.Já em Agenda

*Cursos de Reiki e Karuna de Todos os níveis*-*Workshop's de Técnicas de Reiki*
Sexta-feira, 30 de Agosto de 2013

Pensamento, fonte co-criadora…

Caros leitores,

     Hoje vou fazer uma pequena reflexão sobre o Pensamento. O Pensamento é uma das ferramentas mais poderosas que o Ser humano tem. Ao longo de milénios a mente/cérebro (Pensamento) tem sido e continua a ser alvo de estudos, devido à sua complexa estrutura. A nossa mente, através do Pensamento tem uma enorme capacidade de co-criação mental, o que significa que através de pensamentos consecutivos sobre uma determinada situação estes acabam por materializar a “tal” situação que muitas vezes não queremos ou da qual fugimos.

     Sermos Seres com emoções e sentimentos cria-nos uma barreira acrescida para o “domínio” do Pensamento, pois este tem uma ligação íntima às emoções e aos sentimentos, o que nos dificulta o seu “controlo”. Além disso vivemos numa sociedade onde nascemos e vivemos a ouvir as pessoas a fazer juízos de valor sobre os outros, dar opiniões sobre a “vida alheia”, falar de terceiros entre muitas outras “atitudes” menos correctas. Esta “educação social” e a ideia que se tem de “é normal, toda gente é assim” são como chips que ficam implantados na nossa mente, que funcionam como difusores de energia negativa ao serviço das trevas. Esta energia negativa á idêntica à energia da inveja, pois ao termos alguma destas atitudes estamos a emanar energia negativa para a outra pessoa, energia essa que nos vai ser devolvida por parte do universo, pois o nosso pensamento tem um funcionamento energético tal qual uma antena emissora de rádio, emitindo ondas mais ou menos positivas consoante o nível do energético do pensamento. Poderia resumir isto que acabei de dizer numa célebre expressão redigida em inúmeros textos antigos: “A força do Verbo ou da Palavra”; Isto porque também todas as palavras que dizemos têm a sua correspondente “carga” energética que vai actuar directamente no receptor.

     Aquilo que acabei de dizer é uma barreira que a maioria das pessoas gostaria de ultrapassar, mas para que isso seja possível temos de estar constantemente vigilantes quanto aos nossos pensamentos promovendo os pensamentos positivos como “borracha” para os pensamentos menos próprios que possam surgir, podemos praticar meditação ou outras técnicas que aquietem a mente. Ao encontrar o amor dentro de si, descobrirá a energia positiva necessária, para “dominar” a sua mente e os seus pensamentos, porque o Amor é a energia mais poderosa do Universo.

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 22:17
Link | Comentar | favorito
Domingo, 13 de Janeiro de 2013

O Terrível custo de Não Perdoar

“A pessoa que mais precisamos perdoar é NOS MESMOS, por que SOMOS NOS QUE ESCOLHEMOS PERMITIR QUE OUTROS NOS MAGOEM.”

“Não perdoar é visto como um dos mais severos e limitadores problemas da experiência humana.”

     Existem custos inevitáveis para nos que estamos presos no não perdoar. Todos estes custos estão em operação, continuamente, em cada não perdoar não importa se nos o reconheçamos conscientemente ou não. Estas consequências acontecem com todos, toda vez que somos apanhados por alguma situação que não resolvemos e não perdoamos. Todos nos pagamos este alto custo nas nossas vidas repetidas vezes. Nos provavelmente ainda pagamos em muitas áreas da nossa psique e do nosso espírito que precisam de cura. Considere estas como consequências do julgamento, da crítica e do não perdão.

     1. Nós continuamos a sentir a dor psicológica da ofensa recebida.

     2. Nós bloqueamos uma comunicação saudável e a potencial reconciliação com o “ofensor”.

     3. Nós recebemos ofensas similares por outros que lembram-nos o ofensor.

     4. Nós atraímos situações similares, pessoas e insultos para nos.

    5. Nós entregamos o nosso poder pessoal para outros determinarem como nos sentimos e respondemos(de fato, nos “reagimos”) em situações similares.

     6. Nos nós rendemos incapazes de realmente, conhecer e aprender a verdade sobre o evento que “danificou” o relacionamento.

     7. Nós adicionamos negatividade tóxica nos relacionamentos presentes.

     8. Nos isolamos/prevenimos/evitamos/limitamos nós mesmos de termos novos relacionamentos, mais saudáveis e mais satisfatórios.

     9. Nos tornamos vulneráveis, maliciosos, ressentidos e amargos.

     10. Nos desrespeitamos, destruímos e depreciamos a nos mesmos em níveis profundos da nossa mente.

     11. Nos bloqueamos espiritualmente de receber ajuda e cura do Fonte Superior.

     12. Nosso espírito e alma contraem (paralisam) mais e mais.

     Certamente muito mais pode ser adicionado a esta lista. Ainda muitos de nós tem algumas destas atitudes queimando no fundo de nossas mentes subconscientes.
     Tomando uma atitude de superioridade com a intenção de causar mal ou perda para alguém, incluindo a si próprio, é um problema espiritual maior, bem como psicológico. Considere isto. Quando eu assumo uma posição julgadora, critica, punitiva, vingativa ou de rejeição contra alguém, incluindo a mim mesmo, o que eu estou fazendo espiritualmente?
Bem eu estou a brincar com Deus!

     Eu estou me colocando como juiz, júri e executor. Eu estou, consequentemente, violando o Primeiro Mandamento! Isto significa que Deus não pode sequer me ajudar com o meu dilema de Não Perdoar. Eu estou por conta própria com meu sofrimento e o terrível custo do meu próprio não perdoar.
     Se você olhar para esta violação da perspectiva religiosa ou filosófica, ou não, ela ainda ferve fazendo-me o centro do poder e o centro do universo. Esta é uma posição muito perigosa para estar por que nenhum de nos tem este poder ou autoridade em nos. Isto é reservado para nosso Poder Superior. Logo, esta é uma batalha perdida para nos com todos os custos descritos acima.

     O maravilhoso pagamento de trabalhar o não perdoar é que você pode erradicar todo o terrível custo!! Perdoar todos e desfrutar as bênçãos da nova e maravilhosa liberdade que você tem!

Fonte: http://www.besetfreefast.com

Saudações Holísticas

NAMASTÊ

Publicado por Viktor às 16:48
Link | Comentar | favorito
Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2010

Servir mais, trabalhando mais

Sempre fazer mais, trabalhando mais.

O dia reaparece carregando preocupações ante a carga de lutas entretidas na véspera?

Servir mais, trabalhando mais.

Provações repontam, de improviso, anunciando empeços maiores ou desastre iminente?

Trabalhar mais, servindo mais.

Companheiros queridos nos deixam a sós, quando mais complexa é a nossa própria situação perante as responsabilidades que assumimos no bem de todos?

Servir mais, trabalhando mais.

Crises se nos articulam à frente, propondo-nos sacrifícios e obrigações que nos parecem impraticáveis?

Trabalhar mais, servindo mais.

Obscureceram-se caminhos e discórdias sobrevieram, impondo-nos a impressão de que nos achamos sob a influência dos inimigos da luz?

Servir mais, trabalhando mais.

Angústias, desapontamentos, decepções, embargos, exigências e frustrações nos surpreenderam de chofre...

O que era esperança é desencanto, o que era alegria fez-se amargura... O dia escurece, a força como que nos abandona ...

Tudo se nos afigura contrário à expectativa da hora primeira?

A solução a todos os problemas é trabalhar mais e servir mais.

Fora do trabalho, que se expressa em serviço ao bem geral, estamos connosco, mas, dentro do serviço que se expressa em trabalho constante no bem dos outros e na felicidade de todos, estamos e estaremos com Jesus.

Espírito: BATUÍRA

Médium: Francisco Cândido Xavier

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 12:01
Link | Comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Mundos de Escolaridade

Os mundos de escolaridade são de natureza idêntica ao nosso planeta. Chegam até eles, por várias razões, espíritos de várias classes para promover, entre si, o intercâmbio de conhecimentos intelectuais, morais e espirituais.

A Terra é um mundo de escolaridade em que as dezassete primeiras classes da série de trinta e três promovem a sua evolução, partindo da primeira e chegando à décima sétima, em períodos que variam muito, de espírito para espírito, mas que se elevam, sempre, a milhares e milhares de anos.

Para a ascensão de uma classe a outra imediatamente superior, não existem privilégios nem protecções. O princípio de justiça funda-se na lei da igualdade. Todos têm de enfrentar idênticas dificuldades e chegar ao triunfo pelo próprio esforço.

O mau aproveitamento de uma encarnação resulta, inabalavelmente, na necessidade de a repetir, tendo o espírito de passar pelas mesmas atribulações até conseguir dominar os vícios e as fraquezas e recuperar o tempo que perdeu.

No mundo que lhe é próprio o espírito tem conhecimento do que se passa nos mundos das classes inferiores à sua, mas ignora o que ocorre nas superiores.

Constatando, porém, as enormes vantagens da ascensão a classes mais elevadas, vive sob o incontido desejo de passar para a frente, a fim de alcançar novos conhecimentos e conquistar mais amplos atributos espirituais.

No mundo correspondente à sua classe, o espírito traça os planos para a nova encarnação que deseja, ardentemente, aproveitar ao máximo. A sua maior esperança é não perder tempo na Terra, não fracassar, não tornar inútil o sacrifício de encarnar.

Os espíritos das classes inferiores, especialmente os da primeira, encarnam sob a orientação de outros mais evoluídos. Esses espíritos são como as crianças que precisam de quem as acompanhe ao Jardim-de-infância.

Nos mundos de escolaridade, as emoções fazem parte da vida quotidiana. Essas emoções são experimentadas, indistintamente, por todos os seus habitantes. Quando o homem se torna superior às sensações da pobreza e da fortuna que completam o quadro das referidas emoções, aí sim, o sentido da vida espiritual começa nele a despertar.

À medida que evolui, o espírito vai-se tornando conhecedor das coisas do Espaço. Se na Terra tanto há que aprender, muito mais, ainda, no Universo. A este, oferece campo o Espaço. O Universo, porém, representa a evolução em marcha.

Prendem-se umas às outras — como elos de uma só corrente — estas três expressões: Espaço, Universo e Evolução. Pesquisar o Espaço, por isso, é estudar o Universo e reconhecer a Evolução.

Há um dever que a todos atinge por igual: Trabalhar para evoluir. Cada qual precisa ocupar o seu lugar e esforçar-se por dar conta das suas atribuições, certo de que tem no Espaço uma posição definida e insubstituível.

Milhões de espíritos encarnados no planeta sentem-se apreensivos por falta de uma bússola norteadora.

Se a que Jesus trouxe, há cerca de vinte séculos, não tivesse sido parcialmente dissipada pela ganância especuladora, muitos e muitos milhões de seres ainda encarnados teriam, há muito, concluído o curso na Terra, e estariam a exercer as suas actividades noutras regiões do Espaço. Tempo perdido não se recupera. É como as águas passadas que não movem moinhos. Ao Racionalismo Cristão cabe uma grande e sublime missão, ainda que bem árdua e por muitos não compreendida: restabelecer a Verdade e reimplantar os magníficos ensinamentos de Jesus na Terra.

Saudações Reikianas

NAMASTÉ

Publicado por Viktor às 09:06
Link | Comentar | favorito
::: GUESTBOOK :::

.Autor do Livro "Partilhas de um Ser"

.Eu

.Local/Contacto:

«Albufeira, Estremoz e Guarda». Cursos, Palestras, Partilhas & Workshop's. Tlm: 962856134 mail: mestreviktor@gmail.com Fundador do Projecto Social "REIsocialKI®" & Autor do Livro: "Partilhas de um Ser" - APR

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.subscrever feeds

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.LINKs

.posts recentes

. Pensamento, fonte co-cria...

. O Terrível custo de Não P...

. Servir mais, trabalhando ...

. Mundos de Escolaridade

.Arquivos

. Dezembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Julho 2018

. Outubro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007