Segunda-feira, 8 de Outubro de 2012

A Verdade por vezes desfigurada

Caros leitores,

     Cada Ser humano é único, com as suas vivências, aprendizagens, crenças, convicções, ideias, beleza, feitio, enfim tantas coisas que nos tornam um pouco diferentes uns dos outros. Assim conclui-se que todo o Ser humano é fruto das suas aprendizagens (tal como descritas anteriormente) bem como de toda a influência que a sociedade possa gerar sobre o mesmo (também somos moldados pela sociedade onde estamos inseridos, no plano humano).

     O texto anterior serve de nota introdutória para o texto que se segue.

     A meu ver existem dois tipos de verdades: a verdade global e a individual.

     A verdade individual tem a ver com cada um de nós e com os aspectos referidos no primeiro parágrafo.

     A verdade global tem a ver com aspectos de carácter geral que predominam na maioria dos Seres que fazem parte de uma sociedade ou comunidade, ou mesmo da totalidade dos seres humanos terrestres.

     Nunca nos devemos esquecer que a verdade é filha do tempo.

     Eu, tal como todos os Mestres de Reiki que existem, sou um Ser humano tal como qualquer um de vocês. O facto de se ser Mestre de Reiki significa que dentro dessa área obtivemos um certificado que nos confere esse nível, o qual faz com que tenhamos uma responsabilidade acrescida na sociedade perante todos os semelhantes. Por vezes ouve-se dizer por ai que quando forem Mestres de Reiki têm a maioria dos seus problemas de saúde resolvidos, mas como repararam isso em nada corresponde à verdade (os médicos também adoecem). Certamente que enquanto Mestres, derivado a um nível de consciência e conhecimento algo mais elevado podem ter ferramentas melhores para se auto-ajudarem mas nunca se esqueçam que nasceram como seres humanos e não como Mestres de Reiki.

     Mantra para hoje: Só por hoje, lembrem-se que são seres angélicos divinos.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 17:20
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 31 de Maio de 2012

Reflexão... Saúde...

     Fenómenos naturais e momentos conturbados parecem querer debilitar a harmonia e o equilíbrio entre o Ser Humano e a Natureza. Durante muitos séculos o Homem explorou e continua a explorar os recursos naturais do planeta, o que é normal pois está ligado ao instinto de sobrevivência do ser humano. Contudo, essa exploração a dada altura começou a ser feita desenfreadamente, sem a intenção de dar o suficiente para todos mas sim o de obter rendimentos elevados apenas para alguns, situação que despoletou intrigas, guerras e muitas outras coisas, que ao longo dos tempos têm “minado” o equilíbrio e harmonia dos seres humanos. Assim, relativamente ao planeta podemos concluir que está algo “doente” e que merece a nossa atenção, portanto vamos nas nossas meditações, enviar energia de amor para a Terra, pois ela necessita e agradece.

     Há também notícias sobre doenças que cada vez mais se manifestam precocemente no ser humano. Por exemplo doenças que habitualmente se manifestavam aos 50 anos, hoje em dia começam a manifestar-se aos 35 anos. Atualmente a esperança média de vida situa-se nos 83 anos o que na generalidade é bom, mas ao sabermos que algumas doenças se manifestam cada vez mais cedo ficamos algo apreensivos. Perante este cenário, cada vez mais o ser humano tem de tomar precauções consigo mesmo. Sim, porque a pessoa mais importante para cada Ser é Ele mesmo, ou seja, você é a pessoa mais importante da sua vida, por isso ame-se, adore-se, estime-se e respeite-se entre muitas outras coisas. Prevenir e fomentar o nosso bem-estar e saúde é promover a nossa felicidade, alegria, paz e harmonia. Para tudo isto contribuem as boas práticas alimentares, o desporto e as terapias orientais. As terapias orientais além da sua comprovada capacidade terapêutica curativa, são também muito benéficas na promoção do bem-estar e saúde, quando praticadas com uma certa regularidade. Por exemplo, é desnecessário estar menos bem para poder receber uma sessão terapêutica holística de Reiki, Karuna ou de ambas, pois muitas pessoas que se preocupam com o seu bem-estar e saúde acabam por fazer uma sessão terapêutica em vez de ir ginásio, por exemplo.

     Para concluir recomendo-lhe que invista em si mesmo, no seu bem-estar e saúde, dando mais importância ao Ser em detrimento do Ter. Repare nos valores que anualmente gasta em farmácias e pense o quão útil seria para si conseguir poupar mais de metade desse valor dispendido! Menos gastos desses eram sinónimo de saúde e bem-estar, por isso lhe recomendo e aconselho as terapias holísticas de forma a promover o vosso bem-estar e saúde. Nada tenho e respeito muito a classe médica, mas digo-lhes que há 5 anos que deixei de recorrer aos mesmos, devido às praticas que tenho adotado através das terapias orientais.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 00:41
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 21 de Julho de 2010

Nos dias de Hoje...

Caros Leitores,

     Nos dias de hoje há cada vez mais pessoas que se sentem baralhadas, inseguras, com a auto-estima bastante debilitada, tristes, sentem um vazio interior, têm sensações de não pertença a este planeta, muitas vezes parecem que “andam na lua”, não suportam locais com muitas pessoas, ao falar com certas pessoas parece que ficam sem energias, sente-se rejeitado pela família, não têm ninguém com quem possam falar destas coisas sem que lhes apontem o dedo e não só entre outras coisas mais, então não está louco. Está apenas num processo de despertar. Num despertar de consciência que lhe irá dar uma visão e um conhecimento diferente acerca de tudo o que se tem passado consigo no decorrer do seu caminho de ascensão. A estas pessoas, como a ciência médica convencional não tem resposta correcta, então são reencaminhados para a psiquiatria, psicologia, são-lhe diagnosticados estados depressivos, loucura e esquizofrenia e outras coisas mais.

     Estas pessoas não necessitam disso. Necessitam de alguém com conhecimentos de outro nível, no plano espiritual, que as possa ouvir, aconselhar e orientar, tal como um pai que no primeiro dia de escola leva o seu filho pela mão. Esta é uma realidade cada vez mais presente, a qual as pessoas têm enorme dificuldade de enfrentar devido ao facto de estarem “agarrados” aos paradigmas do passado, às velhas crenças, à educação que tiveram e ao próprio meio onde estão inseridos. Neste sentido tenho também sido requisitado, partilhando o meu conhecimento e auxiliando as pessoas a obterem respostas àquela panóplia de porquês que diariamente lhes surgem na mente. Não desespere porque nada acontece por acaso e certamente não foi por acaso que leu este esclarecimento. Não espere que façam tudo por si, seja você mesmo a tomar a iniciativa.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 01:58
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Junho de 2010

Eu… Vocês… País… Planeta… Via Láctea…

Caros irmãos,

Como Terapeuta Holístico o meu objectivo principal é, dentro das minhas capacidades e limitações, auxiliar o próximo despertando a sua auto-cura, encontrar a sua harmonia, equilíbrio, bem-estar em prol do seu desenvolvimento pessoal e colectivo da humanidade. Afinal, nós somos as mãos de Deus. Trata os outros como a ti mesmo, porque o que fizeres aos outros a ti o estarás a fazer.

Vamos todos em conjunto trabalhar na luz, ajudando cada um à sua maneira (terapeutas, médicos, enfermeiros, professores, etc.), dando um pouco e nós àqueles que necessitam em prol o bem-estar supremo universal.

Vamos divulgar, ajudar, ensinar, tratar e reconstruir o mundo, porque não é meu nem teu, é nosso e Deus escolheu-nos a todos.

O Avatar Sathya disse: “Mãos que ajudam são mais santas que lábios que oram”.

Começa o dia com Amor, preenche-o com Amor, e termina-o com Amor, porque esse é o caminho para Deus.

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 00:25
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Assédio Espiritual

POR :: Osvaldo Shimoda ::

"No que diz respeito ao problema das obsessões espirituais, o paciente é, também, o agente da própria cura".

(Grilhões Partidos, Manoel Philomeno de Miranda)

Para a maioria das pessoas, o assédio espiritual, como enfermidade da alma, é algo bastante longínquo, distante de sua realidade. Mas, por quê?

Porque o assédio espiritual costuma ser tão subtil a ponto de não ser percebido pelo assediado. Aproveitando-se de seu estado de invisibilidade, o ser obsessor desencarnado (desafecto do paciente, hoje seu algoz, na verdade, foi vítima do paciente no passado, pois foi prejudicado por ele) é movido a ódio e desejo de vingança, e se utiliza de todos os recursos possíveis e inimagináveis aos olhos de um encarnado para prejudicá-lo, tirando até mesmo a vida do paciente.

Portanto, o assédio espiritual ocasiona sérios danos psíquicos, espirituais e orgânicos ao assediado. Surgem, assim, distúrbios variados, difíceis de serem diagnosticados com precisão pelos médicos e que se reflectem no corpo físico, evoluindo com febres, inflamações, dores e outros sintomas físicos, confundindo o raciocínio do clínico e, com isso, dificultando um tratamento eficaz.

O assédio espiritual pode ainda levar à o paciente à loucura (esquizofrenia), epilepsia, vícios em geral, ou mesmo ao suicídio. Sem dúvida alguma, o assédio espiritual, como enfermidade da alma, é um dos grandes flagelos da humanidade e vem de longa data.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 00:55
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009

Reiki, quais os benefícios?

Essa é uma pergunta interessante que está na mente de muitas pessoas, mas como não sei se a pergunta se refere aos benefícios de receber Reiki ou de se iniciar no Reiki, vou responder a ambas.

Antes de mais devo dizer isto. Qualquer pessoa que pretenda receber uma sessão de Reiki, tem de o dizer na sua plenitude sendo essa a sua vontade interior e não apenas da boca para fora, pois assim a pessoa não se irá entregar de corpo e alma ao trabalho holístico que lhe vai ser feito, pois irá reprimir sentimentos e sensações que o levam a obter uma ideia errada acerca da sessão que lhe foi feita.

Uma sessão de Reiki permite-lhe um relaxamento profundo, desbloquear os chakras removendo bloqueios, desintoxica os organismo dos parasitas criados pelo mesmo (o que vulgarmente e medicamente se chama de desparazitação), remove o stress, complementa todos os tratamentos médicos (na quínio e rádio terapia elimina até 35% dos enjoos e náuseas provocadas pelo tratamento), combate traumas, fobias, tumores e é recomendado a grávidas. Podemos resumir tudo isto no Equilíbrio do Ser.

Entrar no universo Reikiano, através de um curso de iniciação ao Reiki é algo maravilhoso porque além de todos os benefícios anteriormente citados relativamente à sessão, permite-nos um melhor controlo mental e dá-nos uma visão diferente sobre a vida e todos os seres vivos do reino animal, mineral e vegetal. Há todo um trabalho de desenvolvimento interior pelo qual vamos passar, o qual defino como “O processo de purificação interior” que tem uma duração de 21 ininterruptos logo após o dia de aprendizagem, iniciação ou sintonização. Observar o quão útil pode ser para com o seu semelhante é algo que nos dá uma enorme alegria interior que nos pode levar a planos mais subtis onde parece que estamos em solo lunar, a viver o nosso dia-a-dia com mais leveza e paz interior. É maravilhoso estar-mos no café e ao observar-mos alguém que se sente bem mas há dias estava mal e que nós ajudamos, isso desperta dentro de nós sensações muito agradáveis que nos fazem sentir bem, realizados e úteis para com o nosso semelhante.

NOTA: As sessões de Reiki são sempre diferentes, quer sejam feitas com a mesma pessoa e mais ainda quando são realizadas com pessoas diferentes. Entrar no universo do Reiki é um importante marco na sua vida, por isso escolha bem o seu mestre e antes verifique a sua afinidade energética com o mesmo.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:05
Link | Comentar | favorito
Domingo, 28 de Junho de 2009

Mestre Takata disse…

O Mestre Usui teve a sua experiência no campo dos mendigos. Quando estava caído na lama, o corpo num buraco, foi quando o seu pensamento fluiu. “Ah, cometi um grande erro! Todas as igrejas estavam certas – primeiro o espírito. Aqui, eu não preguei o lado espiritual. Estava tão interessado em curar o corpo que pensei que a melhor coisa seria curar o corpo e ajudá-los a sentir-se suficientemente bem para poderem apreciar esse bem-estar, e depois irem, então, para o mundo como pessoas normais.” Mas ele falhou. E nessa altura nasceram os cinco ideais [5 princípios]. E nestes ideais, onde falharam os mendigos? Os mendigos não têm o sentido da gratidão. Por isso, ele disse: “Vou tratar. Mas acabaram-se os tratamentos gratuitos! Nada de Reiki, Reiki, Reiki, ou aulas, porque nunca hão-de aprender a apreciar.” E isto é inteiramente verdade. Naquele momento, o Mestre Usui estava tão feliz porque o podia fazer. “Assim, acabou-se o Reiki gratuito. Tudo tem de estar bem lá no cimo, para que possamos ter uma boa mente e corpo para tornar o ser humano um todo outra vez. “

E isto é verdade. Em 1936, quando regressei do Japão, o Mestre Hayashi avisou-me: “Quando te tornares um Mestre, nunca o faças gratuitamente, porque não lhe darão valor, porque foi gratuito. Se não tem pagamento, não tem valor.” Mais uma vez, perguntei ao meu professor: “Mestre Hayashi, consente que faça uma só classe gratuitamente? Uma classe para todas as pessoas que me ajudaram ao longo deste ano de tristeza e sofrimento? Gostaria de lhes dar uma aula de Reiki de graça para que pudessem beneficiar.” E o Mestre Hayashi respondeu: “Agora que estás bem, podes mostrar-lhe a tua gratidão através de tratamento, quando precisarem, mas não para lhes dares uma aula para depois usarem esses ensinamentos e te beneficiares. Isso nunca será aceitável.”

Com este esclarecimento, disse para mim: “Bom, tenho de tentar.” As primeiras pessoas a quem dei aulas de graça foram os meus melhores amigos e familiares. Eram meus cunhados. Todos os meus cunhados tiveram aulas gratuitas, depois foram os meus vizinhos, também gratuitamente. Depois vieram as minhas duas irmãs. Pedi-lhes: “Esperem, esperem. Ainda não vos vou ensinar.” As minhas irmãs ficaram um pouco chateadas e disseram: “Os vizinhos e os nossos cunhados disseram que lhes ensinaste uma coisa maravilhosa.” E eu respondi: “Primeiro, tenho de ver se são bem-sucedidos.

Neste momento, tenho de vos dizer que não.” E esperei. Certo dia, estava a estender a roupa, quando um vizinho se aproximou, dizendo: “Hoje, a minha filha não foi à escola, porque tem uma dor no estômago. E trouxe-a, para a ver.” Respondi-lhe: “Por que não lhe deu o tratamento? Por que o ensinei? Por que não tenta? Você nem sequer tentou!” O vizinho replicou: “Não o vou fazer. Por que haveria? Você é que é a terapeuta e vive mesmo aqui ao lado. É mais fácil trazer-lhe a minha filha do que ser eu a fazer-lhe o tratamento, porque assim eu sei que ela vai ficar bem.” Esta foi a minha primeira decepção. Do outro lado da vila, outro vizinho disse: “O nariz da minha filha está ranhoso e a professora mandou-a para casa, porque é contagioso, deve ser gripe. Por isso, trouxe-lhe a minha filha, quero que a trate.” Perguntei: “Mas eu não lhe ensinei como se faz?” E ela respondeu: “Sim, mas por que haveria de o fazer, se tenho um carro e posso vir a correr ter consigo? Você é que é a terapeuta, e se for você a tratá-la eu tenho a certeza de que ela vai ficar bem.” E então perguntei-lhe: “Alguma vez chegou a tentar fazer o que ensinei?” Respondeu-me que não: “Por que haveria?” Estão a ver? Nenhuma gratidão! E, acreditem ou não, escondi-me em casa e fartei-me de chorar.

Olhei em volta, para o meu país, fiz uma vénia ao Mestre Hayashi e também à campa do Mestre Usui. Disse para mim: “Perdoem-me por ter errado. Não ajudei ninguém porque não o aceitaram com gratidão e espiritualidade, pois não tiveram que gastar um tostão.” Concluí: “É muito triste, mas vou passar a recusá-los doravante, para os fazer usar o que lhes ensinei.”

Três meses depois, as minhas irmãs voltaram e perguntaram: “Agora já tens tempo para nos ensinar?” Eu disse: “Sim. Mas têm a certeza de que querem aprender Reiki?” Responderam que sim: “Ouvimos falar muitas coisas boas sobre ti, mas porquê isso, os nossos cunhados sabem Reiki mas não os teus familiares de sangue?” “Porque é preciso pagar.” Exclamaram: “Ah, é preciso pagar! Quanto é?” “Trezentos dólares.” Respondeu: “Agora não tenho essa quantia. Tenho de ir falar primeiro com o meu marido.” Eu disse: “Muito bem. Não tens de me pagar tudo de uma vez, pode ser a prestações.

Eu não irei à tua casa buscar o dinheiro. Terás de ser tu a trazê-lo à minha casa nas datas combinadas.”

A minha irmã não ficou lá muito contente. Foi para casa, falou com o marido, e contou o que ele lhe disse: “Perguntaste à tua irmã se podias aprender Reiki com ela?” Ela respondeu-lhe que sim. “Bem, se lhe perguntaste se podias aprender com ela, então tens de pagar. Propões-lhe pagar em prestações. E se é para tu lhe ires levar o dinheiro lá a casa nas datas combinadas, assim o farás, é o que está certo. Está correcto, está tudo correcto. É melhor fazê-lo, é esta a minha opinião.” Foi isto que o marido lhe disse. Como ele concordou, a minha irmã voltou e disse-me: “Sim, vamos pagar-te em prestações de 25 dólares por mês.” Respondi-lhe: “Sim, assim está bem. Agora, vai. É tudo.” E assim ambas as minhas irmãs compreenderam, e pagaram-me em prestações. Não me senti lá muito bem com esta situação, mas era o princípio que devia seguir. E quando sucedeu uma das filhas da minha irmã ter asma, usou os ensinamentos, porque tinha pago bem para os receber. “Não a podia levar ao médico. Sabes, irmã, funcionou! Estou muito feliz, aprendi e funcionou! Agora ela vai voltar a dormir bem.” E eu disse: “Aprendeste a lição?” “Sim. Vim cá para pedir desculpa por não ter ficado muito satisfeita na altura e por me sentir tão radiante agora que experienciei os ensinamentos. Já compreendo por que me cobraste. Eu sei. Querias que fosse uma boa praticante. Agora, já não tenho despesas com o médico, não tenho de ir a correr para o hospital sempre que tem uma constipação ou um ataque de asma ou bronquite ou dores de barriga. Eu tenho três filhos. Agora compreendo porquê, e aqui, hoje, faço-te uma profunda vénia e agradeço-te e sou-te muito grata. Vou fazer bom uso deste ensinamento.” E assim o fez.

©Copyright versão portuguesa - Monte Kurama – Associação Portuguesa de Reiki

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 19:00
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 17 de Junho de 2009

Reiki nos Hospitais

Hospital ou Centro de Saúde são locais onde todos nós já fomos de variadas formas (para trabalhar, para nos tratarem, para visitar um amigo, etc…). Em Portugal é público a prática de Reiki num Hospital no Porto, conforme uma reportagem emitida pelo canal televisivo SIC, há cerca de um mês e meio. É sem dúvida um enorme beneficio para os utentes daquela unidade hospitalar. De facto Médicos e Terapeutas trabalharem em conjunto é uma enorme mais valia para toda a comunidade, pois ambos têm a sua importância uma vez que uns tratam umas coisas e outros tratam outras, e trabalhando conjuntamente o beneficio de que o paciente usufrui, chega a ser superior à soma dos benefícios individuais (médico+terapeuta). Isto reflecte-se numa melhor “doença”, uma vez que a aplicação de Reiki potencia os efeitos benéficos da medicação, elimina ou atenua os efeitos secundários da mesma bem como de tratamentos de quimioterapia e radioterapia, permite uma harmonização energética corporal, equilibra os estados emocionais e mentalmente permite um melhor controlo do pensamento (muitas vezes vêem à memória pensamentos alheios). Por estas e outras razões mais, ter sessões de Reiki nos Hospitais é sem dúvida um enorme benefício para os pacientes a utilização conjugada da medicina convencional com uma terapêutica oriental.

Neste âmbito e para a Associação Portuguesa de ReikiMonte Kurama”, estou a desenvolver um trabalho sobre os “Efeitos do Reiki em Centro de Saúde ou Lares”. Tenho recolhido alguma informação sobre isso mas se algum leitor tiver conhecimento de algum caso que além da medicina convencional tenha também sido tratado através do Reiki, era de grande utilidade fazer-me chegar essa informação, para o bem-estar comum de todas pessoas, uma vez que essa informação depois de recolhida e devidamente tratada servirá para a elaboração de um projecto/estudo a apresentar às entidades governamentais do País, por forma a que esta maravilhosa terapia seja regulamentada e colocada à disposição de todas as pessoas, em prol do seu bem-estar e por conseguinte de aqueles que consigo coabitam. Apesar de estar envolvido neste projecto e sendo a sua coordenação da minha responsabilidade este não é um trabalho meu mas sim de todos os que nele participarem e para toda uma nação que necessita de algo que além de terapêuticamente lhes dê equilíbrio e harmonia, espiritualmente os auxilie a observar o mundo de forma diferente, mais humana e social.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 10:25
Link | Comentar | favorito
Sábado, 4 de Abril de 2009

Reiki nos doentes Oncológicos

Publicado por Viktor às 15:14
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Idosos ficam meses internados com ALTA à espera da familia

Dezenas de idosos vivem nos hospitais sem precisar de cuidados de saúde. As famílias alegam falta de condições para os receber e nos estabelecimentos públicos não há vagas. Em Lisboa, está uma senhora numa cama de hospital desde Julho

Numa ronda por alguns centros hospitalares do país, a agência Lusa encontrou mais de 30 histórias de utentes que permaneciam internados apesar de já terem tido alta clínica. Quando recuperaram, algumas famílias negaram-se a levá-los para casa, desligando telemóveis e dando moradas falsas para não serem contactadas.

A maioria, no entanto, mantém uma ligação, visita o paciente e preocupa-se, mas não tem condições em casa para tomar conta do familiar. «Os idosos são como os meninos dos infantários, precisam de cuidados permanentes», lembrou Ana Paula Gonçalves, presidente do Conselho de Administração do Hospital de Faro. Resultado: «O drama das famílias é enorme».

«Havia uma senhora que nos pedia que ficássemos com o pai dela. Ela gostava dele, vinha vê-lo todos os dias, mas não tinha condições para o ter em casa. Ele acabou por falecer aqui, no hospital», recordou.

Mesmo quando alertados para o perigo das infecções hospitalares, «os filhos continuam a pedir para que os pais fiquem nos hospitais», lembrou Ana Almeida, responsável pelo serviço social do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, onde estão referenciados «seis ou sete casos». A justificação dada pelas famílias é invariavelmente a falta de condições financeiras e de tempo.

Para estas, a única solução que encontram é arranjar vaga na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), uma estrutura lançada em 2006 para prestar «cuidados de saúde e apoio social» a «pessoas em situação de dependência», como define a legislação.

«A Rede fez com que as famílias deixassem de querer levar as pessoas para casa. Antes, como não tinham esta expectativa, acabavam por levá-los, agora dizem que não têm condições», lamentou Manuel Delgado, presidente do Conselho de Administração do Hospital Curry Cabral.

A presidente do Conselho de Administração do Hospital de Faro resume a situação em poucas palavras: «Acordámos tarde para o problema e agora estamos a passar um mau bocado».

Ana Paula Gonçalves acredita que «a Rede de Cuidados Continuados vai dar resposta», apesar de «ainda só existem três mil camas num país que identificou serem precisas 19 mil».

Só do Curry Cabral são encaminhados anualmente para a RNCCI cerca de 500 doentes, disse Manuel Delgado, explicando que a falta de resposta obriga a «ficar internado no hospital mais tempo».

A demora para conseguir uma vaga varia consoante os casos. Manuel Delgado garante serem apenas «30 a 60 dias», mas Ana Almeida fala em «quatro a cinco meses»: «Temos uma senhora que está cá desde Julho e só deverá ter resposta em Janeiro», exemplifica.

As assistentes sociais usam muitas vezes a RNCCI como «arma» para negociar, garantindo às famílias que a estadia em casa é temporária. No entanto, «muitos não os levam porque desconfiam destas palavra, sublinhou Manuel Delgado.

No extremo estão as famílias que dependem da «magra reforma» do idoso internado. «Sem apoios, sabem que ao levá-lo para casa vão precisar de apoio domiciliário, alimentação, medicamentos, fraldas e, por isso, não o abandonam, mas fazem grande resistência a levá-lo», referiu Ana Almeida.

Manuel Delgado garantiu, no entanto, que este não é um problema exclusivo dos desfavorecidos: «Na classe média também acontece. Não é só por falta de recursos financeiros que se recusam a ficar com o familiar idoso. São pessoas mais egoístas, menos solidárias».

As assistentes sociais «lutam diariamente» contra estas situações. «Há momentos em que desesperamos. Há quatro anos vasculhei tudo porque achava que tinha que haver alguma legislação que obrigasse estas famílias a serem responsáveis», recordou Ana Almeida.

A legislação não obriga a nada [?] e «as assistentes sociais ainda não fazem milagres», ironizou Manuel Delgado, lembrando o caso ainda mais grave dos idosos que vivem sós e não têm alternativa aos serviços públicos. Porque nos hospitais, garante o responsável, «ninguém põe os doentes na ru.

Numa ronda pelos hospitais, a Lusa descobriu 17 idosos com alta a viver no Centro Hospitalar de Lisboa Central e outros cinco no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio. Nos hospitais de São João (Porto), Faro e Garcia de Orta (Almada) os responsáveis não avançaram números, mas confirmaram a existência de casos semelhantes.

Lusa/SOL

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 08:55
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

Pós parto, as dificuldades da Criança…

O processo do lento despertar para o mundo físico continua após o nascimento. O bebé dorme frequentemente durante esse tempo; a alma enche o seu corpo da energia mais elevada. Deixa os corpos físico e etéreo desimpedindo-os e permite que eles se ocupem com o trabalho da construção do corpo.

Nas primeiras fases da vida, à criança incumbe acostumar-se às limitações da sensação física e ao mundo tridimensional. Há muitos recém-nascidos que lutam neste processo. Tendo ainda alguma percepção do mundo espiritual, forçam por se descartar dos parceiros espirituais e das figuras dos pais e por transferir as afeições para os novos pais. Os recém-nascidos que vejo possuem o chakra da coroa bem aberto). Lutam por caber, espremendo-se, nas limitações de um corpinho de bebé. Travam uma luta enorme para abrir o chakra da raiz inferior e estabelecer conexão com a terra.

Exemplo disso foi o caso de um menino nascido um mês depois do que se esperava. Após um nascimento muito rápido, foi incomodado por um estado febril. Os médicos realizaram uma sangria espinhal para verificar se não se tratava de cefalite. Administrou-se a sangria espinhal na região do chakra sacro. A criança lutava para desfazer-se de dois companheiros de brincadeiras e de uma mulher espiritual que tão pouco o queria soltar. Na luta, ele abria-se e estabelecia conexão com a terra todas as vezes que o seu guia estava presente. Em seguida, perdia o contacto com o guia, avistava os companheiros e a mulher, e lutava vigorosamente entre os dois mundos. Nessas ocasiões, sentia maior afinidade com a mulher espiritual do que com a própria mãe física. Na luta para não encarnar, deitava energia fora pelo chakra sacro e para a direita, a fim de evitar o crescimento de raízes directamente através do chakra básico (primeiro chakra). Conseguia fazê-lo, em parte, à conta do buraco áurico deixado pela sangria espinhal. Depois de um momento de luta, voltava a estabelecer conexão com o guia e se acalmava, abria a raiz e recomeçava o processo de entrada.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:05
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

O Reiki na Actualidade

Caros leitores, amigos e visitantes deste espaço,

Sendo o Reiki uma terapia alternativa milenar, continua ainda hoje a ter uma utilidade muito prática e bastante benéfica para todos os que têm oportunidade de o usufruir. Ele pode ser usado em lares, hotéis, spa’s, ginásios, clínicas, pediatrias, serviços sociais, associações, centros de dia, hospitais e outros locais onde se possam proporcionar o bem-estar dos utentes. O Reiki como terapia holística complementar que é, pode ser administrada conjuntamente com uma terapia convencional, bem como terapia preventiva.

Como terapia holística complementar, o Reiki além do bem-estar que proporciona, atenua ou elimina os efeitos secundários dos medicamentos e potencia os efeitos positivos dos mesmos.

Como terapia preventiva proporciona bem-estar em quatro níveis (físico, emocional, mental e espiritual), harmoniza as energias do organismo, reforça o sistema imunitário, elimina bloqueios, desintoxica o organismo e remove o stress.

Felizmente há já hoje, pelo menos num hospital (Hospital de S. Marcos em Braga) que foi galardoando com uma nova acreditação pelo Instituto da Qualidade da Saúde (HQS), entidade inglesa acreditante. O Hospital está a levar a cabo um projecto inovador, dirigido especialmente às grávidas, onde as futuras mães podem usufruir de uma série de serviços ou tratamentos. Neste projecto de preparação para a maternidade, as grávidas podem fazer preparação para o parto, e, principalmente, colocar em prática exercícios de relaxamento, nomeadamente meditação e Reiki.

“Todos sabemos que é muito importante a grávida estar preparada para a maternidade, estar relaxada e saber com o que vai contar quando entrar no Serviço de Obstetrícia para ter o seu filho” referiu  Amélia Silva, Enfermeira-Chefe do Bloco de Partos do Hospital, que participou nas IV Jornadas de Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia, subordinadas ao tema ‘Maternidade - Um Desafio...’.

Aqui mesmo ao lado deste país à beira mar plantado, em Madrid, mais propriamente nos Hospitais “El Ramón y Cajal” e “12 de Outubro”, o Reiki está já a ser utilizado por médicos e enfermeiras em doentes oncológicos e terminais. Devido aos bons resultados provocados por esta terapia, a direcção hospitalar está a realizar estudos para revestir o Reiki de carácter científico.

Parece que aos poucos o nosso país está a despertar para este facto. Vamos esperar que assim seja, para o bem de todos nós e do desenvolvimento do ser humano, na busca do seu bem-estar e do seu auto-conhecimento.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 01:11
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Terapia de REIKI ou Químicos?

Caros leitores,

Na noite passada foi tornado público, através dos canais televisivos, o aumento significativo das vendas de antidepressivos, relaxantes e ansiolíticos, sendo o mesmo confirmado pelas entidades farmacêuticas, por alguns médicos e até mesmo por cidadãos entrevistados na via pública. Ao ver as referidas notícias fiquei preocupado pelo que está a acontecer, o que significa que o bem-estar dos cidadãos não anda nada bem, e isso levou-me a escrever as palavras que se seguem.

Numa sessão de Reiki, ao paciente é aplicado um tratamento a quatro níveis: físico, emocional, mental e espiritual. Num ambiente relaxante, energeticamente harmonizado, espiritualmente elevado, com uma música celestial e pensamentos elevados apelando ao amor incondicional, permitem que através do terapeuta sejam canalizadas energias e fluidos cósmicos para o bem estar supremo do paciente. Assim possibilita que se aplique aquela muito conhecida máxima grega: mente sã, corpo são. Todo o nosso organismo funciona através de energias, bem como todos os seres vivos do universo, e assim sendo, um bom equilíbrio energético nos chakras principais, nádis e meridianos permite que se atinjam os quatro níveis já citados de bem-estar, permitindo que o paciente fique num estado relaxamento tal, como há muito não sentia.

Assim sendo, uma maior adesão a este tipo de terapias, contribuía para uma diminuição significativa do consumo desse tipo de medicamentos, e contribuindo ainda para que alguns cidadãos que se tornaram dependentes dos mesmos, deixem essa dependência que o próprio organismo cria com a ingestão continuada dos mesmos por longos períodos de tempo.

Será que se vai continuar a tomar químicos em detrimento das terapias alternativas? O que acham?

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 01:29
Link | Comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008

Missão: proporcionar qualidade de vida ao doente com patologia mamária

Dr.ª Verónica Albuquerque Rufino

A Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama (APAMCM) nasceu em Abril de 1998 e tornou-se uma IPSS em 1999. Criada por um grupo pluriprofissional, tem como missão proporcionar uma melhor qualidade de vida ao doente com patologia mamária.

Para que esta missão seja cumprida, o atendimento personalizado e as várias acções promovidas são fundamentais. Contamos com 50 profissionais voluntários de diversas áreas de intervenção: assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros, médicos, fisioterapeutas e advogados. Promovemos, ainda, outras acções que completam todo o apoio terapêutico – o Reiki, a pintura, a biodanza e as actividades lúdicas – artesanato, aulas de inglês e francês e mushing.

Outro objectivo primordial desta Instituição é promover a formação/informação, organizando seminários, cursos, acções de sensibilização e palestras direccionados aos técnicos de saúde e à própria comunidade.

É na partilha dos conhecimentos que assenta a verdadeira equidade. Vivemos numa sociedade em que todos dependemos uns dos outros e do trabalho de todos. Apresentando os indivíduos com cancro da mama necessidades multidimensionais, tornam premente uma abordagem multidisciplinar e holística.

Ora, talvez por estar ligada à problemática, exercendo as funções de fisioterapeuta há mais de 20 anos, fez-se sentir a necessidade de criar uma associação deste género.

A fisioterapia é uma área importante de intervenção em oncologia.

A própria natureza do trabalho do fisioterapeuta requer uma invasão constante do espaço pessoal do indivíduo, pois existe a necessidade de tocá-lo onde ele está relutante em se tocar. Este aspecto precioso do tratamento providencia um veículo para os doentes verbalizarem os seus medos, colocarem questões e expressarem as suas ansiedades.

Esta panóplia de informação cimentou a premência de uma associação diferenciada.

O impacto desta associação na sociedade é muito positivo, quer nas mulheres com cancro da mama, quer nos familiares e amigos que acompanham esse drama, e um dos exemplos é os ateliers que privilegiam momentos de lazer, onde a criatividade e a descontracção andam de mãos dadas...

As aulas de desenho e pintura surgiram na APAMCM em resposta à necessidade ocupacional sentida pelos elementos fundadores e pelas doentes.

É um espaço entre outros que funcionam na Associação, tais como as aulas de Biodanza, de Inglês ou as sessões de Reiki, em que os ou as participantes se sentem pessoas activas e em desenvolvimento através de exercícios físicos e mentais.

Esta participação exige do indivíduo um empenhamento completo, distanciando-o assim dos problemas de saúde, que o afligiram tanto tempo. Aqui o tempo é de evasão, quer através da chamada de atenção para a realidade que nos envolve, nomeadamente a natureza e as suas mutações constantes, ou os seres vivos que nos rodeiam e nos acarinham, de sentirem a nossa receptividade e disponibilidade.

A abertura de horizontes é um dos objectivos a atingir neste grupo: nem tudo se passa no espaço da APAMCM. Há uma passagem de informação e ideias cujo emissor não é apenas a professora ou os elementos directivos, mas também os diferentes elementos que formam o grupo.

Assim, os grupos de trabalho funcionam activamente a nível de informação, técnica e cultural. Visitamos exposições, fazemos pesquisa em casa ou no trabalho, recolhemos elementos que nos pareçam importantes, quer para a realização de trabalhos pessoais, quer para o desenvolvimento de trabalhos de grupo ou de outros colegas.

Esta inter ajuda desenvolve o grupo de maneira a que se estabeleçam elos de amizade, de forma a que a aprendizagem seja estimulada e o sentido de vida em sociedade reforçado. Os trabalhos e as aprendizagens são feitos de forma coerente, para que o indivíduo adquira uma linguagem visual capaz de o fazer comunicar através da imagem, com o seu semelhante.

Mas não só: enquanto realizador/agente de uma obra, as suas tensões são descarregadas/drenadas para o papel, ou qualquer outro suporte pictórico. O exercício da escolha de cores, técnicas e matérias, assim como o contacto manual com esses elementos, traz-nos uma sensação tal que nos esquecemos de tudo o resto. O resultado final destes trabalhos é deveras gratificante e é do agrado geral, para além do próprio autor se sentir grato pelo prazer do resultado obtido.

Link: http://medicosdeportugal.saude.sapo.pt/action/2/cnt_id/114/

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:24
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 3 de Julho de 2008

As Sete Camadas e os Sete Chakras do Campo Áureo

C

ada camada parece diferente das outras e exerce sua função particular. Cada camada da aura está associada a um chakra, a saber: a primeira camada associa-se ao primeiro chakra, a segunda ao segundo chakra, e assim por diante. Estes conceitos, gerais, tornar-se-ão muito mais complicados à proporção que nos aprofundarmos no assunto. Limitar-nos-emos, por ora, a enumerá-los para dar a conhecer uma visão global. A primeira camada do campo e o primeiro chakra que está ligado ao funcionamento físico e à sensação física a sensação da dor ou do prazer físico. A primeira camada está ligada ao funcionamento automático e autónomo do corpo. A segunda camada e o segundo chakra, em geral, associam-se ao aspecto emocional dos seres humanos. São os veículos através dos quais temos nossa vida emocional e nossos sentimentos. A terceira camada liga-se à nossa vida mental, à reflexão linear. O terceiro chakra está unido à reflexão linear. O quarto nível, associado ao chakra do coração, é o veículo através do qual amamos, não somente os companheiros, mas também a humanidade em geral. O quarto chakra é o chakra que metaboliza a energia do amor. O quinto é o nível associado a uma vontade mais alta, mais ligada à vontade Divina. O quinto chakra associa-se ao poder da palavra, criando coisas pela palavra, prestando atenção e assumindo responsabilidade pelos nossos actos. O sexto nível e o sexto chakra estão vinculados ao amor celestial, um amor que se estende além do âmbito humano do amor e abrange toda a vida. Proclama o zelo e o apoio da protecção e do nutrimento de toda a vida. Considera todas as formas de vida preciosas manifestações de Deus. A sétima camada e o sétimo chakra estão vinculados à mente mais elevada, ao saber e à integração da nossa constituição espiritual e física.

Existem, por conseguinte, localizações específicas, no interior do nosso sistema energético, para as sensações, as emoções, os pensamentos, as lembranças e para outras experiências não físicas que costumamos confiar aos nossos médicos e terapeutas. Se compreendermos o modo com que nossos sintomas físicos se relacionam com essas localizações, ser-nos-á mais fácil compreender a natureza das diferentes enfermidades e também a natureza da saúde e da doença. Dessa forma, o estudo da aura pode ser uma ponte entre a medicina tradicional e nossas preocupações psicológicas actuais.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:22
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. A Verdade por vezes desfi...

. Reflexão... Saúde...

. Nos dias de Hoje...

. Eu… Vocês… País… Planeta…...

. Assédio Espiritual

. Reiki, quais os benefício...

. Mestre Takata disse…

. Reiki nos Hospitais

. Reiki nos doentes Oncológ...

. Idosos ficam meses intern...

. Pós parto, as dificuldade...

. O Reiki na Actualidade

. Terapia de REIKI ou Quími...

. Missão: proporcionar qual...

. As Sete Camadas e os Sete...

. Reiki segundo o Espiritis...

. REIKI nos Hospitais Públi...

. REIKI: A ajuda divina

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007