Quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

Reflexão: Depressão, uma praga social…

Caríssimos,

     A vida é um desafio constante, na qual todos os seres humanos aspiram ou tentam ser algo ou alguma coisa, uma “luta” incessante que cada um de nós mantém, desde o momento da nossa chegada (nascimento). Essa “luta” constante do Ser humano decorre em dois cenários (planos), externo e interno de cada um de nós.

     No plano externo estamos sempre expostos àquilo que nos rodeia, ao meio ambiente e às pessoas com as quais temos de interagir. No plano interno é onde se dá a questão mais complexa, pois é neste plano que o Ser humano tem de se encontrar consigo mesmo, no qual tem a difícil e árdua tarefa de encontrar o equilíbrio entre os planos físico, emocional, mental e espiritual. Esta é a mais difícil de todas as tarefas do Ser humano, a qual exige de cada um de nós uma vigilância constante sobre nós mesmos, em prol do nosso bem-estar.

     Antes de começar esta partilha achei que a explicação anterior fosse necessária para um melhor entendimento da reflexão. Em meu entendimento Depressão define-se assim: “É a não-aceitação do Passado, incerteza no Futuro, que provoca instabilidade no Presente”. (faça uma pausa na leitura e pense na definição que acabou de ler)

     A não-aceitação do Passado em inúmeros casos está intimamente ligada à nossa mente, pois o não entendimento de acontecimentos passados resulta em muitos casos na não-aceitação. Essa não-aceitação vai “prender” a pessoa no “tempo” o que lhe provoca mal-estar no presente, compreendeu? Para melhor compreensão vou-lhe dar um exemplo: Uma determinada pessoa há 5 anos atrás perdeu um parente muito chegado ou terminou um relacionamento (sem que tal tenha sido de sua vontade), incapaz de ultrapassar essa “perda”, a pessoa fica como que “presa” na linha do tempo (na data do acontecimento). Por esse facto torna-se complicado hoje (2014) essa pessoa sentir-se bem, pois a sua mente ficou presa ao acontecimento passado (2009). Como tal e por mais que lhe possa custar, o que lhe vou dizer é apenas e só para seu bem, aceite plenamente o que aconteceu e liberte-se desse acontecimento, causa de muitos dos seus problemas de saúde atuais, e verá como a vida lhe irá sorrir novamente.

     A incerteza no futuro é algo que está ligado directamente à nossa mente, e associado às expectativas, ansiedade, incertezas, medos e receios. Todas estas coisas derivam do facto de atribuirmos demasiada importância a alguns acontecimentos mas principalmente a algumas pessoas. Dar demasiada importância a quem não deveríamos é um erro que quase todos os seres humanos cometem, pois é prejudicial para a nossa estabilidade e equilíbrio. Este é um dos aspectos ao qual você deve dedicar algum tempo e pensar, correcto? Um dia que esteja em sua casa sozinho, pense um pouco na importância que está a atribuir a algumas pessoas, começando por colocar a si mesmo as seguintes perguntas: “Que falta faz esta pessoa na minha vida?”; “Esta pessoa faz parte da minha vida?”; “Qual o contributo desta pessoa para a minha felicidade?”. Outra recomendação que lhe dou é não criar expectativas sobre pessoas e acontecimentos, pois em 99% dos casos nunca acontece o que nós pensamos, relaxe e aceite aquilo que tiver de ser, pois assim evitará dissabores para si mesmo.

     Claro é que, com todas as situações referidas nos 2 parágrafos anteriores, a nossa situação resulta numa instabilidade no presente. Presentemente como é que um Ser humano consegue estar de corpo e alma numa relação, se a alma (mente) ficou presa no passado? Presentemente como consegue ser feliz quando você é a pessoa que mais mal pensa de si mesmo? Presentemente como quer que lhe aconteçam coisas boas quando na sua cabeça predominam os pensamentos ruins? Para encontrar o seu equilíbrio lembre-se que o passado é história, o futuro é um mistério e o presente é uma dádiva que para a podermos viver na plenitude temos de nos libertar do passado e parar de ter preocupações excessivas com o futuro. Seja mentalmente flexível, perdoe o mal que lhe fizeram (sentimentos negativos destroem o nosso interior) e comece hoje a dar a si mesmo o amor e carinho que dá aos outros porque VOCÊ É A PESSOA MAIS IMPORTANTE DA SUA VIDA.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 09:16
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2014

Esclarecimentos sobre Reiki

Caríssimos,

     Relativamente aos cursos de Reiki parece que há um conjunto de dúvidas que paira na mente das pessoas e a quais penso ser do interesse geral esclarecer. O Reiki é uma terapia integrativa oriental que é praticada através da imposição de mãos, sendo o seu objectivo inicial proporcionar o bem-estar ao próprio reikiano. Assim, como podem constatar, o Reiki é um eficaz método de auto-ajuda, o que nos dá a entender que frequentar um curso de iniciação ao Reiki é um investimento que fazemos em nós mesmos e no nosso bem-estar. Quando estamos bem aqueles que nos rodeiam também se ficam melhor, pois tornamo-nos fontes de luz, energia e amor que contagia quem está ao nosso redor.

     A sintonização feita pelo mestre no dia do curso marca a entrada no universo do Reiki, mas o mesmo prolonga-se por mais 21 dias, nos quais o iniciado tem de fazer uma auto-aplicação de Reiki por dia (pelo menos). Os 21 dias seguintes definem-se como o “período da purificação interior” do reikiano, fundamentais e imprescindíveis para qualquer um, pois são parte integrante do curso. Mesmo que inicialmente possa não sentir nada nas suas mãos, mantenha a calma e confie que vai começar a sentir, pois eu mesmo nos primeiros dias tinha a sensação de nada sentir nas mãos. No decorrer deste período podem surgir nas mãos vários sintomas, tais como: formigueiro, picadas, frio, calor, sucção, entre outras sensações. São esses sinais que nos transmitem o estado em que se encontra o chakra, que nos “transmite” o que está menos bem no nosso corpo. É durante o período da “purificação interior” que pode ocorrer o fenómeno denominado de “crise de cura”, pois durante esses 21 dias, através da auto-aplicação de Reiki, o nosso organismo está a receber um tratamento de Reiki. Esse tratamento vai purificar o nosso organismo eliminando bloqueios, libertando toxinas (aquilo que se chama desparazitação em termos médicos), além de poder “puxar” algo que esteja para acontecer brevemente (gripe, infecção, etc…) para ser tratada com o Reiki. Pessoalmente sempre tive crises de cura nos meus 21 dias, que podem ser: Um pico de febre, cheiro mais intenso das fezes, mais vontade de ir ao wc, mais vontade de beber água, entre outros sintomas, pois cada caso é um caso e como tal é impossível generalizar as situações que podem ocorrer.

     Qualquer reikiano deve sempre pautar-se pelo respeito do seu semelhante, por isso só deve aplicar Reiki a outra pessoa se lhe for pedido, porque não temos o direito de interferir no livre-arbítrio seja de quem for. Claro que o reikiano poderá sempre oferecer-se para aplicar Reiki à outra pessoa, mas só o deverá fazer se na verdade a pessoa quiser, e se for a primeira vez deve-lhe explicar bem o que vai fazer para que o receptor fique devidamente esclarecido.

     Por agora fico por aqui, mas caso tenham alguma situação que queiram vez esclarecida não hesitem em perguntar ou sugerir para um próximo texto de esclarecimento geral. Desejo-lhes tudo de bom e façam o favor de ser felizes.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 16:31
Link | Comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Outubro de 2013

A sensação dos Chakras

     As sensações que pode sentir nos seus chakras são diversas, consoante o seu grau de actividade, p.ex.: a composição física, habilidade natural, habilidades de concentração e relaxamento também influenciam. As sensações podem variar de um calor agradável, uma pressão localizada, uma indisposição (no estômago), um pouco tonto momentaneamente, uma formigueiro, uma pulsação suave, uma vibração mais forte, uma combinação de alguns ou de todos os efeitos, ou até mesmo outros aqui não mencionados. Quanto maior for a vibração, mais activo está o chakra. Neste período de grande actividade dos chakras, se experimentar a colocar a sua mão sobre eles poderá sentir a sua pulsação nos mesmos.

     Alguns chakras, quando estão ativos, podem causar outras sensações “estranhas” localizadas:

Chakra base: Pode sentir um ardor muito suave ou um formigueiro, ou uma cãibra, como se tivesse andado de bicicleta durante muito tempo. Logo que o chakra esteja a funcionar correctamente, sentirá uma pulsação suave ou vibração entre as pernas, na zona do chakra.

Chakra Plexo Solar: Este chakra por vezes pode causar uma sensação de falta de ar, “obrigando-o” a respirar exageradamente. Com o tempo isto passa conforme ele se vá estabilizando.

Chakra cardíaco: O chakra cardíaco merece uma atenção especial devido à forte, por vezes assustadora, que ele pode causar. Quando muito activado pode-lhe dar a sensação de estar a bater com uma enorme velocidade. É uma sensação muito poderosa. Tente ignorar isso quando acontecer, pois o coração bate mas é o chakra a funcionar. Sei que é mais fácil falar do que fazer, mas através da prática e familiaridade você consegue. Esse batimento é mais aparente nos primeiros estágios do desenvolvimento. Penso que isto pode ser causado pelo défice energético dos centros inferiores.

Chakra da garganta: A vibração neste chakra pode causar uma sensação amena de sufoco, devido à sensível zona em que está localizado. É como ter um inchaço emocional na base da garganta.

Chakra da coroa: Quando está totalmente ativo dá a sensação de termos muitos dedos quentes e macios massajando gentilmente o topo de sua cabeça, acima do couro cabeludo, estendendo-se para baixo no centro da testa, incluindo o chakra do terceiro olho, sendo parte dele. Essa sensação é o motivo pelo qual os Budistas o chamam de "A Lotus de mil pétalas".

Nota: Pode sentir uma sensação mais forte nalguns chakras e menos forte ou nenhuma noutros. Concentre-se mais nos baixos (inferiores) onde tem a menor sensação. Isso vai ajudar a equilibrar o fluxo de energia no sistema de chakras.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 15:57
Link | Comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Reflexão: Reiki, os sintomas

Caros leitores,

     Como certamente já é do vosso conhecimento, o Reiki não se vê sente-se. Por esta razão, o Reiki é uma experiência única, diferente de pessoa para pessoa. Como o Reiki actua em 4 níveis [físico, emocional, mental e espiritual] logo aquilo que podemos sentir ao receber uma sessão varia consoante o estado em que se encontram os 4 níveis, naquele momento. Para entender um pouco melhor o que acabei de transmitir vou-lhes dar um exemplo: Se uma pessoa estiver bastante bloqueada, ao receber uma sessão de Reiki pode não sentir absolutamente nada, mas na verdade a energia vai fluir das mãos do terapeuta para o seu corpo conseguindo actuar mesmo que passe despercebido ao receptor, porque o seu melhor diagnóstico é feito por ele mesmo (receptor) na manhã seguinte.

     O mesmo pode acontecer nas formações de Reiki, onde cada formando sente as coisas à sua maneira consoante o seu estado e sobretudo o seu nível de sensibilidade energética.

     A energia é fonte de vida, como tal é algo que está impregnado em todos os espaços, até nos mais recônditos locais do universo. Com a entrada no universo reiquiano passamos a ter uma sensibilidade mais apurada, no que diz respeito à nossa energia, às energias dos outros e dos espaços.

     Ao lerem esta reflexão talvez procurem saber que tipos de sensações ou reacções podem ter quando recebem uma sessão de Reiki. Assim irei enumerar algumas coisas que podem sentir: relaxamento profundo, vazio mental durante a sessão, sentir calor, sentir arrepios, sentir desejos, ter uma regressão, ter uma progressão, sentir leveza, vir à tona sentimentos associados a experiências passadas menos positivas, peso no local onde a mão está colocada, entre muitos outros. Recomendo-lhe que sempre que receba uma sessão de Reiki não pense em nada, relaxe o corpo e mesmo que sinta algo não se mexa, deixando assim a energia fluir livremente por todo o seu corpo.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 10:33
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Abril de 2010

Iniciação ao REIKI [Explicação]

Caros amigos e leitores,

Várias vezes já fui questionado acerca das sensações e/ou sintomas após uma iniciação ao Reiki. A entrada no Universo do Reiki dá-se através da frequência de um curso onde, na recta final do curso, o formando submete-se àquilo que se define como Sintonização. Este é um processo efectuado pelo Mestre onde, dentro da aura do iniciado, efectua um conjunto de processos que vão abrir os chakras das mãos. Depois de terminada a sintonização, fica o formando (agora já iniciado no Reiki) habilitado a captar e canalizar a energia cósmica do Reiki, para si próprio. Digo para si próprio, pois nos 21 dias seguintes o formando deverá fazer, pelo menos, uma aplicação diária em si próprio, para poder concluir com sucesso o processo de Purificação Interior. Não quero com isto dizer que não possa aplicar nos outros, mas é perferível que o faça depois do período da Purificação Interior, para que se possa sentir suficientemente "à vontade" para quando tiver a primeira experiência de aplicação de Reiki noutra pessoa.

No decorrer deste processo (purificação interior), há mudanças que se operam dentro de nós, pois o nosso corpo está a purificar-se eliminando as coisas menos boas reestruturando as células. Neste período o iniciado pode ter uma maior actividade intestinal, um cheiro mais intenso das fezes, um pico de febre, uma dor de cabeça, enfim, um cem número de coisas podem acontecer, porque somos todos diferentes. Mas há uma coisa muito importante que vos devo dizer: Nem todas as pessoas têm aquilo que se define como “Crise de Cura”.

Há mais outra coisa que devem saber, se algum de vocês já se iniciou no Reiki, mas acha que não ficou bem iniciado, isso não é assim, pois uma vez iniciado e fica iniciado para o resto da vida. O que lhe pode ter acontecido é que algo não correu como estava à espera (expectativas) e certos sintomas (desânimo, tristeza, frustração, insatisfação) e, a partir de aí, pensa novamente em ir fazer a iniciação, mas o que realmente vai fazer é uma reciclagem com outro Mestre.

Vou terminar esta minha explicação, deixando a todos os leitores uma sugestão. Depois de lerem esta explicação, não se convençam que algo do que aqui foi descrito vos vai acontecer pois, como somos todos diferentes, temos reacções e conexões energéticas diferentes, por isso fiquem com uma explicação mas não a interiorizem pois caso o façam o vosso poder mental através da projecção do pensamento vai fazer com que isto seja uma realidade para vocês.   Deixem que tudo aconteça naturalmente sem a influência do plano mental.

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 01:54
Link | Comentar | favorito
Sábado, 27 de Março de 2010

…mais algumas questões…

Quem se pode iniciar no Reiki?

Qualquer pessoa se pode iniciar no Reiki. Dada a experiência que tenho de ensino, aconselho a que tire o curso quando se sentir interiormente motivado para tal, ou seja, quando sentir um apelo interior para o mesmo pois, sendo o Reiki uma prática de Amor Incondicional para com o semelhante e também uma filosofia de vida, nem todas as pessoas podem estar vocacionadas para tal e dispostas a mudanças interiores.

Então as pessoas podem-se iniciar quando e onde quiserem porque o ensino é igual, certo?

Com certeza que se podem iniciar quando e onde quiserem, mas o ensino não é igual, devido a vários factores tais como a não normalização dos programas leccionados, os diferentes sistemas de Reiki entre outros factores. Os métodos e técnicas pedagógicos utilizadas, a duração do curso e a selecção dos temas que vão ser mais aprofundados é da inteira responsabilidade do Mestre instrutor. Por isso e mais uma vez aqui volto a frisar a importância da escolha do Mestre com o qual se vai iniciar, isto porque além do mais a existência de uma boa empatia energética é, em muitos casos, a chave para o sucesso da acção.

Se me sentir lesado(a) com o curso, onde poderei reclamar?

Poderá formalizar a sua queixa à Associação Portuguesa de Reiki, que irá analisar o seu caso e dar-lhe a devida resposta.

Se receber Reiki não preciso de ir ao médico?

Um terapeuta não faz diagnósticos médicos nem se pode substituir ao mesmo. Assim, é de bom tom o próprio terapeuta recomendar ao paciente uma visita ao médico se se aperceber de algo anormal. Assim sendo conclui-se que terapeutas e médicos são duas profissões distintas mas que podem resultar muito bem usadas conjuntamente.

Há uns pequenos problemas de saúde cíclicos que tenho, qual o papel do Reiki nisso?

Sim, há uma boa quantidade de pessoas que ciclicamente têm enxaquecas, gripe, dores menstruais, stress, ansiedade e outros sintomas que, depois da sintonização no Reiki e das modificações internas por ele operadas, algumas destas adversidades cíclicas acabam por desaparecer.

Saudações Reikianas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 19:46
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

Assédio Espiritual

POR :: Osvaldo Shimoda ::

"No que diz respeito ao problema das obsessões espirituais, o paciente é, também, o agente da própria cura".

(Grilhões Partidos, Manoel Philomeno de Miranda)

Para a maioria das pessoas, o assédio espiritual, como enfermidade da alma, é algo bastante longínquo, distante de sua realidade. Mas, por quê?

Porque o assédio espiritual costuma ser tão subtil a ponto de não ser percebido pelo assediado. Aproveitando-se de seu estado de invisibilidade, o ser obsessor desencarnado (desafecto do paciente, hoje seu algoz, na verdade, foi vítima do paciente no passado, pois foi prejudicado por ele) é movido a ódio e desejo de vingança, e se utiliza de todos os recursos possíveis e inimagináveis aos olhos de um encarnado para prejudicá-lo, tirando até mesmo a vida do paciente.

Portanto, o assédio espiritual ocasiona sérios danos psíquicos, espirituais e orgânicos ao assediado. Surgem, assim, distúrbios variados, difíceis de serem diagnosticados com precisão pelos médicos e que se reflectem no corpo físico, evoluindo com febres, inflamações, dores e outros sintomas físicos, confundindo o raciocínio do clínico e, com isso, dificultando um tratamento eficaz.

O assédio espiritual pode ainda levar à o paciente à loucura (esquizofrenia), epilepsia, vícios em geral, ou mesmo ao suicídio. Sem dúvida alguma, o assédio espiritual, como enfermidade da alma, é um dos grandes flagelos da humanidade e vem de longa data.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 00:55
Link | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 26 de Setembro de 2009

O que é uma criança Índigo?

O que é uma criança Índigo e porque designamos assim?

Primeiramente a definição. É uma criança que demonstra uma série de atributos psicológicos novos e pouco usuais com um padrão de comportamento nunca documentado até agora. Este padrão de comportamento tem factores comuns únicos que sugerem a quem se relaciona com as crianças (os pais em especial), que devem mudar a forma como os tratam e criá-los para poderem ter um equilíbrio adequado.

Ignorar estes novos padrões de comportamento é criar um desequilíbrio potencial e uma grande frustração na cabeça destas preciosas vidas.

Parece haver diversas categorias de Crianças Índigo, mas vamos dar um dos padrões de comportamento mais importantes para poder ver se alguém do seu conhecimento encaixa nestes padrões?

Apresentamos de seguida 10 das características mais comuns da Criança Índigo:

  1. Vêm ao mundo com um sentimento de realeza (e frequentemente comportam-se como tal).
  2. Têm a sensação de “merecer estar aqui” e surpreendem-se quando outros não compartilham esta mesma sensação.
  3. A auto-estima não é, para elas, um grande tema de preocupação; com frequência dizem aos pais quem elas são.
  4. Têm dificuldade em aceitar uma autoridade absoluta (sem explicação ou sem alternativas).
  5. Pura e simplesmente não farão certas coisas, por exemplo: custa-lhes esperar numa fila.
  6. Frustram-se com sistemas que são apenas rituais e que não requerem criatividade.
  7. Muitas vezes têm formas melhores de fazer as coisas tanto em casa como na escola, o que os torna rebeldes e desintegrados de qualquer sistema.
  8. Parecem muito anti-sociais, a menos que se encontrem entre crianças semelhantes. Se não houver outros com o mesmo nível de consciência tornam-se retraídos, sentindo que não há seres humanos que os entendam. A escola é o local onde lhes é muito difícil socializar.
  9. Não respondem à disciplina de “culpa” (Espera que o teu pai chegue a casa e veja o que fizeste).
  10. São tímidos em expressar o que precisam.

Agora quero que saibam porque é que estas crianças se chamam Índigo.

Ao longo da história da psicologia criaram-se sistemas para agrupar os seres humanos pelo seu comportamento.

Estes grupos tratam de identificar e correlacionar as acções humanas de diversas maneiras. Trata-se, sem dúvida alguma, de encontrar alguma fórmula que permita encaixar cada ser dentro de uma categoria, que ajude os estudiosos da mente humana. Alguns destes sistemas são muito antigos, outros são muito recentes.

Para validar isto, temos Richard Seigle que, não só é um médico que praticou o ofício, mas que também é um perito em estudos humanos e espirituais.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 01:07
Link | Comentar | ver comentários (3) | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Reflexão: Depressão, uma ...

. Esclarecimentos sobre Rei...

. A sensação dos Chakras

. Reflexão: Reiki, os sinto...

. Iniciação ao REIKI [Expli...

. …mais algumas questões…

. Assédio Espiritual

. O que é uma criança Índig...

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007