Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Amizade

Caros Irmãos,

         Neste planeta encontramos as mais variadas pessoas dos mais variados feitios, cores e crenças. Em geral, no universo de pessoas que conhecemos, o Ser humano tem uma tendência de as conotar das mais variadas formas, tal como: familiar, esposa/o, namorado/a, colega, conhecido, conhecido de vista, amigo da onça, amigo colorido, desconhecido, figura pública e amigo. Ao longo da minha vida já passaram na minha vida todo este tipo de pessoas e não me sinto mal por tal, pois cada um à sua maneira deu o seu contributo para o meu caminho de aprendizagem, independentemente dessa contribuição ser mais ou menos positiva, há sempre algo de bom que aprendemos e nos faz amadurecer. Assim, em verdade lhes digo que para mim existem dois tipos de pessoas, que se dividem da seguinte forma: 1º - Aquelas com as quais sinto afinidade e empatia; 2º - Aquelas com as quais sentimos antipatia energética.

         As que se referem à segunda forma (antipatia energética), englobam-se aquelas pessoas que, quer nos dirijam ou não a palavra, provocam em nós um sentimento de um certo mal-estar ou até mesmo uma antipatia. Esse tipo de sentimento é um indicador de que está perante um Ser com o qual tem uma certa ligação kármica, que poderá ou não tratar nesta vida. Como o não tratamento implica um bloqueio no seu caminho de ascensão, deixando-o assim “amarrado” à vida da 3ª dimensão e da dualidade, é recomendável tratarmos de remover esse bloqueio em tempo oportuno, pois este tipo de situações podem-se repercutir num conjunto de sucessivas reencarnações.

         Aqueles pelos quais sinto afinidade, nutro por eles uma amizade. Amizade é um bonito e nobre sentimento que se nutre por outra pessoa com o intuído de lhe transmitir o nosso Amor Incondicional. São aquelas pessoas que tratamos da mesma forma que gostamos que nos tratem a nós, sem qualquer tipo de interesses próprios com o intuito de ludibriar a pessoa em causa em prol de um qualquer objectivo pessoal. Estes/as são os verdadeiros amigos, pois são aqueles que sem dó nem piedade, nos mostram a realidade dos nossos defeitos, nos dizem na cara as coisas que “custam” a ouvir (verdades), são aqueles que estão connosco nos bons momentos e que nunca nos abandonam quando estamos mal, dando o seu contributo para a nossa recuperação. Estes muitas vezes têm sido nossos companheiros de jornada, desde imemoráveis tempos da nossa existência, no caminho da nossa eternidade e imortalidade, como seres divinos e angélicos que somos (apesar de alguns teimarem em andar mascarados de demo, mas lá no fundo têm também uma essência divina). Vamos aceitar e perdoar mesmo aqueles que nos querem mal, emanando o nosso Amor Incondicional para com Eles e então assim podemos abrir as nossas assas de Anjos.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: M80
Publicado por Viktor às 11:46
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 24 de Março de 2010

Dez Passos para se AMAR

1 - Parem com toda a crítica

- A crítica nunca muda coisa alguma. Recusem criticar-se.

Aceitem-se exactamente como vocês são. Todos mudam.

Quando vocês se criticam, suas mudanças são negativas.

Quando se aprovam, suas mudanças são positivas.

2 - Não se alarmem

- Parem de se aterrorizar com seus pensamentos.

Encontrem uma imagem mental que lhes dê prazer e imediatamente desviem os seus pensamentos para algo agradável.

3 - Sejam gentis, bondosos e pacientes  

Tratem-se com paciência, gentileza e bondade.

Tratem-se como fariam com alguém a quem amassem.

4 - Sejam gentis com sua mente

Odiar-se é somente odiar os seus próprios pensamentos.

Mudem gentilmente os seus pensamentos para pensamentos mais amorosos.

5 - Elogiem-se

A autocrítica deprime o espírito interior.

A exaltação o edifica.

Afirmem a vocês mesmos como é apropriado o que estão fazendo com tudo.

6 - Apoiem-se

Aproximem-se dos amigos e permitam com que eles os ajudem.

Ser forte é pedir por ajuda quando mais precisam.

7 - Sejam amorosos com seus pontos negativos

Reconheçam que os criaram para satisfazer uma necessidade.

Agora estão encontrando novas maneiras positivas de preencherem estas necessidades.

Liberem os velhos padrões.

8 - Cuidem do seu corpo

Aprendam sobre nutrição.

O que o seu corpo necessita para ter a energia e a vitalidade ideal?

Aprendam sobre exercícios.

Estimem o templo em que vocês vivem.

9 - Trabalho do Espelho

- Olhem dentro dos seus olhos frequentemente.

Expressem o sentido crescente do amor que sentem por vocês mesmos. Perdoem-se por tudo, enquanto se fitam no espelho.

Uma vez ao dia digam -

"Eu amo você" para vocês mesmos no espelho.

10- Façam-no Agora

- Não esperem até que vocês fiquem bem, percam peso ou recebam um novo emprego.

Comecem agora, façam o melhor que puderem.

Por Louise Hay

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 13:53
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

Vozes do Espírito

A Natureza é a minha Mãe.

O Universo é o meu Caminho.

A Eternidade é o meu Reino.

A Imortalidade é a minha Vida.

A Mente é o meu Lar.

O Coração é o meu Templo.

A Verdade é o meu Culto.

O Amor é a minha Lei.

A Forma em si é a minha Manifestação.

A Consciência é o meu Guia.

A Paz é o meu Abrigo.

A Experiência é a minha Escola.

O Obstáculo é a minha Lição.

A Dificuldade é o meu Estímulo.

A Alegria é o meu Cântico.

A Dor é o meu Aviso.

A Luz é a minha Realização.

O trabalho é a minha Bênção.

O Amigo é o meu Companheiro.

O Adversário é o meu Instrutor.

O Próximo é o meu Irmão.

A Luta é a minha Oportunidade.

O Passado é a minha Advertência.

O Presente é a minha Realidade.

O Futuro é a minha Promessa.

O Equilíbrio é a minha Atitude.

A Ordem é a minha Senha.

A Beleza é o meu Ideal.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 11:47
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

O paradigma biomédico vs holístico da saúde

Caros leitores, amigos, senhoras e senhores,

Entre o paradigma biomédico e holístico da saúde há grandes diferenças na forma de ver, observar e abordar o mesmo problema do paciente, decorrente de uma determinada sintomatologia.

Enquanto o biomédico faz o tratamento dos sintomas, o holístico procura os padrões e causas para tratamento dos sintomas.

O biomédico aplica um tratamento especializado enquanto que o holístico aplica um integrado, preocupando-se com o paciente como um todo.

O biomédico observa a doença como uma deficiência e o holístico vê-a como um processo.

O biomédico tem como objectivo a eliminação dos sintomas da doença enquanto que o holístico, trabalha no todo com vista à obtenção do bem-estar máximo “meta ->saúde”.

Para o biomédico o paciente é dependente, mas para o holístico o paciente é autónomo.

O profissional biomédico actua como sendo uma autoridade enquanto que, o holístico utiliza o doente como um parceiro terapêutico.

Estas são, quanto a mim, as diferenças que de uma forma mais sucinta reflectem a distância entre o paradigma biomédico e holístico. Ainda podia falar de mais diferenças, mas penso que por agora vou ficar por aqui.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 02:02
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008

Entrevista a um Arquitecto Reikiano e sua mãe

Publicado por Viktor às 11:25
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

Reiki no Universo de Deus

Ele, o todo poderoso está em todo o lado sempre presente e enche-se de orgulho quando alguma ovelha do seu rebanho age em conformidade com a Lei da Providência. No Reiki isso define-se como “Amor Incondicional”, ou seja, estas duas palavras conjuntamente com os cinco princípios são o pilar e a base sobre o qual todo e qualquer reikiano se deve basear. O Reiki, para quem o abraça, não transmite somente a quem aprende mais uma terapia que se aprende, transmite um conhecimento de como encarar a vida de uma forma diferente, para quem segue os seus verdadeiros ensinamentos. Na minha humilde opinião o reikiano é todo aquele que se preocupa em divulgar esta terapia alternativa milenar em qualquer parte ou lugar, mesmo sendo por vezes incompreendido, e que está sempre pronto para ajudar o seu semelhante a ultrapassar situações desconfortáveis através de breves ou prolongadas sessões de Reiki. A humanidade, a natureza e o universo são uma imensidão de coisas belas que se movem constantemente através de campos energéticos. Os rios que correm incessantemente, as pétalas que flutuam na água como as nuvens no céu, as árvores florescem nas margens dando alegria e sombra para as crianças brincarem, as pedras formam cascatas que nos transmitem um som maravilhoso e harmónico, desaguando no mar imenso com aqueles maravilhosos corais onde as espécies vivem harmoniosamente. Estas são algumas das maravilhosas obras do Divino às quais o comum dos mortais muitas vezes não dá a devida importância. O amor, na sua mais pura essência, pode-se ver nos mais variados e banais actos do dia-a-dia, e aos quais ainda há quem não dê a devida importância. Assim sendo, e não me querendo alongar demasiado, deixo um conselho: Reparem nas pequenas coisas que se passam à vossa volta, nos simples gestos do dia-a-dia e verão que muitos deles são acompanhados de amor, carinho, humildade e simpatia. Sejam mais positivos e vão ver que a vida tem na realidade outro sentido.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Muito calor e muita energia...
Música: Enya - Caribean Blue
Publicado por Viktor às 09:10
Link | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 13 de Agosto de 2007

CENTROS DE CONSCIÊNCIA

Os chakras não são simples centros energéticos, mas também centros de consciência. A esse respeito, esclarece Anagarika Govinda: "Enquanto que, de acordo com as concepções ocidentais, o cérebro é a sede exclusiva da consciência, a experiência yogue mostra que nossa consciência cerebral é apenas "uma" entre muitas formas possíveis de consciência, e que esta, de acordo com suas funções e natureza, pode ser localizada ou centralizada em vários órgãos do corpo. Estes "órgãos" que coletam, transformam e distribuem as forças que fluem através deles são chamados de chakras ou centros de força. Deles irradiam correntes secundárias de força psíquica, comparáveis aos raios de uma roda, às varetas de um guarda-chuva, ou às pétalas de um lótus" (op. cit., p. 145).

Depois de destacar que os chakras são pontos nos quais as forças psíquicas do corpo se interpenetram, situando-se a sede da alma nos pontos em que o mundo exterior e interior se encontram, conclui: "Por isso, podemos dizer que cada centro psíquico nos quais nos tornamos cônscios desta penetração espiritual torna-se a sede da alma, e que pela ativação ou despertar das atividades dos vários centros nós espiritualizamos e transformamos nosso corpo" (idem p. 145/146).

Jung considera-os também centros de consciência: "uma espécie de graduação de consciência que vai desde a região do períneo até o topo da cabeça" (Fundamentos de Psicologia Analítica, Vozes, 1972, p. 26). Miguel Serrano registrou uma conversa tida com Jung sobre os chakras: "Os chakras, diz  Jung, são centros da consciência e Kundalini, a Serpente Ígnea, que dorme na base da coluna vertebral, é uma corrente emocional que une de baixo para cima e também de cima para baixo" (O Circulo Hermético - Hermann Hesse a C. G. Jung, Ed. Brasiliense, 1970, p. 71).
 
E reafirmou na conversação: "Os chakras são centros de consciência. Os inferiores são centros de consciência animal. Existem outros centros ainda abaixo do Muladhara" (p. 72).

Este ponto de vista também foi sustentado em um seminário (Hauers Seminar. Psychological comentary by C. G. Jung, Zurich, 1932, exemplar datilografado, Bíblíthéque de Jung - cit., por Pierre Weil, Mística do Sexo, E. Itatiaia, pp. 104/105 e 113). Jung observa que na história da humanidade, o centro da consciência sofreu variações e, ainda agora, existem  tribos, como dos Pueblos, que situam no coração o centro de consciência. (Fundamentos, pp. 06 e 07). Os ensinamentos esotéricos também indicam que as várias raças-mãe desenvolveram determinados centros preferentemente (Coquet, op. cit., pp. 35/37).

Jung (cit. por Pierre Weil, Mística do Sexo, pp 104/105), interpreta estes vários centros assinalando o grau de consciência de cada um deles:
Ø       Centro fundamental - mundo dos instintos - consciente.
Ø      Centro sacro - entrada no inconsciente - novo nascimento - batismo.
Ø       Centro umbilical – emoções – paixões - o inferno.
Ø       Centro cardíaco - começo do self – sentimento - pensamento e valores. Individuação.
Ø       Centro laríngeo - reconhecimento da independência da psique - pensamento abstrato – conceitos - produtos da imaginação.
Ø       Centro frontal - união do self no todo, não no ego.
Ø      Centro coronário - nirvana.

A referência aos chakras como centros de consciência permite-nos entender uma passagem de O Livro dos Espíritos, aparentemente defasada no tempo, mesmo na época de sua recepção.
 
No item 146, Allan Kardec registrou o ensinamento dos Espíritos sobre a sede da alma:

"146. A alma tem, no corpo, sede determinada e circunscrita?
- Não; porém, nos grandes gênios, em todos os que pensam muito, ela reside mais particularmente na cabeça, ao passo que ocupa principalmente o coração naqueles que muito sentem e cujas ações têm todas por objeto a humanidade.

a) Que se deve pensar da opinião dos que situam a alma num centro vital?
- Quer isso dizer que o Espírito habita de preferência essa parte do organismo, por ser aí o ponto de convergência de todas as sensações. Os que a situam no que consideram o centro da vitalidade, esses a confundem com o fluído ou princípio vital. Pode, todavia, dizer-se que a sede da alma se encontra especialmente nos órgãos que servem para as manifestações intelectuais e morais."
 
Naturalmente que, do ponto de vista físico, na época de Kardec já se considerava o cérebro como a sede do pensamento, pelo que não havia razão para referência ao coração, como sede da alma, nem à outra parte do organismo físico. A referência, portanto, era aos chakras localizados à altura do coração ou à altura do cérebro, com suas ligações correspondentes, centros de ligação preponderante da alma ao corpo físico.
 
Segundo André Luiz, as três regiões fundamentais no processo de liberação da alma (e conseqüentemente de ligação do perispírito ao corpo físico) são: "o centro vegetativo ligado ao ventre, como sede das manifestações fisiológicas; o centro emocional, zona dos sentimentos e desejos, sediado no tórax; e o centro mental, mais importante por excelência, situado no cérebro.” (Obreiros de Vida Eterna, FEB, 1956, p. 210). Isto significa que o perispírito está mais ligado a determinadas regiões.
 
Anota Alice Bailey que na humanidade comum o centro laríngeo está começando a despertar (Jung dizia que o europeu pensa pela garganta, Miguel Serrano, op. cit., p. 71), enquanto os centros cardíaco e coronário dormem. Mas, “no ser humano altamente evoluído, no líder da raça, o filósofo intuitivo e o cientista, assim como nos grandes santos, o centro coronário e o cardíaco começam a fazer sentir sua vibração; determina-se a prioridade do coronário e do cardíaco pelo tipo de pessoa e pela qualidade de consciência emocional e mental." (El alma y su mecanismo, Kier, B. Aires, 1967, pp. 110/1).
 
A observação coincide com o ensino constante do Item 146 de O Livro dos Espíritos.
Publicado por Viktor às 10:09
Link | Comentar | favorito
Quinta-feira, 3 de Maio de 2007

Mensagem do Dia...

Meu amigo;

       Conduzes teu filhinho ao pediatra, preservando-lhe a saúde corpórea.

       Sabes guiá-lo ao nutricionista, para que se alimente com segurança.

       Despendes louvável atenção para que lhe não falte o concurso do cabeleireiro e do alfaiate, a fim de que se apresente com esmero.

       Preocupas-te, como é justo, por situá-lo no convívio de professores distintos, no jardim da infância ou na escola primária, iluminando-lhe a inteligência.

       Contudo, a quem lhe conduzirás o coração para que aprenda a viver?

       Não te esqueças do Divino Mestre das Almas e auxi­lia o tenro companheiro de tua marcha a buscar em Jesus o Doador das Bênçãos Eternas. Ajuda-o a procurar no Cristo o cinzelador do caráter, para que o amor puro lhe presida a existência e para que a verdade lhe clareie o caminho.

       Neste livro, um amigo das crianças relaciona histó­rias que Jesus contou para que os pequeninos O encon­trem no santuário do coração.

       Lembra-te de que se hoje és o apoio da felicidade de teu filhinho, amanhã será ele o apoio de tua felicidade.

Colherás nele o que houveres plantado — a abnegação ou a indiferença, o trabalho ou a preguiça, a paz ou a discórdia, a confiança ou a leviandade.

Auxilia-o, pois, a sentir e a pensar com o Celeste Amigo e terás a inspiração do Senhor, assegurando-lhe abençoada luz ao porvir.

 

 

EMMANUEL

(Página recebida pelo médium FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER)

Estado de Espiríto: Bem disposto
Música: Enya
Publicado por Viktor às 09:04
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Amizade

. Dez Passos para se AMAR

. Vozes do Espírito

. O paradigma biomédico vs ...

. Entrevista a um Arquitect...

. Reiki no Universo de Deus

. CENTROS DE CONSCIÊNCIA

. Mensagem do Dia...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007