.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Sexta-feira, 2 de Março de 2012

Reflexão… pobreza…

 

Caros leitores,

     Neste planeta existem dois tipos de pessoas (homem e mulher) falando de forma simples e global, pois existem inúmeras formas ou maneiras de diferenciar as pessoas, através da raça, da cor, evolução humana, evolução espiritual, além das classes sociais (alta, média, baixa).

     Muitas pessoas dizem nos seus discursos determinadas palavras, tais como solidariedade, amor, compaixão, auxílio, combate entre outras, para apenas comporem tais dissertações. Mas será que estas pessoas sabem qual o significado de tais palavras? Será que as dizem apenas porque socialmente fica bem? Na minha modesta e humilde opinião, mais vale nada dizerem e concentrarem as suas palavras nos discursos políticos, partidários, governativos, ou de outro tipo qualquer. Veja-se por exemplo, no concurso de misses, quando lhe perguntam o que desejam para o mundo, todas acabam por dizer: “paz entre os seres e acabar com a fome no mundo”. Neste caso eu pergunto, depois de se tornarem “famosas” quantas passagens de modelos fazem, angariando fundos ou donativos para essas causas que disseram ser os seus desejos?

     Tanto a pobreza como a fome jamais será vencida apenas e só com as palavras bonitas ditas pelas mais variadas pessoas, pois nunca vi nenhuma pessoa encher a barriga apenas com as palavras de solidariedade. Eles necessitam daquilo que cada um de nós necessita, pois todos somos semelhantes na essência e diferentes na existência e como tal, Eles necessitam de alimentos e roupa para o corpo essencialmente. Contudo porém, a maioria dos Seres humanos continua a manter uma atitude de indiferença para com os mais carenciados e necessitados, manifestando apenas palavras de pesar (palavras que apenas escapam pelos lábios sem provirem do coração) pela situação em que se encontram os mais desfavorecidos. Até aqueles Seres que dizem ser mais espiritualizados muitas vezes dizem: “isso é karma”… enfim, por ventura algum de nós sabe se um dia não se irá encontrar numa situação dessas? Hoje Eles necessitam, quem lhe garante que amanhã não é Você? Porque é que o Ser humano teima em olhar para o seu umbigo querendo sempre mais e mais, vivendo agarrado ao materialismo? Quando chegar a sua hora de partida, cada um leva aquilo que trouxe quando chegou, ou seja, nada.

     A existência desse tipo de pessoas também tem a sua razão de ser, pois Eles têm também a missão de ensinar o que é compaixão, amor e solidariedade a todos aqueles que vivem exclusivamente a pensar em si, no seu bem estar e interesses a todos os níveis.

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Música: R. Comercial
Publicado por Viktor às 17:29
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

Não consigo…

Não consigo. Não sou capaz. É mais forte do que eu. Não tenho força. É impossível. Etc…

Estes e outras frases são usadas pelas pessoas quando, segundo o meu ponto de vista, se conformam ou resignam ao estatuto de “pessoa com uma doença”. Porque dizem isso? Porque usam um termo de negação (não)? Porque acham que não conseguem superar? Porque acham que não têm força? Porque acham que é impossível? Então eu vou-lhes dar as minhas respostas para essa situação. Nesse caso eu pergunto, quem é a pessoa mais interessada em resolver o problema, o médico/terapeuta ou o paciente? Com certeza que é o paciente. Então, assim sendo, se o paciente diz e assume que anda sempre com pensamentos negativos, ele é a primeira pessoa a ter de mudar e consciencializar-se que ele, e só ele, terá de alterar a sua forma de pensar relativamente a esse assunto, pondo de parte a negatividade mental que o afecta. Terá de abolir a palavra não do seu pensamento, no que diz respeito a todas as situações que o impedem de evoluir de uma forma favorável relativamente ao problema que pretende superar. Não deve pensar que não tem força, pois Deus nunca nos coloca perante uma prova que não tenhamos força suficiente para a ultrapassar. Dizem que é impossível melhorar ou eliminar o problema porque já duas ou três pessoas lhes disseram e eu pergunto, algo é impossível para Deus? Nada é impossível, demora é mais tempo, e por isso é que com fé e uma enorme vontade de vencer conseguem-se por vezes fazer coisas que muitas pessoas definem como “pequenos milagres”.

Estes e outro tipo de coisas são debatidas nas minhas sessões de Reiki, por forma a despertar a consciência das pessoas despertando o seu Eu interior para reagirem positivamente promovendo a auto-cura do paciente, pois não faço milagres nem passes de magia.

Termino deixando aqui os ensinamentos proferidos por BUDA GAUTAMA, há 2600 anos.

“Não acredites naquilo que ouviste ; não acredites em tradições, só porque têm sido transmitidas ao longo de várias gerações; não acredites nas coisas só porque são murmuradas e ditas por muitos; não acredites só porque as afirmações escritas e algum velho sábio são produzidas; não acredites em conjecturas; não acredites nisso como verdade á qual te ligaste por hábito ; não acredites na simples autoridade dos teus mestres e antepassados.

Após observação e análise, quando isso concordar com a razão e for conducente ao bem e beneficio de todos, então aceita-o e vive em conformidade.”

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Estado de Espiríto: Muita Energia Positiva...
Publicado por Viktor às 10:23
Link | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Rogando Paz

Senhor Jesus!

Tu disseste: “a minha paz vos dou...”

Entretanto, Senhor,

Muitos de nós andamos distraídos;

Atribulados, às vezes, por bagatelas;

Aflitos sem razão;

Sequiosos de aquisições desnecessárias;

Irritadiços por dificuldades passageiras;

Dobrados ao peso de cargas formadas por desilusões e discórdias que nós mesmos inventamos;

Ocupados em desatenções infelizes;

Hipnotizados por tristeza e azedume que nos inclinam ao isolamento e ao pessimismo...

Entendemos, sim, Jesus, que nos disseste:

- “A minha paz vos dou...

Diante, porém, das nossas inibições e obstáculos, nós te rogamos, por acréscimo de misericórdia:

- Senhor, concedeste-nos a paz, no entanto, ensina-nos a recebê-la.

Espírito: EMMANUEL

Médium: Francisco Cândido Xavier

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 10:12
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Novembro de 2008

O Processo de Cura Interior

O processo de cura interior reequilibra as energias de cada corpo focalizando a expressão desse equilíbrio, corrigindo-o e reparando a camada apropriada da aura por meio da imposição das mãos. Esse realinhamento de cada corpo ajuda a restabelecer o equilíbrio dos outros.

O processo da cura interior vai ser aqui o descrito em poucas palavras.

Na cura do nível etéreo padrão, o sistema desprovido de crenças é trazido à consciência e desafiado. A cura faz-se na sétima camada do campo e consiste principalmente em reparar e reestruturar esse corpo onde quer que seja necessário. A reparação da sétima camada abre automaticamente a sexta camada para mais amor celestial.

No nível celestial, o curador associa-se ao amor celestial ou universal e canaliza-o para o paciente.

No nível etérico padrão, realinha-se o corpo áureo através da cirurgia espiritual, que faz coincidir a vontade com a Vontade Divina.

No nível astral, a cura verifica-se através da acção e do amor. O curador participa na realidade do amor à humanidade e canaliza energia para o paciente, permitindo ao nível mental começar a relaxar e a soltar algumas defesas.

Na camada mental, o curador desafia os processos defeituosos de pensamento, que criam o desequilíbrio nesse nível, fundados na lógica da criança que passou pelo trauma. Quando se dá conta deles, o adulto avalia-os facilmente pelo seu justo valor e pode substitui-los por processos de pensamento mais amadurecidos. O curador trabalha para reestruturar a camada do campo áureo ajudando o cliente a imaginar soluções novas para velhos problemas.

Na camada emocional, utilizando a técnica da intenção, o curador ajuda o cliente a aclarar sentimentos bloqueados. Algumas vezes, o paciente revive velhos traumas e experimenta todos os sentimentos bloqueados durante a cura. Outras, os traumas são removidos sem que o paciente dê conta deles.

Na camada etérea, é preciso fazer um alinhamento e uma reparação para reestruturar a camada, com o objectivo de restabelecer um sentido de bem-estar e de força.

No trabalho directo com o corpo físico, empregam-se exercícios, posições do corpo e voz para liberar bloqueios físicos como, por exemplo, tensão muscular, gordura ou fraqueza.

No processo da cura de pleno espectro, trabalham-se todos os corpos ao mesmo tempo. Aplica-se o processo em sessões privadas, quando a saúde do corpo físico geralmente aparece por último, depois de equilibrados os demais corpos. Isso tanto pode levar uma única sessão ou um ano de sessões.

Você talvez fique maravilhado pelos terapeutas fazer tudo isso. A razão é porque eles têm acesso a enorme quantidade de informações através de um estado ampliado de consciência.

Saudações Reikianas.

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:18
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Reflexão… pobreza…

. Não consigo…

. Rogando Paz

. O Processo de Cura Interi...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007