver escolhido. Ele pode sentir-se intimidado pela extensa linha de antepassados que foram lideres brilhantes, ou sua reacção a essa herança será de inspiração para prosseguir com a própria liderança. Cada caso é diferente e muito pessoal, conforme a singularidade da alma que aqui veio aprender.

O plano de vida contém muitas realidades prováveis, que permite amplas escolhas de livre-arbítrio. Entrelaçada nesse contexto de vida está a acção de causa e efeito. Criamos nossa própria realidade. A criação, que emerge de muitas partes diferentes do nosso ser, nem sempre é fácil de compreender a partir de um simples nível de causa e efeito, embora muito da nossa experiência possa ser entendido por esse aspecto. Você cria literalmente o que deseja. O que deseja está contido na consciência, no inconsciente, no super consciente e na consciência colectiva, forças criativas que se misturam para criar experiência em muitos níveis do nosso ser à medida que progredimos pela vida afora, O que se denomina karma, no meu entender, é a lei de causa e efeito a longo prazo, e também de muitos níveis diferentes do nosso ser. Assim, criamos a partir da fonte pessoal e da fonte comum e, naturalmente, há grupos menores dentro de grupos maiores, todos emprestando sua contribuição ao grande contexto de experiência da vida criativa. Desse ponto de vista, é fácil olhar para a riqueza da vida com o assombro de uma criança.

Após o “planeamento”, a alma entra num processo de perder aos poucos a consciência do mundo do espírito. Por ocasião da concepção, forma-se um elo energético entre a alma e o ovo fertilizado. Nesse momento também se forma um útero etérico, que protege a alma entrante de quaisquer outras influências que não sejam as maternas. A proporção que o corpo cresce dentro da mãe, a alma, aos poucos, principia a sentir o seu “arrastamento” e, devagarinho, liga-se conscientemente ao corpo. A certa altura, de repente, a alma dá conta dessa conexão, e um vigoroso lampejo de energia consciente desce ao corpo em formação. A alma, então, volta a perder a consciência, e redesperta, a pouco e pouco, no físico, O vigoroso lampejo de consciência corresponde ao tempo dos primeiros movimentos do feto.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:14
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Abalos Morais e Roteiro Seguro

N

inguém se deve deixar abater. Há momentos na vida em que os abalos morais - alguns de grande intensidade - sacodem, impiedosamente, a alma humana. A esta, porém, não faltam forças para reagir e dominar a situação, principalmente quando se apoia no conhecimento da vida real e da verdade. São esses conhecimentos as suas armas e os seus escudos mais fortes porque, quando bem manejados, levam sempre ao triunfo.

Quantas e quantas vezes a simples partida de um ente querido para o além - coisa tão natural na vida - conduz ao inconformismo, à aflição e ao desespero!

Com isto o espírito desencarnado, não esclarecido, aflige-se, sofre, procura intuir para acalmar e, como não o consegue, acaba por se tornar obsessor, perturbando e levando à obsessão o intuído.

O melhor procedimento dos que ficam para com os que partem é elevar o pensamento à Forças Superiores com firmeza e convicção, envolvendo-os na ternura e no calor da irradiação amiga para auxiliá-los a romper a camada atmosférica terrestre e a seguirem para os mundos a que pertencem.

Empenha-se o Racionalismo Cristão em oferecer aos seres humanos um roteiro seguro para uma vida sadia e evolutiva.

Grande parte da humanidade é vítima da obsessão, exactamente por desconhecer os recursos, os elementos, os meios que tem ao seu alcance para evitá-la ou livrar-se dela.

Alguns sintomas do estado inicial da obsessão podem ser observados nos seguintes casos:

1º.  Tendência para dar risadas sem motivo ou a pretexto de coisas fúteis;

2º. Vontade de chorar, sem razão plausível;

3º. Comer exageradamente;

4º. Estar sempre com sono;

5º. Sentir prazer na ociosidade;

6º. Exteriorização de manias;

7º. Ideias fixas;

8º. Fazer gracinhas tolas;

9º. Amofinar, persistentemente, o próximo;

10º.   Repetir, mecanicamente, o mesmo dito;

11º.    Deixar-se dominar por paixões;

12º.   Prevenções descabidas;

13º.   Casmurrices;

14º.   Práticas viciosas;

15º.   Actos de ostentação;

16º.   Explosões temperamentais;

17º.   Mistificação;

18º.   Dizer mentiras;

19º.   Expressar-se licenciosamente;

20º.  Revelar covardia;

21º.   Usar palavrões;

22º.  Demonstrar fanatismo;

23º.  Gesticular e falar sozinho;

24º.  Ser sistematicamente importuno;

25º.  Ouvir e ver coisas fantásticas;

26º.  Gastar acima do que deve e pode;

27º.  Manias de doença;

28º.  Descuidar-se das obrigações no lar e no trabalho;

29º.  Abandonar os deveres caseiros, ausentando-se do seio da família;

30º.  Viver num mundo distante, sonhadoramente; e,

31º.   Provocar ou alimentar discussões.

Qualquer destas atitudes, ainda mesmo quando não constitua um estado de anormalidade mental adiantada, predispõe à obsessão.

Não é demais insistir neste ponto: a linguagem dos espíritos desencarnados é o pensamento. Pelo pensamento identificam eles os sentimentos das criaturas, as suas intenções e tendências, e disso se prevalecem os obsessores para estimular, pela intuição, os vícios e as fraquezas humanas.

Por higiene mental, não se deve pensar em intrigantes, caluniadores, desafectos e, em geral, nas pessoas de maus sentimentos.

Pensar em tais seres é ligar-se à sua má assistência espiritual, receber influências malignas e correr o risco de avassalamento.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:07
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

Papel Social do Reiki

O Reiki é diariamente uma filosofia de vida que me absorve completamente, tanto na minha forma de estar como na de agir. Assim sendo, vou aqui transcrever a abordagem que ao mesmo fiz, quando abordei este tema no meu livro. Há áreas de cariz social onde o Reiki pode desempenhar um importante papel, tais como lares, centros de dia, cuidados paliativos, hospitais, centros de saúde, redes sociais e casas de abrigo, conforme seguidamente vou explicar. Os lares nos dias de hoje são instituições que não “conseguem absorver” a totalidade de idosos e que, infelizmente, por vezes são usados como locais onde “depositam” os idosos. Mesmo aqueles que, cujas suas possibilidades económicas permitem que as famílias nessas instituições os coloquem, provocam neles um certo sentimento de revolta, abandono, injustiça, angustia e tristeza que se traduz numa profunda solidão. Nos Centros de Dia, o tipo de utentes não difere muito dos anteriormente mencionados, com a diferença de estes residirem em habitação própria utilizando estes serviços apenas durante o dia. Nos Cuidados Paliativos que são nos dias de hoje já oferecidos, o Reiki pode dar um enorme contributo na melhoria dos serviços. Nos Hospitais e Centros de Saúde, conforme prática regular noutros países, presta um bom serviço a acamados de média e longa duração, nos tratamentos de quimioterapia e radioterapia, serviços de ortopedia e até nas urgências. Nas Redes Sociais quer sejam locais, municipais ou regionais, pode desempenhar um excelente apoio àqueles que vivem com sérias dificuldades e muitas vezes são “marginalizados” por pessoas de nível social mais elevado. Nas Casas de Abrigo e instituições de apoio a órfãos também pode desempenhar um papel benéfico no apoio emocional, mental e espiritual, a todos aqueles que por “força das circunstâncias” até àqueles locais foram parar.

Desde o início desta minha caminhada, a minha sensibilidade para os problemas sociais, causas humanitárias, voluntariado e outras aumentou consideravelmente, o que me faz observar o mundo de uma forma diferente tornando-me mais humano. É claro que, este caminho de luz, paz e amor não é nada fácil, sendo por vezes até demasiado sinuoso, pois ouvir os problemas, angustias, traumas e conflitos dos outros é uma tarefa árdua e morosa que, exige da parte do terapeuta uma boa disponibilidade, vontade e predisposição temporal para o mesmo. Para percorrer este caminho de luz e amor necessitamos de uma preparação interior que passa através de várias etapas que podem demorar anos e mesmo assim por vezes temos a sensação de não estar preparados.

Por estas e outras razões aqui não enunciadas, “luto” diariamente para que esta terapia seja aceite pelas entidades governamentais para que, assim sendo, seja possível dar um valioso contributo nas áreas de saúde, social e pessoal das pessoas. Para esta acreditação renovo aqui o apelo a todos os associados que pretendam dar o seu contributo para tal, por pequeno que lhes possa parecer, é para o processo é de grande utilidade. Vamos todos juntos contribuir para a aceitação desta terapia para o bem-estar comum e supremo universal.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 14:15
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 16 de Junho de 2009

Na Terra

Na Terra, Deus nos concede o corpo, através de pais amigos.

Cada um de nós se lhe faz o inquilino temporário, em regime de responsabilidade.

Deus nos proporciona a riqueza das horas pela contabilidade do Tempo.

Cada criatura, em momento oportuno, apresentará o relatório dos próprios dias.

Deus nos oferta os laços afectivos pelos princípios da afinidade.

Podemos valorizá-los ou não, conforme o nosso próprio arbítrio.

Deus nos cede a propriedade, por intermédio das leis organizadas pelos próprios humanos.

Daremos conta do usufruto respectivo.

Deus nos oferece as sementes pelos recursos da Natureza.

Plantio e colheita são sempre de nossa escolha.

Deus nos confia o dinheiro, através do trabalho ou da generosidade alheia.

Somos responsáveis pela aplicação da finança que nos seja creditada.

Deus nos habilita para a eficiência com máquinas diversas, por meio da própria inteligência humana.

Compete a nós outros a programação e a condução delas.

Em suma, toda criação e doação das vantagens de que dispomos procedem de Deus.

Entretanto, é justo reconhecer que todos os êxitos e problemas da utilização pertencem a nós.

Espírito: ANDRÉ LUIZ

Médium: Francisco Cândido Xavier

Livro: “Passos da vida

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 08:57
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 4 de Junho de 2009

ESCALADA

A pedra perguntou ao martelo que a espancava:

-Por que me quebras assim?

O martelo não respondeu, contudo, em breve tempo, o bloco burilado se fez destaque na base de formoso edifico.

O minério indagou do forno super aquecido que o transmutava:

Diz a razão pela qual me enlouqueces de sofrimento.

O forno silenciou, no entanto, depois de alguns dias, apareceu na condição do aço em alto preço.

O tronco argumentou com a lâmina que o serrava:

Por que me atormentas?

A lâmina permaneceu muda, mas, após algumas semanas, o tronco dividido em folhas diversas, era a estrutura principal de um barco importante.

O barro interrogou ao molde que o constringia:

Por que me oprimes tanto?

O molde não formulou resposta alguma, entretanto, além de algum tempo surgiu na loja por vaso raro.

O Homem igualmente, vezes sem conta, interpela Deus:

Senhor, porque me martirizas e me afliges?

Deus, porém, não responde.

Acontece que o espírito humano dispõe de livre arbítrio para aceitar ou não a dor que o aperfeiçoa.

Enquanto recalcitra contra as leis do progresso e do aprimoramento próprio, sofre e debatera, indefinidamente; no entanto, quando se decide a obedecer aos princípios que lhe controlam a escalada para a Grandeza Suprema do Universo, chega sempre o dia no qual vem a saber os prodígios de sabedoria e amor, luz e beleza em que Deus o transformará.

Espírito: MEIMEI

Médium: Francisco Cândido Xavier

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 12:56
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

CARIDADE – A Nossa Bandeira

Meus filhos:

Jesus - o nosso Mestre.

Amor - o nosso clima.

Caridade - a nossa bandeira.

Serviço - a nossa bênção.

Sim, filhos do coração,

quanto nos seja lícito;

tanto quanto pudermos;

seja com quem for;

em toda parte;

em qualquer tempo;

à frente de todos;

ante quaisquer circunstâncias;

por todos os modos justos;

nos mínimos gestos;

sem restrições de qualquer natureza;

como nos seja possível;

através dos sentimentos;

pelo veículo das ideias;

pela forma das palavras;

e pela força das acções

levantemos o nosso estandarte de luz!...

Que, em tudo, a caridade,

por presença do Cristo,

resplandeça de nós para com os outros,

com o esquecimento de nós próprios,

para que o Reino Eterno

do Pai Celestial,

seja instalado, enfim,

em nossos corações,

agora e para sempre.

Espírito: Fabiano de Cristo

Médium: Francisco Cândido Xavier

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 10:06
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Encarnação

. Abalos Morais e Roteiro S...

. Papel Social do Reiki

. Na Terra

. ESCALADA

. CARIDADE – A Nossa Bandei...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007